Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sexta-feira, 12/04/2019

´Freio de arrumação´

Confirmação de viva voz

O prefeito Romero Rodrigues (PSDB-CG) confirmou a notícia publicada ontem na coluna Aparte e disse que tem avançado nas conversações para assumir o comando do PSD no Estado.

“(Gilberto) Kassab (presidente nacional do PSD) e o ex-senador Raimundo Lira têm insistido muito com essa questão e cobrado uma posição com relação ao PSD. Tanto é que eu já conversei com o ex-senador Cássio (Cunha Lima), por duas vezes, de forma franca e sincera. E expliquei acerca da possibilidade de ir para o PSD. Vou voltar a conversar com Cássio novamente. Existe essa possibilidade (de filiação)”, declarou o prefeito.

Tesourada

O presidente Jair Bolsonaro anunciou ontem que vai extinguir muitos conselhos de participação da sociedade civil no Executivo federal.

Profundidade

Dos aproximadamente 1 mil atuais, deverão sobrar cerca de 50 conselhos, com enorme redução de despesas, argumentou.

Consumação

Conforme apalavrado, foi entregue ontem, formalmente, o comando do Solidariedade na Paraíba ao vice-prefeito pessoense Manoel Júnior.

Reminiscências

Manoel recordou que no último dia de filiação para o processo eleitoral do ano passado, o deputado federal Paulo Pereira da Silva, o ´Paulinho da Força Sindical´, presidente nacional do SD, convidou para que ele comandasse a legenda diante da renúncia do ex-presidente do partido, o ex-deputado Benjamim Maranhão.

“Sacrifício”

“Eu me acanhei perante mim mesmo por uma questão ética. A vontade era grande, mas não tive condições pois me filiei ao PSC com a legítima condição de ser candidato ao que eu quisesse. A intenção era a participação na chapa majoritária, mas tive que ir para o sacrifício da chapa proporcional. Mas isso é ensinamento e aprendizado”, rememorou o vice.

Objetivos

Manoel enfatizou que assume o comando da legenda “com metas a atingir e as cumpriremos rigorosamente”, na perspectiva do processo eleitoral do ano que vem.

Na cabeça

Presente à solenidade, ´Paulinho da Força´ disse que o partido deve ter candidatura própria a prefeito de João Pessoa, na pessoa de Manoel Júnior.

Missão

“Estou tentando convencê-lo (o vice-prefeito) para ser o nosso candidato a prefeito. Espero que ele me ouça mais. Das vezes que ele não me ouviu, se lascou. Agora eu espero que ele me ouça e o partido quer investir tudo o que puder, até porque é uma cidade importante e nós precisamos ter uma cidade como João Pessoa com um prefeito à altura. Não vim aqui só para empossá-lo como presidente, mas também para convencê-lo de ser o nosso candidato”, comentou o deputado.

Incapacidade

Paulinho tratou igualmente da conjuntura política nacional e observou que “o país é governado por uma pessoa com pouca capacidade de tocar o Brasil. Não sei como faremos. Nessa situação, o Congresso tem que se unir e tentar inverter a história para recuperar o país”.

Ressurgiu

O papa emérito Bento XVI divulgou numa revista alemã um ensaio intitulado “A Igreja e o escândalo do abuso sexual”.

Tolerância

No texto (repercutido no Brasil pelo jornal O Globo), ele argumenta que o sistema legal da Igreja Católica às vezes protegeu excessivamente os clérigos acusados, citando o que chamou de garantias judiciais que foram “estendidas a tal ponto que as condenações se tornaram quase impossíveis”.

Leia trechos.

“Colapso”

“Pode-se dizer que nos 20 anos, entre 1960 e 1980, os padrões relativos à sexualidade entraram em colapso e surgiu uma nova normalidade que já foi objeto de tentativas laboriosas de interrupção.

Desregramento

“Entre as liberdades pelas quais a Revolução de 1968 procurou lutar estava essa liberdade sexual total, que não previa mais nenhuma norma.

Internamente

“Em vários seminários foram estabelecidos gatilhos homossexuais, que agiram de forma mais ou menos aberta e mudaram significativamente o clima nos seminários”.

Duas…

O governador João Azevedo (PSB) visita hoje a cidade de Puxinanã (17h), para autorizar as obras de recuperação do mercado público local.

… Cidades

Às 19h, Azevedo comandará a Plenária do Orçamento Democrático Estadual na cidade de Esperança (Centro Social Urbano).

Experiência

Quando de sua posse na Secretaria de Agricultura da PMCG, anteontem, o ex-deputado Renato Gadelha (PSC) registrou que atua no segmento “há mais de 30 anos. É um trabalho que me agrada”.

Otimismo

“Se Deus quiser, vamos fazer uma revolução na agricultura e na pecuária de Campina Grande”, exclamou.

Da boca de…

“… Quando fui governador do Ceará, costumava dizer que o melhor médico no Estado era o saneamento básico. Esse é um assunto urgente. O Brasil ainda está na Idade Média na questão de saneamento e é nossa obrigação moral tirar, reverter essa situação vergonhosa que o País vive…” (senador Tasso Jereissati, PSDB-CE).

´Flerte´

Por sinal, especula-se que o senador cearense está cogitando se filiar em breve ao `Cidadania´ (antigo PPS).

Bicadas de…

Para a deputada Camila Toscano (PSDB), João Azevedo “ainda não mostrou a que veio. Ele não consegue ainda ter o ´domínio da caneta´; não consegue mostrar que é ele realmente quem decide”.

… Tucano

“João passa por momentos turbulentos. A ´Operação Calvário´ bate à porta de seu governo desde os primeiros dias, mostrando um esquema muito forte de corrupção”, acrescentou a parlamentar.

Avançando

O governo federal começou a modelar a sua proposta de reforma tributária, que almeja aprovar ainda este ano.

Remodelar

A intenção é promover uma “plástica cirúrgica” nos tributos, na expressão do secretário da Receita Federal Marcos Cintra.

Desoneração

Pretende-se acabar com a contribuição ao INSS que as empresas pagam atualmente sobre a folha de pagamentos.

Contrapartida

Como compensação, a criação de um imposto sobre todos os meios de pagamento – cheques, cartões de crédito e até mesmo dinheiro vivo – ou um aumento adicional na alíquota do imposto único.

Cinco

Conforme o ´Estadão´, esse imposto único seria o resultado da fusão do PIS, Cofins, IPI, uma parte do IOF e a CSLL (Contribuição Sobre o Lucro Líquido).

´Coquetel´ de impostos

Numa etapa posterior da reforma, o governo planeja unificar esse (futuro) imposto único federal com o ICMS (estadual) e o ISS (municipal).

“O Brasil vive atualmente um manicômio tributário”, resumiu Marcos Cintra.

Um ruidoso depoimento pros lados de Cabedelo...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube