Arimatéa Souza

segunda-feira, 19/07/2021

´Farra´ com recursos públicos

Fonte de estudo

Dias atrás, o competente jornalista William Waack (canal CNN Brasil) publicou um artigo no jornal O Estado de São Paulo abordando a atual crise que o país atravessa.

Vale a pena reproduzir alguns trechos. É o que segue.

“A CPI da Pandemia deve estar enchendo os olhos dos modernos historiadores, segundo os quais depende sobretudo da ação humana a gravidade das consequências de qualquer desastre de causas naturais (terremoto, erupção vulcânica, pandemia).

Ênfase

Catástrofes como a da covid-19 apenas acentuam o que já existia.

No caso do governo brasileiro, tal como a CPI vem expondo, a pandemia agravou uma extraordinária inépcia governamental.

Adversário…

“O vírus derrotou Jair Bolsonaro politicamente. É impossível entender seu assombroso (dado o tamanho da onda disruptiva que o elegeu em 2018) derretimento sem levar em conta o profundo impacto psicológico do fracasso no combate à pandemia.

… Invisível

“O presidente não tem capacidade intelectual nem o instinto político para entender exatamente o que está acontecendo, o que o impede também de enxergar como suas reações desequilibradas (política e psicologicamente) pioram em vez de atenuar um quadro político-eleitoral que lhe é hoje francamente desfavorável e, com alta probabilidade, também irreversível.

Polarização

“Forma-se em elites dirigentes empresariais envolvidas no jogo político uma curiosa noção segundo a qual Bolsonaro é o único fator que explica o sucesso de Lula nas pesquisas de intenção de voto.

Solução…

“Portanto, para evitar uma vitória de Lula, o caminho evidente seria tirar Bolsonaro do páreo eleitoral, eventualmente através de impeachment.

… Complexa

“Por enquanto esse caminho parece distante por uma série de motivos, entre os quais predomina a ausência de uma ´massa crítica política´ no Legislativo.

O que virá

“Mas esses dois fatos – o derretimento político-eleitoral de Bolsonaro e a imprevisibilidade associada a seu desequilíbrio – estão forçando os vários atores políticos a calcular talvez antes do que julgassem necessário o pós-Bolsonaro, seja por um impeachment, seja por uma derrota eleitoral que se antevê acachapante.

Protagonista

“No atual contexto (admita-se, bastante volátil) parece que só Bolsonaro leva ele mesmo à guilhotina, especialmente se partir para um tudo ou nada golpista”.

Posicionamento

Líder do Podemos (e do bloco de oposição no Legislativo campinense), o vereador Anderson Almeida informou que esta semana será divulgada uma Nota acerca da troca de comando da legenda na Paraíba.

Depuração

Ainda sobre essa mudança no Podemos, a suplente de deputada (e ex-vice-presidente estadual do partido), Ana Cláudia Vital do Rêgo, avisou que “vamos analisar a CONDUTA de cada pessoa envolvida nesse contexto”.

Concessão…

O Conselho Pleno da OAB Nacional aprovou o novo “provimento” sobre a publicidade na advocacia.

… Feita

O patrocínio e o impulsionamento nas redes sociais, por exemplo, é permitido, conforme o site ´J´, desde que não se trate de publicidade contendo oferta de serviços jurídicos.

Momento Francisco

“O coração que não se deixa levar pela pressa é capaz de se comover (…) de perceber os outros, suas feridas, suas necessidades. A compaixão nasce da contemplação (…) Estamos atarefados, corremos, pensamos que tudo depende de nós e, no final, corremos o risco de negligenciar Jesus e estarmos sempre nós no centro”.

Papa, ontem, na oração do Angelus.

Da boca de…

“…O maior desafio não é educar os pobres, é civilizar os ricos…” (Angela Alonso, professora de sociologia da Universidade de São Paulo).

Partiu

O deputado estadual Inácio Falcão (PCdoB) já está costurando ´dobradinhas´ para buscar mais um mandato nas eleições de 2022.

Retaguarda

De acordo com o jornal O Globo, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli (considerado petista), “tem trabalhado intensamente para André Mendonça (ministro do governo Bolsonaro) ser seu colega na Corte. É o ministro mais ativo nos contatos com os senadores”.

´Efeito audiência´

O prefeito Bruno Cunha Lima receberá hoje dois auxiliares do governador João Azevedo: Gustavo Feliciano (secretário de Desenvolvimento Econômico) e o presidente da Cinep, Rômulo Polari Filho.

Da boca de…

“… A pandemia não se coaduna com o populismo…” (Geraldo Medeiros, secretário de Saúde do Estado).

´Bombou´

O ministro da Economia, Paulo Guedes, informou que a arrecadação do governo federal, nos seis meses iniciais de 2021, superou em R$ 100 BILHÕES o que o governo esperava.

´Injeção na veia´

O ´pulo´ dado pelo Congresso Nacional no Fundo Eleitoral – de R$ 2 bilhões em 2018 para (no mínimo) R$ 5,7 bilhões no ano que vem – deverá provocar uma ´fartura´ desmedida para os partidos, particularmente para 11 deles.

PSL, PT, MDB, PSD, PP, PSDB, PL, DEM, PSB, PDT e Republicanos receberão (cada um) mais de R$ 283 bilhões – R$ 80 bilhões a mais do que a cota máxima distribuída em 2018.

O prefeito de Campina desistiu da reforma na equipe?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube