Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 30/01/2021

Espada na mão

O vice que fala

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, é o que poderíamos chamar de – dadas as circunstâncias excepcionais da vida nacional no presente – um estranho no ninho.

Ele concedeu uma longa entrevista esta semana ao canal de notícias CNN Brasil.

Vale a pena pinçar algumas de suas declarações. É o que segue.

Bolsonaro

“Não há conversas seguidas entre nós. As conversas são bem esporádicas.

Atuação

“Não me considero decorativo, porque eu tenho algumas responsabilidades, algumas atribuições que me dão uma certa liberdade de manobra.

Erros dos dois lados

“Tanto do nosso lado aqui do governo, como do (governador) Doria (JP). Aí começa um chama de mentiroso, o outro chama de não sei o quê. Isso não é a política (…) Isso aí foi algo que, vamos dizer assim, fugiu à boa política. Essa é minha visão.

Ambiguidade

“A retórica do presidente é uma, mas o modo de agir é outro. Essa dicotomia pode ser alvo das críticas que tiverem que ser feitas, mas preste atenção nas ações.

Disputa no Congresso

(presidências da Câmara e do Senado) “Ali não tem ninguém que seja um inimigo figadal do governo. Pode ter um mais participativo, outro menos participativo em termos de cooperação com o governo, mas não são pessoas com pensamento totalmente distinto.

Alavancar

“Há a necessidade de o governo se colocar, fazer a economia dar uma decolada nesse ano, para que no ano que vem o presidente se apresente para a reeleição numa situação melhor.

Ministro

“Está em uma situação que passar para a reserva agora já perdeu a importância (…) O ministro (da Saúde) Pazuello tem que mostrar por meio desse inquérito (aberto no Supremo) que as ações da Saúde foram corretas e dentro dos prazos previstos.

Presidenciável?

“Não. Fui militar durante 46 anos da minha vida. Comandei tudo que você pudesse comandar. Então, a mosca azul não me pica aqui de jeito nenhum”.

Exonerado

A edição de ontem do Diário Oficial do Estado publicou a exoneração do deputado Hervázio Bezerra (PSB) do cargo de secretário de Esporte e lazer.

Prazo incerto

Esse retorno à ALPB – que poderá ser por tempo determinado, apenas para participar da eleição para os cargos vagos no Legislativo – provoca o retorno à condição de suplente de Lindolfo Pires (Podemos).

Indisfarçáveis

Hervázio confirmou, em declarações dadas ontem, o que APARTE antecipou no começo da semana: “Os acenos de Gervásio Maia para o governador Joao Azevedo não são mais segredo para ninguém”.

Líder

Hervázio também confirmou que o deputado Wilson Filho (PTB) assumirá a liderança governista, sucedendo a Ricardo Barbosa (PSB), que por sua vez deverá assumir a liderança do ´blocão´ – ´consórcio´ de legendas da base governista.

O detalhe

Provavelmente Ricardo Barbosa também disputará a presidência da Comissão de Constituição e Justiça da ALPB.

Preenchimento

Na abertura do ano legislativo na ALPB, nesta segunda-feira, será feita a eleição para dois cargos vacantes na mesa diretora: 1ª secretaria (era ocupada por Nabor Wanderley, atual prefeito de Patos) e a 2ª vice-presidência (o titular era o ex-deputado João Henrique, que faleceu há poucos dias).

Postulantes

João Gonçalves (Podemos) e Polyanna Dutra (PSB) deverão disputar a 1ª Secretaria; e Tovar Correia Lima (PSDB) a 2ª vice-presidência.

O detalhe

Hervázio poderá entrar nessa disputa.

Da boca de…

“… O governador João Azevedo é cordial, cortês e respeitoso (…) A reeleição dele é legítima (…) Sento com ele a hora que ele quiser…” (deputado federal Julian Lemos, do PSL).

O detalhe

O representante do PSL na ALPB, deputado Cabo Gilberto, é o líder do bloco de oposição.

Desabaram

De acordo com os dados divulgados pela Associação nacional que congrega o setor, os shopping centers tiveram em 2020 o pior faturamento dos últimos 11 anos: R$ 128,8 bilhões.

Da boca de…

“… Temos que ser bem claros. Qual era a finalidade da criação dessa comissão (sobre a vacinação em Campina)? Palanque político! Era para dizer às pessoas: eles (governistas) são insensíveis, não querem fiscalizar a pandemia. É para fazer discurso e demagogia…” (vereador Waldeny Santana, sobre o arquivamento da proposta de parlamentares oposicionistas).

O ´capitão´

“Se tiver um clima no Parlamento, pelo que tudo indica as duas pessoas que nós temos simpatia devem se eleger, não vamos ter mais uma pauta travada. A gente pode levar muita coisa avante, quem sabe até ressurgir os ministérios”.

Presidente Bolsonaro, ontem, em evento com esportistas.

O detalhe

Os ministérios que poderão ser recriados são: da Cultura, do Esporte e da Pesca.

Apêndice

A vereadora Carol Gomes (PSD) também participou, anteontem, de uma reunião do ex-prefeito Romero Rodrigues com vereadores campinenses filiadas à legenda.

Pé na…

“Campina precisa ter deputados que não só digam que a amam de boca, mas que venham aqui, que morem aqui e que conheçam a cidade. Estamos acostumados a ouvir muitos dizerem que amam mas nem aqui moram, nem aqui visitam”.

… Estrada

Vereador Alexandre Pereira (PSD-CG), ao informar que será candidato a deputado (federal ou estadual) no ano que vem.

Sábado é dia de poesia

“Quando fevereiro chegar/ Saudade já não mata a gente/ A chama continua no ar/ O fogo vai deixar semente/ A gente ri, a gente chora/ Ai ai, ai ai, a gente chora/Fazendo a noite parecer um dia…” (Geraldo Azevedo, cantor e compositor).

Guilhotina

Aliados do deputado Arthur Lira (PP-AL), candidato a presidente da Câmara Federal, querem que um de seus primeiros atos no cargo – se eleito – seja a destituição do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) da relatoria da proposta de reforma tributária.

Já fomos melhores de mitos...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube