Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 23/07/2016

Em busca da estrela

Outro palanque

Uma entrevista coletiva, na manhã de ontem, deu caráter oficial ao que já ecoava nos bastidores da politica paraibana: o deputado Manoel Alves da Silva Júnior (PMDB) não disputará as eleições deste ano em João Pessoa.

Ele revelou que “há 30 dias o PMDB/JP abriu diálogo com o prefeito Luciano Cartaxo (PSD). Não só o deputado Manoel Júnior, mas também o senador José Maranhão”.

Amortecedor

O peemedebista confirmou que a sua opção é apoiar a reeleição de Cartaxo, passando por cima das críticas que vinha fazendo à gestão municipal.

“Fazer política não é edificar muros”, filosofou.

Delegação

O ex-prefeitável fez menção a uma Resolução da Executiva Municipal do PMDB, que “por unanimidade outorgou” ao próprio Manoel Júnior “o direito de escolher entre os filiados da legenda” um nome para ocupação da vaga de vice-prefeito “numa provável aliança” com o prefeito pessoense.

Restrito

Acerca do grau de entendimento com Cartaxo, o deputado ponderou que “eu só tratei com o prefeito da incorporação do nosso projeto politico e plano de governo em pontos essenciais”.

´Na agulha´

Manoel Júnior deixou, nas entrelinhas, a ´janela aberta´ para a possibilidade de vir a ser o companheiro de chapa de Luciano.

“Eu sou elegível”, exclamou, para avisar em seguida aos jornalistas que “vai ser mais uma semana de suspense”.

Irrelevância

Ao comentar a desistência de Manoel Júnior, o senador Raimundo Lira (PMDB) deixou a pré-candidatura abortada rente ao chão: “Esta é a melhor solução política para o fortalecimento dos candidatos a vereador do PMDB na capital”.

Punhado de vices

Para tentar juntar os retalhos da coligação do PMDB com o PSB no Estado, Lira propôs um amplo acordo com os socialistas: o PMDB indicaria o candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Cida Ramos (JP); e o PSB indicaria os candidatos a vice-prefeito de Veneziano, em Campina; de Fátima Paulino, em Guarabira; e de Nabor Wanderley, em Patos.

Para o que…

Cida Ramos comentou a desistência de Manoel Júnior acentuando que “cada um sabe fazer suas escolhas e suas consequências; cada um é livre para escolher o caminho que quer”.

… Der e vier

“Qualquer decisão que venha, não terá impacto fundamental na minha campanha. Na política esperamos tudo. Eu posso dizer que estou pronta para qualquer cenário”, acrescentou.

Sem ´puro sangue´

Veneziano disse ontem na ´Campina  FM´ que “com certeza” não encabeçará uma chapa partidária nas eleições deste ano.

Ou seja, seu provável candidato a vice sairá de um partido coligado.

 

Pode mudar

De maneira surpreendente, o ´V´ afirmou que nas negociações com outros partidos a “cabeça de chapa” (a vaga de candidato a prefeito) não é “imexível” para o PMDB local, argumentando que “não tenho fixação pelo poder”.

Na totalidade

Mas ele registrou que se vir a ser eleito prefeito este ano, exercerá todos os quatro anos do mandato, o que implicaria em não disputar o governo em 2018.

Outra tentativa

Veneziano revelou que retomou na última quarta-feira os contatos com a deputada Daniella Ribeiro, do PP, e que recolheu dela a informação de que a definição partidária sairá ainda na próxima semana, mesmo a convenção (do PP) estando prevista para o dia 5 de agosto.

Escala

O governador Ricardo Coutinho esteve ontem em Campina para visitar obras e… conversar com o deputado/prefeitável Adriano Galdino (PSB).

Nada a declarar

Sobre negociações com o PMDB em João Pessoa para a eleição de prefeito, RC respondeu que “não tem negociação. E Ari (Arimatea), com a minha sinceridade habitual e respeito a você, se tivesse não iria dizer”.

Nada muda

“Em Campina nós temos candidato, e é Adriano Galdino. Nós queremos governar Campina com um novo projeto, com uma nova lógica de governança, construindo pontes com a sociedade, dinamizando e modernizando a gestão pública. Diferenciando daquilo que aí está. Nossa candidatura está na rua”, disse Ricardo sobre as especulações de que o PSB poderia abrir mão da candidatura própria em Campina, em troca do apoio do PMDB na Capital.

Reafirmação

“A candidatura de Adriano não é brincadeira e, em nenhum momento, está sendo discutida com quem quer que seja (…) Em João Pessoa e em Patos é outro cenário.

Condutor

“O comandante da campanha em Campina chama-se Adriano Galdino. Eu tento empurrar pra frente a campanha. Mas é Adriano quem conduz”.

Conversa com…

… Veneziano. “Foi mais visando emendas futuras no Congresso (Nacional). A Paraíba é um Estado que tem poucas emendas (…) Sobre eleição não entrou (em pauta)”, derivou Ricardo.

Afinados

“Veneziano é nosso aliado de gestão. Isso está completamente resolvido”, enfatizou o socialista.

Apoio imediato do PT

Questionado se estava buscando contar com o apoio do PT já no 1º turno da eleição em João Pessoa, o governador declarou que “eu tenho muito cuidado quando o tema foge ao partido ao qual estou filiado e passa para outros partidos. Eu não tenho como cogitar. Isso só poderia vir a partir de uma postura e vontade do outro partido. Como essa vontade não se expressa, eu respeito. Vamos adiante”.

– Agora é importante se demonstrar claramente quem é o adversário – acrescentou Ricardo Coutinho.

Por onde anda o prefeito Romero Rodrigues?...

Me Aguarde

Palanque

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube