Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

segunda-feira, 01/10/2018

Eleição vista de fora

Momento crítico

Classicamente, a publicação de editorial na 1ª página de um jornal é uma ocorrência não habitual, só utilizada quando o assunto requer adicional atenção por parte dos leitores da publicação.

Foi o que ocorreu, ontem, na edição do jornal Folha de São Paulo, tendo como mote a sucessão presidencial, que avança para a reta final do 1º turno.

APARTE reproduz trechos desse conteúdo, que significa a opinião da direção da mencionada empresa jornalística, uma das principais do País. É o que segue.

Regras do jogo
“Quem participa da eleição presidencial adere tacitamente a um contrato com a nação. Obriga-se a aceitar o resultado soberano das urnas em caso de derrota e, na outra hipótese, a respeitar a Constituição e os direitos fundamentais ao conduzir o governo.

Sem tergiversação

“O aceno a ideias autoritárias requer das duas candidaturas ora mais competitivas algo além da aceitação presumida das regras do jogo. Chegou a hora de expressarem compromissos definitivos com a democracia.

Postura

“Jair Bolsonaro, do PSL, tem lançado suspeição infundada sobre o sistema eletrônico de votação. Estimula paranoias de manipulação, mas apenas para o caso de não ser ele o vencedor do certame.

Hora da verdade

“O deputado federal pelo Rio de Janeiro precisa esclarecer ao país se vai continuar a se comportar como um nanico inconsequente ou se assumirá a maturidade necessária para colocar-se à altura da pretensão de governar o Brasil.

Inaceitável

“Não se toleram de um presidente brasileiro esse flerte grotesco com torturadores, essa iconografia basbaque da pistolagem, esse deboche rudimentar das mulheres nem esse desprezo epidérmico pelas minorias os quais Bolsonaro tem patrocinado. É o momento de corrigir, em linguagem clara, esse conjunto de afrontas ao patrimônio civilizatório.

Transparência

“Os eleitores têm o direito de saber, antes da votação, o que prega a campanha do capitão reformado sobre as atribuições do presidente da República. Pode desfechar um autogolpe e convocar uma constituinte de notáveis, como afirmou seu candidato a vice?

Slogan no lixo

“Manifestações de submissão ao enquadramento democrático também têm faltado a Fernando Haddad, do PT. O bordão “Eleição sem Lula é fraude”, cinicamente silenciado agora, carece de desmentido público.

Não há solução fora desta Constituição”.

O ´príncipe´

“Há um novo Brasil, que os partidos não vêm. A manifestação das mulheres passou longe deles. Quando despertarão? Sem o encontro do movimento das pessoas com as organizações políticas continuaremos com o país sem rumo.”

Fernando Henrique Cardoso, sobre o protesto feminino no sábado.

Sinal dos tempos

Um dos artigos que estão sendo muito vendidos por camelôs em Campina Grande é a camisa com a foto do presidenciável Jair Bolsonaro, ao preço (médio) de 20 reais.

Da boca de…

“… A mais forte defesa contra a extrema direita é um partido de direita moderado que seja vigoroso. Não podemos esquecer do papel que o PSDB – sempre vulnerável, hesitante e frouxo – teve no sucesso de Bolsonaro…” (cientista político Diogo Costa).

Palanque

“O candidato(Bolsonaro) que lidera nunca administrou um carrinho de sorvete e nunca combateu a corrupção”.

Presidenciável Álvaro Dias (Podemos).

Sem limites

Conforme o jornal ´Estadão´, petistas já preparam o próximo movimento a favor de Lula.

“Vamos iniciar uma vigorosa campanha nacional e internacional para o Lula ser agraciado com o Prêmio Nobel da Paz”, anunciou o deputado federal Vicentinho (PT-SP).

Na esteira

Nada impede posteriormente a deflagração de um processo de canonização do ex-presidente junto ao Vaticano.

Risco de calote

A Caixa Econômica Federal tem a receber R$ 21,4 bilhões de empréstimos concedidos a Estados e municípios sem o aval do Tesouro Nacional.

Calado

“Vou ficar igual ao frei Leonardo Boff. Vou ficar em silêncio obsequioso. É uma boa linha de ação”.

General Moura, candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro, diante da repercussão negativa de recentes declarações acerca da legislação trabalhista.

Situando

Leonardo Boff, renomado teólogo católico, foi penalizado pelo Vaticano (1985) diante de seus escritos sobre a Teologia da Libertação.

Palanque

“O candidato do PT foi blindado durante esse tempo todo de explicar por que nos governos Dilma/Temer o Brasil foi perdendo tudo de bom que havia no governo Lula”.

Presidenciável Marina Silva (Rede), em entrevista, sobre o seu concorrente Fernando Haddad (PT).

Aposta 

A Coca Cola anunciou que começa a fazer pesados investimentos na produção e comercialização de água de coco.

´Sem coração´

Único parlamentar do PDT no Legislativo campinense, Rodrigo Ramos acertou o apoio às candidaturas de Aguinaldo Ribeiro (PP) para deputado federal e Claudio Regis (PP) para a deputada estadual.

Palanque

“Nosso amor por Campina Grande tem sido demonstrado com obras e ações na cidade nas mais diversas áreas, e não com tapinhas nas costas e sorrisos”.

Candidato a governador João Azevedo (PSB).

Os favoritos

Reportagens do jornal O Estado de São Paulo apontou duas candidaturas majoritárias “com perspectiva” de vitória na Paraíba.

São elas João Azevedo (PSB), para governador, e Cássio Cunha Lima (PSDB) para o Senado.

O que anda fazendo o prefeito de João Pessoa?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube