Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 11/06/2016

Efeito do reatamento

A era da negociação

Na abertura do XIX Encontro de Magistrados Paraibanos, na noite desta sexta-feira, em Campina Grande (Garden Hotel), o ministro Paulo de Tarso Sanseverino, do Superior Tribunal de Justiça, enfatizou os avanços inerentes ao novo Código de Processo Civil, particularmente a valorização da mediação.

Ele citou também a inovação, no âmbito judicial, com a realização de audiência pública, que se constitui – em sua opinião – “numa ferramenta excelente”.

Inovações

O ministro discorreu sobre as mudanças de gestão empreendidas no STJ para fazer decrescer o acúmulo de “recursos repetitivos”.

Ou seja, ações semelhantes que avolumam a quantidade de pendências nos tribunais superiores.

Siamesas

“Justiça e igualdade são dois valores que caminham juntos desde a época de Aristóteles (filósofo grego)”, proclamou Sanseverino.

Vem aí

O presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Claudio Pacheco Prates Lamachia, visitará Campina Grande no próximo dia 28.

Da boca de…

“… O impeachment depende de crime de responsabilidade. Mas, no presidencialismo brasileiro, se você procurar com lupa, é quase impossível não encontrar algum tipo de infração pelo menos de natureza orçamentária. Portanto, o impeachment acaba sendo, na verdade, a invocação do crime de responsabilidade, que você sempre vai achar, mais a perda de sustentação política…” (ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal).

Uma centena

O ex-deputado Ruy Carneiro, presidente do PSDB na Paraíba, informou que a legenda lançará este ano no Estado “quase 100” candidatos a prefeito.

Garimpo

Pinço para o leitor algumas das declarações dadas esta semana pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, na entrevista exclusiva que concedeu ao programa ´Ideia Livre Política & Economia´, da TV Itararé.

Ontem…

“A principal dificuldade do governo afastado foi enfrentar as questões da economia. O Brasil vive uma conjuntura econômica muito difícil e desfavorável. O governo anterior não conseguiu as condições que nos fizesse sair desse momento difícil.

… E hoje

“Hoje, nós temos um governo interino, mas que efetivamente traz propostas diferentes; um governo que mostra mais força no Congresso Nacional, algo que é muito importante.

 Dever de casa

“As propostas do governo estão na linha correta. Num primeiro momento temos que impor sacrifícios ao governo, cortar gastos. Num segundo momento, quando encontrarmos o reequilíbrio (fiscal), a gente poderá apresentar propostas para o crescimento do País. Temos motivos hoje para estar confiando mais na retomada do crescimento.

 

Dotações 

“Os investimentos (no ministério) serão limitados, compatíveis com as dificuldades que tem o País e o governo também. Não podemos gastar mais do que temos. Precisamos dar o exemplo.

Afastamento

“Qualquer pesquisa que se fizesse era bastante favorável à troca de governo, principalmente por conta da dificuldade das pessoas. Nem falo nas denúncias de corrupção.

 Reversão

“O que eu percebo na sociedade como um todo é uma sensível melhora na opinião das pessoas sobre o futuro do País. O astral melhorou. Os empreendedores estão mais confiantes em superar a crise, já sonhando em voltar a investir”.

Encalhe 

Depois de revelar que existem em seu ministério 100 mil processos à espera de tramitação, Kassab observou que “tudo que fica muito tempo na prateleira não tem explicação”.

Celeridade

“Nós vamos informatizar, acabar com a burocracia e dar um exemplo de eficiência. Vamos também fazer uma avaliação das atribuições (do ministério) que possam ser transferidas para a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

Deve sair

Ainda Kassab: “Eu defendo o impeachment, como presidente do partido (PSD) e como cidadão. Agora, tenho o mais profundo respeito por quem não defende.

Mudanças

“O Brasil precisa o mais rapidamente possível fazer as reformas políticas, que são simples. 1ª) A partir de 2022, o partido que não tiver 2% dos votos para deputado federal em todo território nacional e 2% em 14 Estados, não terá direito a nenhum centavo do Fundo Partidário e a nenhum segundo no horário gratuito no rádio e na TV, nem a participar de debates.

Sem migrar

“Os futuros prefeitos e governadores não poderão mudar de partido, sob pena de perder o mandato.

Outra proposta

“A partir de 2020 ficará proibida coligação na eleição proporcional. Estaria feita a reforma política”.

Da boca de…

“… A humanidade não deu certo. Temos que começar tudo de novo…” (Luciano Huck, apresentador da Rede Globo, sobre a miséria no Haiti).

Distante do ´mago´

Com o passar do tempo e a diluição da conversa recente entre os deputados Veneziano (PMDB) e Daniella Ribeiro (PP), começam a vir à tona cenários e conjecturas possíveis para o quadro sucessório deste ano em Campina Grande.

Um desses cenários (mencionado pelos interlocutores acima referidos) seria a formação de uma coligação oposicionista, já para o 1º turno, apartada da influência direta do governador Ricardo Coutinho (PSB).

Nessa equação, o entendimento poderia avançar para uma chapa que englobasse Daniella e a ex-primeira dama de Campina, Ana Cláudia, esposa de Veneziano.

Em que deu a ´CPI do ex-tesoureiro´ na Câmara campinense?
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube