Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 03/03/2018

Dissimulações ´tucanas´

Alado e ousado

Há um adágio popular que diz mais ou menos assim: ´quero mais é ver o mar pegar fogo, pra comer peixe frito´.

Subtraído o componente trágico que seria a materialização da frase ao pé da letra, resta o sentido desejado: um desmonte total do que seria minimamente racional.

Aplique-se o conceito ao senador José Maranhão (MDB), por ora um livre (e cômodo) atirador dentro do processo eleitoral em curso.

À espera

Ainda sob os ´escombros´ da desistência de Luciano Cartaxo (PSD) em concorrer ao governo estadual, Zé ocupou a imprensa ontem para manifestar o desejo de ter o prefeito da Capital em seu palanque.

Reciprocidade

“O apoio do prefeito à minha candidatura seria uma retribuição do que eu já fiz por ele. Mas a iniciativa é dele. Eu admito que pode haver essa atitude dele”, comentou JM, deixando a aparente sensação de que se considera ´blindado´, pela idade que acumula, de escutar desaforos publicamente.

Quebrar o gelo

O senador disse que tentou um contato com o vice-prefeito pessoense Manoel Júnior (MDB), e foi informado de que ele estaria em viagem ao exterior.

Escolhido

O prefeito Romero Rodrigues anunciou ontem que o advogado Diogo Flávio Lyra Batista, que respondia pela chefia da Procuradoria Geral do Ipsem, assumirá interinamente a chefia de gabinete da PMCG.

Enfoque

“Uma posição madura, sensata e tranquila”.

Eis a expressão verbalizada pelo secretário de Articulação Política da prefeitura pessoense, Zennedy Bezerra, para conceituar o gesto de Luciano Cartaxo de abandonar a pré-candidatura a governador.

Causas

Para Zennedy, “não houve fritura” do nome de Luciano.

“O que houve foi indefinição. Foi uma posição equivocada, embora legítima” de parte oposição, emendou.

Divisão

O auxiliar do prefeito acentuou que a pré-candidatura de Maranhão “quebrou a unidade das oposições. Mas é legítimo, ele é presidente estadual do MDB”.

Oposto

“Isso tudo levou a essa indecisão. De certa forma, há dissonâncias cognitivas (contradições), porque diziam que tinha que ter unidade das oposições, só que na prática o que havia era fracionamento de candidaturas”, diagnosticou Zennedy.

Precoce

O secretário se permitiu registrar que “quando o PSDB resolveu apoiar Ricardo Coutinho, a decisão foi em 19 de janeiro de 2010”.

Desafio

O secretário da PMJP disse à ´Correio FM´ que “espero que o senador Maranhão aproveite a oportunidade e apresente um projeto político que possa ser próximo à gestão de resultados que o prefeito Luciano vem ofertando à cidade de João Pessoa e poderia ter ofertado à Paraíba”.

Reação…

Zennedy Bezerra realçou que “a relação de Manoel Júnior com Cartaxo sempre foi a melhor possível”.

… Do vice

“Não creio em estremecimento em relação a Manoel Júnior, porque ele é um político experiente e maduro, e sabe exatamente o que as circunstâncias apresentam, e nem sempre o que a gente almeja é possível realizar”.

´Bico calado´

As principais lideranças do PSC no Estado estiveram reunidas na 5ª feira e decidiram promover uma ´quarentena´ de aproximadamente 10 dias, até que fique mais claro o novo cenário eleitoral nas oposições paraibanas.

Adeus

Foi a óbito ontem o conhecido médico psiquiatra campinense Genival Duarte dos Santos, que foi por muito tempo diretor médico da Clinica Dr. Maia.

O seu corpo está sendo velado no cemitério Campo Santo Parque da Paz.

Acadêmica

Quem também faleceu ontem foi Josefa Dorziat, professora de vários colégios de Campina Grande (e da UFCG), que ocupava a cadeira 34 da Academia de Letras de Campina Grande.

Despedida

Ela estava com 95 anos e residia em João Pessoa.

O seu velório ocorre em Campina Grande, na mortuária ´A Viagem´ (São José). O sepultamento será às 10h de hoje.

Longevidade

Aproveito a edição de hoje para publicamente externar as condolências ao amigo padre José Assis Pereira Soares (CG) e à sua família, diante do chamado à presença de Deus do seu pai, ´seu Soares´, na madrugada de ontem.

Ele estava às vésperas de completar 101 anos de idade.

 

Exemplo

Fortalecido pela fé, o sacerdote presidiu as cerimônias fúnebres do seu genitor, na tarde de ontem, destacando a certa altura que “meu pai nunca elevou a voz nem a mão para ninguém”.

Cumplicidade

Padre Assis salientou aos presentes que “um companheirismo” de 76 anos “hoje (ontem) se desfaz”, ao mencionar a duração do matrimônio de seus pais.

Excepcionalmente

Um sábado não de poesia, mas de invocação a Dom Hélder Câmara (memorável arcebispo de Olinda e Recife), uma admiração cultivada há muitos anos tanto pelo padre Assis como por este colunista: “Feliz de quem atravessa a vida inteira tendo mil razões para viver”.

´Porta-voz´

Coube ao vereador Alexandre do Sindicato (PHS), vice-líder do Governo na Câmara campinense, reforçar, ontem, o ´estado de espírito´ do bloco com relação à sucessão estadual, no desdobramento da nota da bancada, divulgada na noite de quinta-feira e que – literalmente – produziu inesperada e desmedida pressão sobre o senador Cássio Cunha Lima.

Contra a parede

Alexandre ampliou o seu campo de mira para o ex-deputado Ruy Carneiro, presidente do PSDB/PB: “O próprio Ruy não tem mais motivo para não apoiar a indicação do nome de Romero”.

Cobrança

“Ele (Ruy) tem um compromisso partidário e tem muitas explicações a dar, caso não faça o seu papel como partidário do PSDB”, reforçou.

Timoneiro

Incisivo, o vice-líder afirmou na ´Correio FM´ que “o grupo de Campina dos vereadores tem um compromisso com Romero (…) O caminho que o prefeito adotar ou tomar, essa será nossa direção e o nosso posicionamento. Seguiremos toda a orientação do prefeito”.

Preparativo

Alguns ´cardeais´ do PSDB paraibano se reuniram em João Pessoa, ontem, numa espécie de ´preliminar´ da reunião que o senador Cássio está organizando com dirigentes de partidos oposicionistas para este final de semana.

Surreal

Presente a essa conversa, o ex-senador Cícero Lucena Filho foi abordado por jornalistas pessoenses à saída do local.

O diálogo é – ao mesmo tempo – insólito e monossilábico. Confira.

Tangenciando

Repórter: Qual a avaliação que o senhor faz do encontro de hoje (ontem) e do cenário político do Estado?

Cícero: “Eu vim só matar a saudade e me encontrar com os amigos e ouvir”.

Repórter: Ouvir o que?

Cicero: “Ouvir o que todo mundo está ouvindo: que Luciano não é mais candidato”.

Descarte

Repórter: Nos últimos momentos, o seu nome foi ventilado para disputar o governo estadual. Essa saudade tem como ser revertida?

Cícero: “Duas palavras: Tô fora”.

Mudez

Repórter: Mas o senhor deu opinião ai (no encontro).

Cícero: “Ouvi”.

Repórter: Não falou nada?

Cícero: “Não. Só ouvi”.

Chamado

Repórter: O senhor tem dito que está fora da política. Mas é visto constantemente em reuniões, em articulações…

Cícero: “É que alguns amigos querem me ver e matar a saudade, e eu sempre me faço presente”.

Evasivo

Repórter: Mas deu opinião sobre o melhor candidato para o partido agora…

Cícero: “Não emiti opinião em relação a isso”.

Repórter: E qual a sua opinião, dê pra gente aqui?

Cicero: “Vamos aguardar. Eles que estão na política é que vão decidir”.

Escapuliu

Repórter – Cássio é um bom candidato?

Cícero: “Eles e outros”.

Pedro (Cunha Lima)?

Cicero: “Não sei”

Repórter: Romero?

Cicero: “Não sei”

Repórter: Cícero

Cícero: “Não sei”

´Mal na foto´

Acontece que um dos participantes dessa reunião ´tucana´ revelou à ´Correio FM´ que Cícero falou e alertou que o PSDB tem nas mãos a chance de não cometer o mesmo erro que cometeu nas eleições de 2014 – quando hesitou e não celebrou uma aliança com o MDB.

Lucena defendeu que o partido apoie a candidatura de José Maranhão.

Por que Cartaxo antecipou tanto a desistência?...

Me Aguarde

Palanque

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube