Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

segunda-feira, 06/08/2018

Disputa em campo aberto

Os blocos nas ruas

Três grandes convenções movimentaram o final de semana em João Pessoa, dando a efetiva largada no processo eleitoral paraibano.

A seguir, um resumo dos principais pronunciamentos nesses eventos.

Não recuar

No seu discurso na convenção do PSB, no sábado na casa de shows Forrock (JP), o deputado (e pré-candidato a senador) Luiz Couto (PT) realçou que “nós temos um compromisso de não permitir que a Paraíba venha para um retrocesso”.

Apelo conjunto

“Vamos eleger os dois senadores (da coligação) para dar suporte ao presidente Lula”, apelou o petista.

Garantia

Ao tratar especificamente de sua candidatura, Luiz Couto afirmou que “vocês podem ter a certeza de que não terão desgosto ao votar neste deputado para senador. Vocês terão um senador que não vai trabalhar contra a Paraíba, que não vai votar contra os direitos dos trabalhadores”.

´Karaokê´

O deputado/padre encerrou o seu pronunciamento puxando o coro de uma música do compositor (já falecido) Gonzaguinha: “Viver e não ter a vergonha de ser feliz”.

Saudação

Ao usar da palavra na convenção socialista, o deputado Veneziano (pré-candidato ao Senado) saudou Luiz Couto como “querido parceiro”.

Cutucada

Ele disse que ambos são “dois cidadãos que não virarão as costas aos trabalhadores brasileiros, como os que estão lá o fizeram”.

“Vamos fazer um trabalho que vai orgulhar a Paraíba”, acrescentou.

´Maestro´

O ´V´ ressaltou que a Paraíba tem um “projeto” administrativo que “é conduzido com maestria por Ricardo Coutinho”.

“As nossas responsabilidades (como candidato) são gigantes”, assinalou.

Contemplação

Vice-governadora Lígia Feliciano: “(observo) Uma multidão unida num só coração, para levar João (Azevedo) para dar continuidade ao governo estadual”.

Sem delongas

Lígia – que se sentiu mal durante a solenidade – fez um discurso breve e ressaltou que “é muito importante a participação das mulheres na política”.

Sensação

“Sinceramente, tenho o sentimento de que estou no rumo certo. O rumo certo que mudou a Paraíba desde 2011. É uma nova forma de governar, comandada por Ricardo Coutinho”, asseverou a sua companheira de gestão.

Sequenciar

“Agora existe a responsabilidade, de cada um de nós, de dar continuidade a essa obra”, emendou a vice.

´Mago´

Trechos do discurso de Ricardo Coutinho na convenção socialista: “Escolher João, sinceramente, foi para nós todos uma tarefa muito fácil.

Preparado

“João conhece profundamente tudo aquilo que eu pude representar nesses quase 8 anos. João não precisa aprender nada, como alguns que estão aí ainda buscando aprender o ´bê-á-bá´ da política e da administração pública.

Sem interrupção 

“João não vai parar o Estado, puxando o freio de mão da truculência e da ignorância. João vai aprofundar as mudanças que construímos ao longo desses quatro anos.

Pedido

“João, governe esse Estado com a garra e o compromisso que cada um de nós tem aqui. E antes de governar, ganhe as eleições. Mas não ganhe de pouco não. Ganhe de lapada! Ganhe de goleada! Faça com que o atraso desapareça do nosso Estado.

Vice

“Ligia (Feliciano), até nos momentos de distanciamento – meu com ela ou dela comigo – mais recentes, não temos dificuldade de falar sobre isso. Nós não somos como o outro lado, que esconde os ódios que eles têm uns contra os outros.

“Bando”

“Eles não formam um time; formam um bando querendo tomar a política para poder fazer conluio com as suas respectivas famílias. É isso que eles representam.

Sem críticas

“Nós nunca tivemos uma única crítica (da vice) ao projeto administrativo e político que a Paraíba aprendeu a respeitar. Podem pesquisas em qualquer blog ou jornal, em qualquer de declaração. Todas as declarações mútuas sempre respeitavam o projeto. Lígia continua nessa nobre função de ser a atual e futura vice-governadora desse Estado.

“Troco”

“Nós sabemos que a nossa representação no Senado não tem sido coisa fácil. É por isso que nós nos preparamos para nessa eleição nós darmos o troco do povo contra aqueles que estiveram contra o povo.

Diversidade

“Esse palanque é múltiplo sim, tem as suas diferenças. Mas tem uma grande convergência, que é a defesa de dias melhores para povo da Paraíba.

Atitude

“Só se faz política com coragem. Não se faz politica com covardia ou com medo. Não se faz política colocando os interesses individuais, particulares, acima dos interesses coletivos.

Parentesco

“Eu não podia oferecer, como governador, qualquer chapa. Eu não podia dar a opção ao povo da Paraíba de qualquer candidatura. Eu não teria coragem, porque eu tenho vergonha na cara de pegar o irmão e botar do outro lado. Definir a esposa do outro prefeito para ser a vice do meu irmão. E pegar o primo do outro prefeito para poder ser senador. E pegar a filha do outro vice-prefeito para poder ser senador.

Perceptível

“Esse negócio não pode dar certo! A Paraíba não pertence a quatro famílias! A Paraíba pertence ao povo! Não se pode fazer política dessa forma.

Sem genuflexão

“Nós não nos ajoelhamos para aqueles que não conseguem honrar o povo. Ando de cabeça erguida por essa Paraíba.

Desconstrução

“Tem senador aqui dentro desse Estado que não merece o voto de nenhum paraibano. Tem senador nesse Estado que não esteve à altura, não teve dignidade, não teve estatura de nos representar. Teve senador que conspirou contra a democracia.

´Pijama´

“Vamos ter a oportunidade de aposentar alguns políticos que não fazem bem ao povo e envergonham a Paraíba”.

Via da mudança

Trechos do discurso de João Azevedo: “Esse é um ano tão complicado, mas acima de tudo tão importante. Um ano que tentam criminalizar a política. E nós sabemos o quanto a política é importante nas nossas vidas. Só há mudança, só há transformação na sociedade através da política.

Recente

“Precisamos dar continuidade a esse projeto. Esse é um projeto que tem muito pouco tempo. A Paraíba só se acostumou com grandes obras, com grandes realizações, com políticas de inclusão nesses últimos 8 anos. A democracia participativa implantada nesse Estado é muito novinha, só tem 8 anos. Precisamos dar muito mais impulso.

Pé no chão

“Eu sei o que eu farei no dia 1º de janeiro de 2019. Eu sei quais serão as medidas que serão tomadas para que não tenhamos solução de continuidade.

Posteridade

“Os homens públicos não passarão à história pelos seus discursos, mas pelos seus atos, decisões e tomadas de posições. Política se faz escolhendo lado, não preocupado se vai perder ou ganhar.

Timoneiro

“Eu não tenho dúvida nenhuma: eu serei o engenheiro que construirá o futuro da Paraíba.

Espelho

“Não faço política por ambição, mas por vocação”.

Prece

Veio o domingo e a convenção do PV/PSDB, começando com o discurso do prefeito Romero Rodrigues (PSDB): “Nesse instante, peço a Deus a sua proteção para todos os nossos candidatos, para as nossas vidas. Para que Ele nos dê sabedoria, serenidade e discernimento na condução dessa campanha.

Enfrentamento

“Vamos lutar contra uma máquina administrativa forte e contra um governador que vive de praticar a perseguição nesse Estado inteiro (…) Ele não tem solidariedade nenhuma com as pessoas que mais precisam”.

Recuo & avanço

“Quero agradecer de forma muito especial a Campina Grande, por ter nos ajudado a chegar até aqui. Recuamos no momento certo. Demos um passo atrás para dar um, dois ou três adiante apoiando a candidatura de Lucélio Cartaxo, que representa o melhor para Paraíba.

Dedicação

“Mesmo não tendo sido candidato, estou muito tranquilo e a cabeça boa. Não ficou nada de rancor ou de ressentimento. Pelo contrário. Eu me represento na sua candidatura. A sua (Lucélio) candidatura é como se fosse a minha. O trabalho que faria para mim é o trabalho que farei pra você.

Nova fase

“A partir de 1º de janeiro vamos viver uma nova história, onde será possível realizar parcerias.

Farpa

“O governador, além de não ajudar, ele inventou mentiras para tentar diminuir a grandeza da festa (Maior São João do Mundo) e tentar macular a imagem de Campina Grande no Brasil inteiro.

Duplicação

“A presença de Micheline (sua esposa) na chapa é como se eu tivesse a responsabilidade dobrada em Campina e região. Votando em Lucélio e Micheline, você vai estar votando em mim duas vezes”.

Resposta

Prefeito Luciano Cartaxo (PV-JP: “Eu diria que nós não vamos dar lapada em ninguém, porque aqui ninguém incita a violência. Nós somos da paz, do diálogo, do trabalho. Mas diante da presença de vocês, eu não tenho a menor dúvida: nós vamos fazer barba, cabelo e bigode nessa eleição. Vamos eleger Lucélio governador; vamos eleger Daniella a primeira mulher senadora pela Paraíba; vamos reeleger Cássio.

Sem confrontação

“Aqueles que gostam da briga estão na atividade errada, porque a nova política é a política do diálogo, do entendimento, do cuidar das pessoas; dos resultados que são apresentados no dia a dia. É isso que nós estamos fazendo em João Pessoa e que o prefeito Romero está fazendo lá em Campina.

Demanda

“João Pessoa precisa de um governador que seja parceiro da cidade e de todos os municípios do Estado (…) Um gestor, acima de tudo, tem que cuidar das pessoas, das famílias e das crianças.

Sensível

“Cimento sem sentimento não nos leva a caminho nenhum. Nós queremos um gestor que tenha trabalho, resultados, mas que tenha sensibilidade social.

“Mau humor”

“A Paraíba não aguenta mais quatro anos de mau bom, de rancor e de perseguição. A Paraíba quer respirar novos ares e seguir em frente. Não é possível congelar o tempo, como eles estão querendo.

“Panela”

“Não adianta tentarem baixar o nível da campanha, porque fizeram isso em 2012 e em 2016 e perderam. E se fizerem em 2018 vão perder de novo. O povo não aguenta mais essa panela de pressão que é o governo do Estado, que não consegue ter sensibilidade para fazer diálogo e parceria com os prefeitos. João Pessoa, em seis anos, não tem uma única parceria com o Estado.

Descrença

“O atual governador acha que tudo pode fazer sozinho. Eu não acredito em governo de um homem só. Na vida e na política a gente tem que dar as mãos”.

Visitante

O candidato a vice-presidente na chapa da presidenciável Marina Silva (Rede), Eduardo Jorge (PV) este na convenção de Lucélio no Clube Astrea (JP).

Estagnação

O que disse Eduardo: “Nós vivemos uma eleição dramática para o Brasil. Com o naufrágio do ´titanic´ Dilma/Temer, em 2014, o Brasil está parado há quatro anos.

Terreno fértil

“E nesse desespero, nessa crise social, econômica e ambiental, os aventureiros lançam as suas redes para colher frutos no desespero do povo.

Risco iminente

“Temos hoje o perigo da polarização, da divisão, que está levando o povo brasileiro ao sofrimento. É o candidato da ´extrema A´ contra o candidato da ´extrema Z´. Um com a violência; outro prometendo que se o ´ ex´ voltar todo mundo vai ser feliz, como se ele fosse mágico (…) Se um deles vencer essa eleição, o Brasil perderá mais quatro anos de trabalho e de paz”.

Desejo

Daniella Ribeiro (PP), candidata ao Senado: “Quero uma Paraíba onde os nossos filhos possam brincar no meio das ruas e nas praças; possam sair com tranquilidade.

“Revolução”

“Se a gente não fizer uma revolução na educação básica, dificilmente as oportunidades virão para os jovens.

Pioneira

“A Paraíba pode fazer história nesse momento elegendo a primeira mulher paraibana a chegar ao Senado. Não por vaidade, não por desejo individual. Mas pelo compromisso com o povo, com o trabalho, determinação e construção de vida”.

Virar a…

Senador Cássio Cunha Lima (PSDB): “Hoje estamos começando uma nova etapa. E quando se começa uma nova etapa, é porque significa dizer que um ciclo terminou. E o ciclo do atual governo acabou.

… Página

E sem ranço, sem ressentimento, com um espírito de contribuição, de unidade, de integração, nós faremos com que a Paraíba volte a ter 223 municípios, pondo fim à perseguição e à discriminação, que riscou do mapa dezenas de cidades do nosso Estado.

Oportunismo

“A política não pode ser espaço apenas de oportunismo. Não pode ser construída como algo utilitário: quando serve, junta; quando não serve mais, descarta”.

Inspirador

Candidata a vice-governadora Micheline Rodrigues (PSDB): “Me sinto muito honrada por representar hoje a mulher paraibana. Esse homem (Romero) é a minha inspiração todos os dias. Eu amo você!”

Representação

“Aceitei a missão e o compromisso de defender todas as mulheres paraibanas, com muita firmeza e determinação (…) Vamos dar um basta no governo que governa para poucos!

Única via

“Não há como este Estado avançar se não for pela educação. Há 8 anos atrás, Cássio deixou mais de mil escolas estaduais neste Estado, e hoje nós temos 50% dessas escolas fechadas. Ele deixou 125 mil alunos matriculados no ensino médio. E hoje nós temos apenas 115 mil alunos matriculados. E é por isso que o senhor (CCL) merece e deve ter a nossa confiança.

União

“Estaremos juntos por uma Paraíba maior, com mais esperança. Quando o povo se une e tem a bênção de Deus, não tem como dar errado”.

 Bolsões

Lucélio Cartaxo, candidato a governador: “A Paraíba ainda tem uma agenda antiga a ser vencida. Nós não podemos mais aceitar que 41% de sua população sobreviva com R$ 400 por mês. Na margem ou abaixo da linha de pobreza. Isso é algo muito triste de nossa história. Nós não podemos nos acomodar e nos acostumar com uma realidade como essa.

Procedência

“Eu venho da base, da militância política. Eu tenho um trabalho social importante. Eu não esperei ser governador do Estado para colocar a mão na massa.

Sem “guerra”

“Acreditamos que a guerra pela guerra não constrói. Eles (adversários) têm que apreender que a política mudou. O forte da nova política é o entendimento, o diálogo. E foi isso que permitiu que a gente formasse uma aliança tão importante como essa. Nós somos da luta do dia a dia, que constrói.

Proximidade

“A minha forma de fazer política é perto das pessoas, sentindo o calor humano, olho no olho.

Sem atropelos

“Nós não iremos colocar o Estado de cabeça para baixo. O que está funcionando bem, vamos manter e aperfeiçoar. O que não está funcionando bem, é lógico que vamos corrigir.

“Sem lapada”

“Nós não vamos dar lapada em ninguém. Mas, sem sombra de dúvidas, como bom sertanejo que sou, vamos fazer uma chuva de votos.

Lema

“A partir de agora é trabalho, vitória, esperança e amor!”

Em cima da hora

A certa altura, Lucélio parou o seu discurso para anunciar a chegada do apoio do PSC, nas pessoas dos deputados Marcondes e Renato Gadelha.

´Cavalo de pau´

O vice-prefeito pessoense Manoel Júnior (PSC) voltou atrás na candidatura ao Senado e virou candidato a deputado federal.

“Por amor”

No Esporte Clube Cabo Branco ocorreu a convenção do MDB. Primeiramente o candidato a senador Roberto Paulino: “Vocês vieram aqui por amor à Paraíba e por amor a uma causa; por amor à honestidade e por respeito à coerência. A Paraíba disse e o Brasil pede: candidatos ficha limpa.

O necessário

“Aqui estão pessoas humildes e pobres, sem contracheques. Para encher o ´Cabo Branco´ não precisa de contracheques. Precisa ter um nome como José Maranhão, que vai mostrar ao Brasil como se ganha uma eleição.

Liderança

“Maranhão já é 1º lugar em Campina Grande. Em João Pessoa, também.

Pesquisas

“Por que Roberto Paulino, um matuto, um homem simples, é candidato? Sou candidato porque confio na inteligência do povo paraibano e porque nós temos pesquisas.

Coerentes

“O Brasil está pedindo candidatos com coerência. Candidato que nunca esteve na ´Lava Jato´ e não vai estar.

Assustado

“Tem por aí candidato que treme quando vê um guarda noturno, não é nem a Polícia Federal. E são esses os homens que a Paraíba quer? Não!

Sinuoso

“Não esperem de mim discursos bonitos nem frases de efeito no Congresso. Tem um candidato que votou e até hoje o Brasil não sabe como ele votou no impeachment da Dilma (Rousseff). Já comprei um dicionário e entrei no Google e não descobri ainda.

´Na praça´

“Tem gente aí com quase oito anos de vida pública e está mais sujo do que poleiro de pato”.

Calada da noite

Bruno Roberto (PR), candidato a vice-governador: “A desinteligência dos nossos adversários achava que desistiríamos das nossas pretensões. As movimentações mais covardes enveredaram-se pela madrugada, como sempre estão habituados a fazer: nas escuras e nas sombras, nada à luz do dia.

Sem recuo

“A Paraíba ficou perplexa diante de todas essas movimentações. Mas nós não sucumbimos. Nós não haveremos de desistir. E sabíamos desde o princípio o que nós defrontaríamos. E se lá falta honestidade e lealdade, nesse palanque tem de sobra. Mas do que impor a eles a derrota, nós haveremos de mostrar a eles o significado dessas qualidades: dignidade e lealdade. Nós não capitularemos de maneira nenhuma.

Convicção

“Nós estamos contundentes no nosso propósito, e não abdicaremos dele. Temos a convicção profunda de que, de fato, somos detentores do melhor projeto e do melhor nome (para governador).

“Aventureiros”

“Maranhão detém, indiscutivelmente, a experiência para poder administrar o Estado, diferentemente de outros aventureiros, cujo grupo político sequer consegue entregar uma obra na ´Beira Rio´ (avenida pessoense) em prazo hábil. Nós também temos a ficha limpa. É indispensável pontuar, com a devida importância, esse aspecto.

Asfixia

“Os impostos não podem ser utilizados para asfixiar o povo paraibano. O nosso desenvolvimento econômico é uma absoluta vergonha.

“Abismo”

“Continuar com essa gestão (do PSB) é caminhar para uma catástrofe administrativa. Estamos caminhando para o maior abismo fiscal que a Paraíba pode se defrontar.

Queda

“De 2015 para cá a Paraíba perdeu mais da metade de sua capacidade de investimento. O desespero é tamanho, que estão sacando recursos previdenciários da PB-Prev”.

“O melhor”

Candidato a governador José Maranhão: “Os que estão aqui estão envolvidos com uma causa de amor à Paraíba, porque querem a melhor escolha.

Recusa

“Nós nos negamos a fazer acordos espúrios, com a velha política. Nós não cedemos aos acordos espúrios que foram feitos. Por isso não corremos atrás de cargos ou de tempo no guia eleitoral.

Dá pro gasto

“O tempo (no rádio e na TV) do MDB, do PR e do Patriotas (partidos da coligação) será o suficiente para levar uma mensagem de verdade e de honestidade ao povo da Paraíba.

Fadiga

“A Paraíba está cansada, e envergonhada também, de ver os homens públicos envolvidos na ´Lava Jato´. Alguns presos e outros com processos cabeludos. A Paraíba exige de seus homens públicos a honestidade com a coisa pública, além da competência.

Inovar

“Vamos fazer um governo diferente, novo, porque novas são as ideias que se abriram na minha cabeça. Eu sou velho, mas não sou velhaco como muitos que têm por aí. Sou velho, mas assumo ideias tão novas. Desde o começo da história da humanidade, o que prevalece é a experiência e a inovação espiritual.

Cambaleante

“A segurança da Paraíba anda muito mal.

“Para todos”

“Quero fazer um governo para todos, não apenas para alguns. Não apenas para os contracheques. Vou fazer um governo que respeite o direito das mulheres.

Sem negociatas

“Eu fiz durante o período pré-eleitoral aquilo que deveria ser feito, sem ceder aos cambalachos da velha política do ´toma-lá-dá-cá´. Não queria fazer alianças pagando o preço espúrio que foi pago. Tenho respeito aos paraibanos.

O que importa

“Não são os partidos políticos que votam. Quem vota é o eleitor. Eu vou contar com esse voto cidadão, independente e republicano”.

Pausa

A vereadora pessoense Raíssa Lacerda (PSD) interrompeu o discurso de Maranhão, tirou as sandálias e disse no microfone que a campanha de Zé era “uma campanha de pés descalços”.

“Aqui não tem contracheque”, bradou.

Resto da chapa

A suplente de deputada Eva Gouveia (PSD) foi confirmada como a 1ª suplente de senadora na chapa de Cássio Cunha Lima.

Isa Arroxelas (ex-secretária de Ação Social do Estado) será a 2ª suplente.

Incógnita

Daniella Ribeiro informou ao final da convenção que os seus suplentes ainda não estavam indefinidos.

Padre

O deputado Luiz Couto (PT) terá como 1º suplente na disputa ao Senado Edvaldo Rosas, presidente do PSB/PB, que inicialmente chegou a ser anunciado como suplente de Veneziano.

O 2º suplente deverá sair dos quadros do PT.

Via DEM

Coube ao Democratas indicar o 1º suplente de Veneziano (PSB) na disputa para o Senado: João Teodoro, presidente licenciado do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci).

O 2º suplente seria indicado pelo PTB.

Rebuliço

A noite do domingo foi de turbulências em praticamente todas as principais coligações, por desencontros acerca da formação das subcoligações (coligações proporcionais).

Ameaça de pular fora

No caso da oposição, os partidos que ficaram de fora da coligação do PP para deputado federal (PP, PTC e PHS) não queriam aceitar a legenda na coligação para deputado estadual.

Houve até a cogitação de abandono da coligação majoritária por parte do PP (Progressistas).

Faltou espaço...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube