Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 27/03/2021

Disputa acirrada no horizonte

Para um bom entendedor…

Do ponto de vista político, o fato mais relevante da semana foi o inesperado pronunciamento do presidente da Câmara Federal, Artur Lira (PP-AL), no plenário, interpretado como um inequívoco e direto recado ao presidente Bolsonaro.

Seguem trechos emblemáticos.

Aviso…

“Como presidente da Câmara, quero deixar claro que não ficaremos alienados aqui, votando matérias teóricas como se o mundo real fosse apenas algo que existisse no noticiário. Estou apertando hoje um sinal amarelo para quem quiser enxergar.

… Prévio

“Não vamos continuar aqui votando e seguindo um protocolo legislativo com o compromisso de não errar com o país se, fora daqui, erros primários, erros desnecessários, erros inúteis, erros que são muito maiores do que os acertos cometidos continuarem a serem praticados.

Corretivo

“Preferimos que as atuais anomalias se curem por si mesmas, frutos da autocrítica, do instinto de sobrevivência, da sabedoria, da inteligência emocional e da capacidade política.

Prioridade

“Mas alerto que, dentre todas as mazelas brasileiras, nenhuma é mais importante do que a pandemia. Esta não é a casa da privatização, não é a casa das reformas, não é nem mesmo a casa das leis. É a casa do povo brasileiro. E quando o povo brasileiro está sob risco nenhum outro tema ou pauta é mais prioritário.

Inoportunos

“Não é hora de tensionamentos. E CPIs ou ‘lockdowns’ parlamentares – medidas com níveis decrescentes de danos políticos – devem ser evitados. Mas isso não depende apenas desta Casa.

Existe um…

“Depende também – e sobretudo – daqueles que fora daqui precisam ter a sensibilidade de que o momento é grave, a solidariedade é grande, mas tudo tem limite, tudo!

… Limite

“O limite do parlamento brasileiro, a Casa do Povo, é quando o mínimo de sensatez em relação ao povo não está sendo obedecido”.

Máxima

Líderes do grupo Centrão têm repetido uma clássica frase do mundo político do século passado: ´a gente vai pro enterro, chora, mas não entra na cova´ de um político desgastado.

Transbordou

De sua parte, o vice-presidente da República, general Mourão, afirmou que “o número de óbitos (por conta da Covid-19) já ultrapassou o limite do bom senso”.

Da boca de…

“… Temos que entender que em uma pandemia dessa não temos que pensar única e exclusivamente olhando para as fronteiras de um município (…) A responsabilidade de João Pessoa e de Campina Grande é muito grande nessa pandemia…” (governador João Azevedo, em entrevista).

É chegado

“Ele é louco por política. Na última vez em que me consultei com ele, a gente ficou só falando de política, quando eu disse: ‘não vai me consultar, não?’”

Senadora Daniella Ribeiro (PP-PB), no jornal Valor Econômico, sobre o novo ministro da Saúde, médico paraibano Marcelo Queiroga.

Redução

A jornada de trabalho de pessoas com deficiência poderá ser reduzida.

É o que estabelece o projeto de lei apresentado pela senadora Nilda Gondim (MDB-PB).

Como seria

A proposta prevê reduzir o expediente das pessoas com deficiência de oito para sete horas diárias de trabalho.

Sábado é dia de poesia

“… Cortaram as amarras e os nós/ Deixando pra trás o porto e o cais/ Berrando até perder a voz/ Em busca do imenso/ Do silêncio mais intenso/ Que está depois dos temporais…” (Depois dos Temporais, música do compositor Ivan Lins).

Serviço

Escute a música aqui.

Transação…

O intenso e quase sempre pavoroso noticiário desta semana que está chegando ao fim, sobre a Covid-19, ofuscou uma bilionária transação ocorrida no Brasil, no disputado segmento dos hipermercados.

… Bilionária

O grupo francês Carrefour – que tem como um dos principais sócios o empresário Abílio Diniz, ex-controlador do Grupo Pão de Açúcar – comprou a rede BIG num negócio que girou em torno de R$ 7 bilhões e 500 milhões e envolveu 387 lojas.

Instabilidade

É oportuno pontuar a ´dança´ recente de nomes (desde 2016) da marca BIG: era Bompreço, virou Walmart (rede americana controladora), voltou a ser BIG e agora no Nordeste oscilará entre Carrefour e Bompreço, dependendo das particularidades de cada cidade.

Derivações

No presente, o grupo BIG atua com as seguintes marcas: Big, Big Bompreço, Nacional, Super Bompreço, Sam’s Club, Todo Dia e Maxxi Atacado (que será extinta).

O Carrefour tem outras sete marcas, entre as quais o Atacadão.

Projeção

Estima-se que a fusão operacional deverá durar em torno de dois anos, a partir da homologação da operação pelo CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), órgão da estrutura do Ministério da Justiça que tem por finalidade assegurar a livre concorrência no mercado.

Potencial

O robustecido Carrefour passa a contar no país com 873 lojas e um faturamento anual da ordem de R$ 100 bilhões.

Alvo

Quando do anúncio da operação, o enfoque dado foi que a meta é disputar e ampliar a participação no Nordeste, a partir de uma agressiva política de propaganda e do incremento de 75% na quantidade de pontos de venda que o Carrefour passa a dispor na região.

Investimentos

Só para a modernização das lojas estão estimados recursos da ordem de R$ 1 bilhão.

Concorrência serrana

No caso de Campina Grande, por exemplo, o Carrefour passa a dispor de (pelo menos) seis unidades para acirrar a disputa do mercado, notadamente com o ´gigante´ Assaí e com as redes locais, a exemplo do Rede Compras e Ideal, entre outras.

Pandemia: talvez perdemos, mais uma vez, o significado da Quaresma para as nossas vidas...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube