Jornalista há quase 30 anos, escreve a coluna Aparte desde 1991. Já trabalhou em TV, rádio e foi editor chefe do Jornal da Paraíba e colunista das TVs Cabo Branco e Paraíba. É comentarista político das rádios Campina FM, Caturité AM e editor do portal de notícias Paraibaonline.

quinta-feira, 17/08/2017

Despesa indomável

Outro redemoinho

Uma reunião promovida ontem na sede do Ministério Público em Campina Grande conseguiu ´baldear´ ainda mais o impasse relacionado à questão do abastecimento d´água da cidade.

A proposta colocada em pauta é de se buscar a plena ´segurança hídrica´ para a Bacia de Boqueirão, o que só seria alcançado quando o manancial atingisse 97 milhões de metros cúbicos d´água.

Modificado

Acontece que o conceito de ´segurança hídrica´ muda exponencialmente, no caso de ´Boqueirão´, com o aporte oriundo do Rio São Francisco.

Conquista

Ou seja, a regularidade da oferta d´água, independente da intensidade da estação invernosa, é o ganho que Campina passou a usufruir.

Comparativo

Peguemos o caso de João Pessoa. As barragens da capital são consideradas de pequeno porte para o tamanho da cidade.

Somadas e inteiramente cheias chegam a acumular menos de 30% da capacidade de represamento de ´Boqueirão´.

Constância

E por qual motivo não existe racionamento permanente em JP?

Exatamente pela regularidade das chuvas. Em Campina, essa ´regularidade´ passou a ser dada pelo ´Velho Chico´.

Em resumo

Os técnicos do setor são praticamente consensuais no tocante à suspensão do racionamento, que penaliza predominantemente a população mais pobre e a economia campinense.

Bom senso

Racionalmente, o que se poderia adotar seria a fixação de uma cota mínima do manancial – uma espécie de ´gatilho´ – que levaria à retomada imediata do racionamento, oportunamente.

´Balanço´

Desde que a transposição começou, mesmo com a chegada d´água aquém do esperado, em nenhum dia a quantidade que entrou do açude foi inferior à que saiu para o abastecimento de Campina e das demais 18 cidades atendidas.

Da boca de…

“… Eu estou surpreso com o silêncio das ruas, diante da enormidade do que apareceu nos últimos meses. Uma hora isso vai desabar…” (escritor e economista Eduardo Giannetti da Fonseca).

´Melou´

´Subiu no telhado´ a licença do deputado estadual Jullys Roberto (PMDB), para tratamento médico, diante da anunciada investigação por parte do Conselho Regional de Medicina (CRM).

Nada a…

Na Assembleia Legislativa, ontem, ninguém arriscava dar declarações acerca do adiamento do ´batismo´ do suplente Aníbal Marcolino (PSD) como aliado de Ricardo Coutinho (PSB).

… Declarar

“Eu sou o menos indicado para falar sobre esse assunto”, derivou o líder da bancada governista, Hervázio Bezerra (PSB).

Tangente

“Eu não queria criar juízo de valor sobre isso (posse de Aníbal)… Não sou eu quem vai fazer a patrulha ideológica da atividade do colega”, comentou Bruno Cunha Lima (PSDB), que articulava a mesma ascensão de Aníbal, mas para reforçar a oposição.

Transição

Dentro de poucos dias deverá ocorrer uma mudança na presidência do PRB em Campina Grande.

Atualmente o cargo é ocupado pelo vereador Marinaldo Cardoso.

Milhares

A média anual de ações protocoladas pela Defensoria Pública da Paraíba no Judiciário é de 140 mil.

Na Serra

Em Campina Grande, o núcleo local da Defensoria Pública dá entrada no Judiciário em aproximadamente 450 ações por mês, conforme o seu diretor José Alípio Bezerra.

Pendências

Diante do ritmo lento de tramitação, Alípio disse que “por baixo”, existe mais de 30 mil ações propostas pela Defensoria à espera de decisão judicial.

Personagem

Autor do livro ´Cabral visto de perto´ (referência ao ex-prefeito campinense Severino Bezerra Cabral), o professor Benjamin Montenegro, do Departamento de História da UFCG, já mira o próximo projeto: contar a história de Gaúcho (Jovelino Farias), pioneiro no serviço de radiodifusão em Campina Grande.

Comparativo

Recente reportagem do jornal Folha de São Paulo esmiuçou o desequilíbrio previdenciário no Brasil.

Em 16 Estados, os gastos com a previdência dos servidores estaduais já são superiores ao que é desembolsado para o setor educacional.

Extremo

Existe o exemplo emblemático do Rio Grande do Sul, que já gasta com as aposentadorias o triplo do que investe em educação.

Buraco

Em 2015, dados consolidados, o déficit das previdências estaduais totalizava R$ 61,4 bilhões.

Eram 2,8 milhões de servidores ativos, contra 1,9 milhão de aposentados e pensionistas.

O detalhe

Aproximadamente 70% dos servidores estaduais no País são mulheres, que se aposentam mais jovens e – segundo o IBGE – na média vivem mais do que os homens.

Nosso fosso

No que se refere à Paraíba, para cada 100 reais aplicados na Educação, foram destinados R$ 105,30 para o setor previdenciário.

Dito de outro jeito a realidade de 2016 aqui no Estado: a previdência consumiu R$ 1 bilhão 860 milhões. E para a educação foram investidos R$ 1 bilhão 760 milhões.

Lucélio Cartaxo (irmão do prefeito de JP) ´vai às urnas´ em 2018?...
Simple Share Buttons