Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

quarta-feira, 21/09/2016

Delação made in Paraíba

O teste da reforma

Em entrevista à TV Itararé, antes de participar do programa ´Ideia Livre Política & Economia´, o candidato a prefeito Veneziano (PMDB) comentou sobre o ´teste prático´ que ocorre nas eleições deste ano com relação às mudanças nas campanhas, por força da minirreforma eleitoral.

Após observar que não “desconhece o propósito de baratear os altos custos de campanha”, o ´V´ discorreu que “se, por um lado, nós entendemos esse objetivo, há que se questionar se isso é bom para o eleitor. Por outro lado, esse período diminuído termina complicando mais ainda as candidaturas de oferecerem aos eleitores conhecimento sobre as suas plataformas. Penso que houve um certo exagero nessa limitação. A campanha começou há alguns dias, e já estamos a 11 dias de seu término”.

Superficial

“A gente identifica claramente que as pessoas se ressentem da oportunidade de conhecer mais, principalmente os candidatos que ainda não tiveram essa experiência”, assinalou o peemedebista, para acrescentar que “a reforma politica poderia ter sido aprofundada, para dar melhores respostas”.

Temperatura…

Sobre a propalada ´apatia´ popular no processo eleitoral deste ano na cidade, Veneziano disse que, no seu caso, “as ruas respondem muito bem. Claro, que também por força desses dois últimos anos, aonde o eleitor se viu e se vê em meio a tantas noticias que o levam à descrença nos agentes políticos, isso termina fazendo com que haja esse resfriamento”.

… Baixa

“Mas eu me sinto muito bem acolhido. Há uma resposta efetiva. Agora, se comparado a outros processos eleitorais, há uma diminuição”, avaliou o ´V´.

Sem tinta

Ao participar ontem do Jornal da Manhã da Rádio Caturité, o prefeito Romero Rodrigues (PSDB) alegou que “não fez o impacto financeiro” da proposta que o Sintab encaminhou aos prefeitáveis, razão pela qual “seria uma insanidade assinar” sem essas informações uma carta de compromissos tão ampla.

Atendimento

Sobre o déficit no setor de Saúde – apontado pelos concorrentes Veneziano e Adriano Galdino (PSB) -, o prefeito respondeu que “saúde não é banco para dar lucro. Saúde é para atender a população”.

Subtração

O ´tucano´ registrou que o problema financeiro da Secretaria de Saúde foi agravado pelo fato de o Estado ter conseguido, junto ao governo federal, abater mensalmente R$ 1 milhão 250 mil dos recursos destinados à PMCG.

Fogo cruzado

Quanto à intensificação dos ataques por parte de Veneziano, Romero comentou que “tenho tentado agir com serenidade. Não sei até quando, até porque há um acervo de mal feitos” na gestão anterior.

´Dossiê´

O prefeito disse que recebeu, há poucos dias, do Supremo Tribunal Federal, cópias de documentos que mostrariam “todo tipo de desordem” na administração de seu antecessor.

Sem artifícios

No tocante ao aumento do número de prestadores de serviços na sua gestão – denunciado por Veneziano -, Romero disse que “optamos pela contratação direta”, informando ao Tribunal de Contas, ao contrário do ex-prefeito, que optou por utilizar a (Construtora) “Maranata, que ninguém sabia”.

Sequência

Conforme o sorteio prévio, hoje será a vez de David Lobão (PSOL) na Rádio Caturité (8h15).

Pra já

Em sua passagem ontem por Campina, Ricardo Coutinho informou que nos próximos dias assinará a ordem de serviços para o início da construção da Escola Técnica Estadual na cidade.

Da boca de…

“… A (Operação) Lava Jato tem a responsabilidade de separar o joio do trigo e precisa acabar com esse exibicionismo, que vimos agora no episódio do presidente Lula e em outros episódios. Precisa fazer denúncias que sejam consistentes…” (Renan Calheiros, PMDB/AL, presidente do Senado).

Agora é Lula

“Obviamente que eu estou triste porque fiquei sabendo agora que o juiz Moro aceitou a denúncia contra mim, mesmo a denúncia sendo uma farsa, uma grande mentira contada, um grande show de pirotecnia nesse país”.

Após saber ontem da nova condição de réu na ´Lava Jato´.

No ITN

Na noite de ontem, Romero Rodrigues também participou – conforme ordem de sorteio – da série de entrevistas com candidatos a prefeito no telejornal Itararé Notícias (TV Itararé – canal 18.1, digital, e 19, analógico).

Alguns trechos.

Entregou casas?

(Veneziano disse que não) “Entregamos 2.800 unidades habitacionais. As pessoas receberam as chaves. Não foram as chaves de papelão, entregues no passado, que envergonharam e deram vexame a muita gente. Essas pessoas (no passado) receberam apenas a promessa.

Medicamentos

(gastos excessivos apontados por Veneziano) “É uma conversa infundada, uma mentira cabeluda que tem sido espalhada pela cidade. Ocorre que hoje nós temos o Hospital Pedro I. Nós municipalizamos o Hospital Dr. Edgley; (houve) a implantação de novos leitos no ISEA e no Hospital da Criança. Isso tudo demanda medicamentos.

Duplicação

“Os serviços que oferecemos hoje são mais do que o dobro dos oferecidos na época dele (Veneziano). E olha que os remédios custam (hoje) muito mais”.

Dinheiro

(que teria sido deixado para construir o centro administrativo) “É uma pena que ele (Veneziano) teve oito anos, está dizendo que teve o dinheiro e não fez. Ou ele é incompetente ou muito generoso. Resta saber o que ele é. É mais uma mentira cabeluda. Na realidade, se o dinheiro for do governo federal, você tem que fazer a obra, fazer a medição e empenhar. O povo de Campina tem memória e tem consciência.

Duplicação

(da avenida Argemiro de Figueiredo) “Quando eu assumi a prefeitura, a obra estava parada há mais de 12 meses. A obra estava parada e não tinha sequer sinalização. 85% da obra foi feita (por nós). É só se informar no governo federal.

Boicote

(na transição de Veneziano para Romero, por parte de fornecedores e servidores da PMCG) “Deve ser uma piada de mau gosto. Quando assumi a prefeitura, o salário estava atrasado há três meses. Os servidores estavam no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e na Serasa (bancos). Campina viveu um período de imundície e o ´Natal das trevas´.

IPTU

(receita baixa apontada por concorrente) “O modelo (de gestão) de (Artur) Bolinha (PPS) é o mesmo do governador: o do arrocho, (do aumento) da carga tributária”.

O próximo

O entrevistado de hoje do ´Itararé Notícias´ é o candidato Veneziano (18h30, na TV Itararé).

Paralela

Presa pela operação Veiculação, a mãe do deputado federal Hugo Motta (PMDB), Ilanna Motta, também aparece em relatório de outra investigação, a Desumanidade, que investiga desvios em obras financiadas pelo Fundo Nacional de Saúde, noticiou o jornal ´Estadão´.

O detalhe

Ilanna era chefe de gabinete de sua mãe, Francisca Motta, prefeita de Patos (PB), afastada a pedido do MPF.

Sertão ainda…

Para surpresa geral, o pouco conhecido empresário José Aloysio Machado da Costa Júnior, proprietário da empresa Soconstrói, encaminhou ao Ministério Público Federal, na Paraíba, uma proposta de delação premiada.

… Mais quente

A proposta tem como direção a Operação Desumanidade.

Fonte das propinas

Conforme Aloysio, 20% dos valores desviados da construção de Unidades Básicas de Saúde (UBS), na região de Patos, abasteceram a campanha do deputado Hugo Motta (PMDB-PB).
“O dinheiro é distribuído para cabos eleitorais para efetuar a compra de votos. O dinheiro estava distribuído em notas de pequeno valor”, escreveu o empresário.

O ´mago´ não entregou as cartas em JP...

Me Aguarde

Palanque

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube