Arimatéa Souza

sexta-feira, 30/04/2021

Debaixo das asas

Os ´vilões´

O prato ´padrão´ do brasileiro ficou muito salgado nos últimos 12 meses, conforme pesquisa da Fundação Getúlio Vargas.

O arroz subiu 61%; o feijão teve alta de 69%; as carnes bovinas aumentaram (na média dos cortes do produto) 27,2%.

Sem dar espaço

O deputado federal Wellington Roberto (PL) anunciou ontem que o seu filho Bruno Roberto vai disputar uma vaga no Senado Federal nas eleições de 2022.

Traduzindo

O parlamentar não está disposto a ´digerir´ as propaladas pré-candidaturas ao Senado dos deputados Aguinaldo Ribeiro (PP) e Efraim Filho (DEM), muito menos a do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

´Midas´

O Facebook/Instagram registrou (novamente) um lucro líquido bilionário no trimestre  janeiro/março de 2021: 9,5 bilhões de dólares.

O resultado é 94% superior ao resultado apurado no primeiro trimestre de 2020.

O detalhe

Faturamento deste ano até março: US$ 26,17 bilhões.

´Vem comigo´

O governo Bolsonaro avalia que o MDB é o seu maior problema na CPI da Covid.

Está sendo articulado um ´café da manhã´ do ´capitão´ com os 15 senadores do partido, entre os quais Veneziano Vital e Nilda Gondim.

´Micarande´

Em conversa com apoiadores esta semana, na tradicional ´paradinha´ na saída do Palácio da Alvorada, Jair Bolsonaro comentou que a CPI da Covid pode virar “um carnaval fora de época”.

TCE

O Tribunal de Contas do Estado aprovou ontem, com ressalvas, as contas de 2018 das secretarias de Administração e de Assistência Social da Prefeitura de Campina Grande.

Em tempo

Na recente posse de Anderson Torres no Ministério da Justiça, o presidente Bolsonaro elogiou o diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, Eduardo Aggio.

“Ele tem cumprido sua missão com galhardia”, comentou o ´capitão´.

1º ato

Duas horas depois, Aggio foi defenestrado do cargo pelo novo ministro.

Resgate

Dias atrás, o Poder Legislativo de Campina Grande ´arrotou´ as emendas que havia aprovado para o projeto do Executivo que destinou um subsídio de R$ 1 milhão e 800 mil ao sistema de transporte público local, com vigência no primeiro trimestre, mas renovável (por igual período) sem a necessidade de novo crivo parlamentar.

Inconsistentes

“Os vetos estão eivados de vícios (legais)… Foi um veto político”, bradou o vereador Olímpio Oliveira (PSL).

Inócua

Autor de duas emendas aprovadas por unanimidade – e vetadas posteriormente com o aval majoritário dos seus colegas de Câmara -, Olímpio comentou que a justificativa dos vetos não tem sentido – nem respaldo.

Conteúdo

Uma dessas emendas reintroduzia o horário habitual de circulação dos ônibus (até as 23h).

A outra reconstituía “o poder fiscalizatório da STTP”, que no período de vigência do subsídio não poderá cobrar multa às empresas que operam no sistema.

Atabalhoado

“O veto não fala em nenhum momento da emenda número três. É o samba-do-crioulo-doido. É um absurdo”, protestou o vereador, acrescentando que “quem escreveu isso teria ter lido as emendas”.

Comparativo

O vereador do PSL ainda grifou o fato de o valor do subsídio ao setor de transporte público “ser superior ao abono emergencial destinado a diversas categorias profissionais” pela PMCG.

Ressalva

De sua parte, o vereador Rubens Nascimento (DEM) ponderou que a emenda vetada dizia respeito à suspensão da cobrança de multas, e não à anistia das mesmas.

Estabilidade

O outro veto do prefeito foi à emenda de seu líder no Legislativo, vereador Alexandre Pereira (PSD), cujo teor visava o impedimento de demissões, por parte das empresas beneficiadas, enquanto estivesse em vigência o subsídio.

Óticas distintas

Alexandre votou pelo veto do prefeito, em desfavor de sua própria emenda.

“Nós temos uma visão, e quem está na cadeira de prefeito tem outra”, argumentou o edil, para emendar: “Vamos manter unidos o veto”.

Haja “brilhante”

O líder governista registrou ainda – respondendo a Olímpio – que “não tenho nenhum motivo para contestar o trabalho do professor Aécio Melo (procurador geral da PMCG), que tem feito um brilhante trabalho”.

Da boca de…

“… Crianças com 9, 10 anos, não sabem ler. Mas sabem tudo, com todo respeito às senhoras aqui presentes, sabem até colocar uma camisinha, mas não sabe que ‘b’ mais ‘a’ é ‘ba’. Está na hora de dar um basta nisso…” (Milton Ribeiro, ministro da Educação).

Vem de longe

O ´pré-acordo´ firmado ontem entre os estados nordestinos beneficiados pelas obras da transposição do Rio São Francisco e o governo federal, para custear a operação do sistema, vai colocar um ´ponto final´ num impasse que se arrasta desde 2016.

Reta final

O ministro Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional, ao assinar esse esboço da negociação, ontem, em João Pessoa, informou que o Eixo Norte – que tem 260 quilômetros de extensão e que vai beneficiar o Sertão paraibano – tem apenas oito quilômetros para serem concluídos.

O detalhe

O total de execução física do trecho é 97,84%.

O ´indivisível´

O ministro Paulo Guedes (Economia) garantiu ao deputado paraibano Efraim Filho (DEM) que o seu ministério não será desmembrado, como tem sido especulado na ´grande imprensa´, por pressão do grupo ´Centrão´ da Câmara Federal.

– Ele (Guedes) rechaçou a possibilidade e disse que não está no radar dele. Afirmou que prefere trabalhar com essa estrutura completa, porque, segundo ele, dá alívio na parte do custeio – comentou posteriormente Efraim, em entrevista ao jornal Valor Econômico.

Por onde anda Romero Rodrigues?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube