Fechar

logo
logo

Fechar

Arimatéa Souza

segunda-feira, 05/07/2021

Conterrâneos resistentes

Palavras que sobrevivem

O ex-senador José Paulo Bisol (RS) morreu há poucos dias.

Ele foi companheiro de chapa do ex-presidente Lula numa das disputas pela Presidência da República.

A TV Senado reprisou, dias atrás, uma entrevista que Bisol concedeu à emissora. Vale a pena ler alguns trechos de suas declarações.

“A humanidade se desenvolve de forma extraordinária, maravilhosa, rica, exuberante, milagrosa, quando se fala em ciência. Mas, em ética e em moral, a humanidade é um desastre progressivo. Porque a realidade concreta, essa que nós construímos todos os dias, a realidade política desmente qualquer princípio ético.

Inconsciência

“A rigor, que me perdoem os políticos brasileiros, a rigor a política brasileira é uma política de ódio. Ódio é um desejo de destruição. A gente esquece de revisar esses conceitos e fica empregando a palavra ódio sem saber o que está dizendo.

Essência

“Ódio é o desejo de destruir o odiado. E o comportamento político partidário no Brasil é de ódio, é de extinção do outro – seja partido de esquerda, seja de direita”.

Agenda

Tudo indica que ocorrerá ainda esta semana a audiência entre o governador João Azevedo e o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima.

Como assim?

“Nenhum genocídio será apontado. Nenhuma escalada autoritária ou ‘ato antidemocrático’ será citado. Nenhuma ameaça à democracia será alertada. Nenhuma busca e apreensão será feita. Nenhum sigilo será quebrado”.

Presidente Bolsonaro, no final de semana, nas redes sociais.

Recurso

O PSB ingressou no Supremo Tribunal Federal com uma ação contestando a Portaria do INSS que determina a retomada da exigência da ´prova de vida´ para aposentados e pensionistas.

Situando 

A obrigação estava suspensa desde março de 2020, por conta da pandemia da Covid-19.

Desconexação

Na fundamentação, a legenda argumenta que “a retomada da exigência da prova de vida não condiz com o atual e grave quadro sanitário enfrentado pelo país, com a alta média móvel de mortes e a vacinação caminhando a passos lentos”.

O detalhe

O INSS informou que até meados de junho, dos 36 milhões de segurados, mais de 23 milhões já tinham feito a prova de vida.

Da boca de…

“… Há uma quantidade maior de pessoas buscando o impeachment do que buscando uma terceira via…” (João Amoêdo, ex-presidenciável e presidente do Partido Novo).

Bisturi

O papa Francisco (84 anos) foi submetido, ontem, a uma intervenção cirúrgica: uma “estenose diverticular sintomática do cólon”, conforme a sua assessoria.

Retorno…

No final de semana foi divulgado o Decreto estadual 41.396/2021, que determina a adoção “de novas medidas temporárias e emergenciais de prevenção de contágio pela Covid-19”.

… Gradual

O texto autoriza o retorno do servidor público de forma presencial às atividades administrativas.

Critério

De acordo com o decreto, fica autorizado o retorno dos servidores estaduais às atividades presenciais a partir do 29º dia após a 2ª dose da vacina.

Em tempo

Mas há uma ressalva: estão suspensas, no período compreendido entre 03 de julho a 16 de julho de 2021 as atividades presenciais nos órgãos e entidades vinculadas ao Poder Executivo Estadual.

Pressão

No final de semana, o jornal Folha de São Paulo noticiou que o ex-ministro Eduardo Pazuello (Saúde) disse a aliados que foi pressionado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e pelo ministro Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil) a distribuir verbas para apoiadores do governo.

Resgate

Cabe citar o que disse Pazuello quando deixou o cargo em março último: “Chegou no final do ano uma carreata de gente pedindo dinheiro politicamente. O que fizemos? Distribuímos todo o recurso do ministério. Foi outra porrada, porque todos queriam um pixulé no final do ano”.

Confidência

Dias atrás, em entrevista ao mesmo jornal, o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) – autor das denúncias de cobrança de propina no Ministério da Saúde –  disse ter escutado de Pazuello que um “poderoso parlamentar” avisou que iria trabalhar para retirar o militar da Saúde.

Dedo em riste

“(Pazuello) falou que a pessoa disse na cara dele que ia tirá-lo. Botou o dedo na cara dele e falou: ‘Vou te tirar dessa cadeira’,” ainda conforme Miranda.

Supremo

Na pauta de julgamentos no plenário do Supremo Tribunal Federal, para o mês de agosto, consta o processo que trata da restrição para propaganda eleitoral na internet.

Cativando

O governo federal vai formalizar esta semana um subsídio da ordem de R$ 100 milhões para financiar unidades habitacionais destinadas a policiais militares.

2ª feira filosófica

“Nunca o nosso mundo teve ao seu dispor tanta comunicação. E nunca foi tão dramática a nossa solidão. Nunca houve tanta estrada. E nunca nos visitamos tão pouco”.

Mia Couto, escritor e biólogo moçambicano.

Abolir

Tramita no Congresso Nacional a ´batizada´ emenda antiprivilégio.

O seu texto, iniciativa do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), determina a extinção de benefícios concedidos a servidores públicos de todos os poderes, incluindo integrantes das Forças Armadas.

Limitação

A emenda proíbe que servidores tirem mais de 30 dias de férias por ano.

Situando

Atualmente, magistrados e membros do Ministério Público têm direito a 60 dias de férias por ano.

Endosso

Até de forma surpreendente, já existem 233 assinaturas subscrevendo a emenda acima referida.

Baixa adesão

Mas a adesão é baixa em termos de bancada paraibana na Câmara Federal.

Dos 12 conterrâneos, apenas cinco se manifestaram favoráveis à emenda: Edna Henrique (PSDB), Efraim Filho (DEM), Julian Lemos (PSL), Leonardo Gadelha (PSC) e Rafafá (PSDB).

Como Veneziano avalia a bancada de oposição na CMCG?...

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube