Fechar

logo
logo

Fechar

Arimatéa Souza

quinta-feira, 23/06/2022

“Caridade” contestada

Vinculação

O Tribunal Superior Eleitoral deliberou, nesta terça-feira, que os partidos políticos que formarem coligação para a disputa de governos estaduais em 2022 devem respeitar esse acordo na definição das candidaturas para o Senado Federal.

O placar foi apertado: 4 a 3.

O que pode

De acordo com o TSE, é possível o lançamento de candidatos independentes, mas as legendas não podem se coligar a partidos diferentes visando ao mandato parlamentar.

Exemplificação

Para melhor compreensão: três partidos – A, B e C – podem lançar uma chapa conjunta para governador e lançar três candidatos ao Senado.

Mas ´A´, ´B´ ou ´C´ não pode se coligar com o partido ´D´ para o Senado.

O detalhe

A regra só vale para a mesma circunscrição. Isto é, uma coligação formada para o governo do estado X não precisa ser a mesma que vai disputar o governo do estado Y.

Ressalva

“Inexiste disposição normativa que determine a igualdade entre coligações formadas para disputa de cargos de governador e senador da República”, alertou o ministro Luiz Edson Fachin, presidente do TSE, que acabou sendo um voto vencido.

Pendente

O TSE ainda não se pronunciou acerca de situações específicas envolvendo as federações partidárias.

´DR´

O governador João Azevedo (PSB) e o deputado federal Hugo Motta (presidente do Republicanos na Paraíba) deverão dialogar nesta sexta-feira, em meio à festa de São João na cidade de Patos.

Como é?

O prefeito de Patos e ex-deputado estadual Nabor Wanderley (pai do deputado Hugo) aconselhou ontem o governador a “assumir o comando das negociações” para a formação da chapa que João vai encabeçar.

Oxente

E o comando não está com o governador?

Na Capital

Os festejos juninos em João Pessoa e o show da cantora Elba Ramalho formaram o cenário para a reaproximação pública entre João Azevedo e a senadora Daniella Ribeiro, presidente do PSD na Paraíba.

Além das aparências

“Sempre disse que é uma relação extremamente amigável, é uma coisa natural. Pode não parecer para outros, mas é extremamente normal”, comentou o governador após o contato com a ´bella´.

Ah sim!

Quando do encontro, Elba não cantava a música ´Nenem Mulher´, que tem um verso apropriado para o momento político: “Tu vem ficar mais eu!”

Novo insucesso

A 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça rejeitou, por unanimidade, outro recurso da defesa do ex-governador Ricardo Coutinho (PT), que buscava manter na justiça eleitoral ações inerentes à Operação Calvário.

Meia volta

O retorno à Justiça Comum significa que a relatoria volta ao desembargador Ricardo Vital de Almeida.

Agora é Lula

“Fico triste quando vejo as Forças Armadas batendo continência para uma pessoa que foi expulsa do Exército por mau comportamento”.

Em recente pronunciamento.

Por que não?

Reitor do Seminário Diocesano de Campina Grande, o padre Leandro Márcio sugeriu a deflagração de uma campanha para que a Diocese local seja elevada à condição de Arquidiocese, considerando as suas dimensões, localização e importância geopolítica.

Sem limite

Pelo menos 353 juízes receberam mais de R$ 100 mil em pelo menos um mês ao longo de 2022.

As informações estão no portal mantido pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) com os pagamentos feitos aos 17,9 mil juízes, desembargadores e ministros de cortes superiores do Judiciário.

Inconcebível

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, os três juízes que, no Brasil, receberam os maiores contracheques embolsaram, de uma única vez, valores que vão de R$ 432 mil a mais de R$ 700 mil.

2º ´pelotão´

Os demais 350, segundo o levantamento, receberam, em ao menos um mês, valores entre R$ 100,04 mil e R$ 279 mil.

´Pole position´

Neste ano, o magistrado que mais recebeu de uma vez só foi a ministra do TST (Tribunal Superior do Trabalho) Morgana de Almeida Richa.

Foram quase R$ 733 mil no contracheque referente ao mês de abril.

Da boca de…

“…É muito fácil fazer agora medidas eleitoreiras. É muito fácil o governador, agora, em ano de eleições, receber prefeitos, inaugurar obras, quando os prefeitos estão há 3 anos e meio se queixando…” (senadora Nilda Gondim, MDB).

Outra peleja no Supremo

Exatamente 11 governadores, predominantemente do Nordeste – Paraíba no meio – ingressaram com ação no Supremo Tribunal Federal pedindo que seja considerada inconstitucional a lei que mudou as regras de incidência do ICMS sobre os combustíveis.

“Trata-se de verdadeira ‘caridade com chapéu alheio’, uma liberalidade orçamentária a ser sofrida pelos estados, Distrito Federal e municípios, todos surpreendidos pela medida unilateral, autoritária, drástica e com graves efeitos imediatos para os combalidos cofres desses entes”, acentua a ação.

PP e Republicanos já parecem ´água e óleo´...
Valorize o jornalismo profissional e compartilhe informação de qualidade!

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube