Jornalista há quase 30 anos, escreve a coluna Aparte desde 1991. Já trabalhou em TV, rádio e foi editor chefe do Jornal da Paraíba e colunista das TVs Cabo Branco e Paraíba. É comentarista político das rádios Campina FM, Caturité AM e editor do portal de notícias Paraibaonline.

sexta-feira, 25/08/2017

Bolsonaro depende de Lula

Grande infraestrutura

É essencialmente profissional a mobilização que está sendo feita para a visita do ex-presidente Lula (PT) à Paraíba, neste final de semana, começando amanhã por João Pessoa.

Os preparativos comportam uma ampla logística de veículos coletivos e intensa divulgação através de carros de som.

O voluntarismo vai sendo tragado, aos poucos, pela poeira da história.

Elevar o astral

Menos nebulosas são as intenções do ex-presidente em solo nordestino e, particularmente, na terra tabajarina, a começar pela ´injeção de ânimo´ numa militância que diariamente é bombardeada pelo noticiário – às vezes político, noutras vezes policial – envolvendo lideranças petistas.

Cumplicidade

Lula também vislumbra na nova visita à Paraíba – dessa vez às duas maiores cidades – uma oportunidade de estreitar ainda mais os laços com o PSB no Estado, personificado na figura do governador Ricardo Coutinho.

´Dividendos´

Para os eleitores, o ex-presidente renovará o discurso de sua determinação em concretizar as obras da transposição do Rio São Francisco.

E nesse mote ele é insuperável.

Vaga de vice

Durante a ´peregrinação´ de Lula por cidades nordestinas, esta semana, tem sido especulado o nome do empresário Josué Alencar – dono da Coteminas e filho do ex-vice-presidente José de Alencar – para ser o companheiro de chapa do petista nas eleições do ano que vem.

Contraponto

“Quero distância do PT e daqueles que comungam da opinião desse partido. O PT roubou, assaltou, mentiu, enganou os brasileiros… Fez o maior assalto aos cofres públicos da história do mundo”.

Foi o que disse o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), em entrevista à ´Correio FM´.

Nas urnas

O ´tucano´ declarou ainda que “defendo que Lula seja candidato (a presidente) e possa disputar as eleições. E perca, porque ai vamos enterrar o mito e julgar o cidadão Luís Inácio”.

Na ´agulha´

O desembargador Abraham Lincoln deverá se pronunciar hoje sobre os recursos do governo estadual e da Cagepa contra a liminar dada pela juíza Ana Carmem Jordão, da 2ª Vara da Fazenda Pública, que proibiu a suspensão do racionamento d´água em Campina Grande.

Silenciado

Wilton Maia, presidente do Sindicato dos Urbanitários da Paraíba, está indignado com o fato de a vereadora-presidente Ivonete Ludgério (PSD), da Câmara campinense, ter interrompido a sua intervenção durante a audiência pública realizada no começo desta semana para debater o problema do racionamento d´água.

Da boca de…

“… O fato de Aécio Neves ser um dos coveiros da democracia que seu avô (ex-presidente Tancredo Neves) ajudou a conceber é apenas uma tragédia familiar dentro do drama político maior que hoje vivemos…” (Oscar Vilhena Vieira, professor de Direito da Fundação Getúlio Vargas).

Só falta a tinta

“A ficha de filiação já está pronta. Mas a decisão é dele”.

A frase é do vereador Galego do Leite, presidente do Podemos (ex-PTN) em Campina, acerca da especulada filiação do ex-prefeito Veneziano, ainda no PMDB.

Quem ´assanhou´

Galego creditou, em parte, à bancada governista no Legislativo campinense a polêmica acerca da continuidade ou não do racionamento d´água.

“Vamos desarmar os palanques. As eleições só ocorrerão em 2018. Por que penalizar a população?” – indagou o vereador.

Em retirada

A oposição na Câmara campinense abandonou a sessão ordinária de ontem, por discordar da colocação em votação de projetos do Executivo que só teriam chegado na véspera àquela casa legislativa, e sequer tinham sido distribuídas as cópias de seus conteúdos.

A caminho

Conforme o jornal O Globo, depois das empreiteiras e dos políticos, as instituições financeiras serão o novo foco das investigações da Operação Lava Jato.

Pulverização

O professor da UFCG e cientista político Leon Victor observou ontem que o sistema político nacional carece de uma remodelação urgente.

Ele destacou que existem apenas 14 legendas “efetivas” no País, sendo que a mais robusta delas não conseguiu amealhar sequer 13% dos votos do eleitorado nacional.

O elementar

Para o docente, o mínimo que se espera de uma reforma política, nas atuais circunstâncias, seria o fim das coligações proporcionais e a (re) introdução da chamada ´cláusula de barreira´ – que freia o acesso de legendas insignificantes ao fundo partidário e ao tempo gratuito no rádio e na TV.

Concentração de poder

Contrário ao chamado ´distritão´ – conversão da eleição parlamentar numa disputa majoritária, na qual os eleitos são os mais votados -, Leon frisou que esse sistema tem como um dos efeitos “a tendência de aumentar a força dos grandes partidos, em função de suas grandes bancadas”.

O ´antiLula´

Leon Victor avaliou que a provável candidatura presidencial do deputado Jair Bolsonaro (RJ) só deverá se constituir numa alternativa com chances reais se Lula estiver na disputa, por força da polarização de concepções muito distintas de pensar e de agir.

A Igreja Universal vai ampliar os seus tentáculos em Campina Grande...
Simple Share Buttons