Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sexta-feira, 12/03/2021

Aula de educação doméstica

Canetada

O prefeito Bruno Cunha Lima (PSD) vetou todas as emendas aprovadas no Legislativo com relação à mensagem de sua autoria que renovou o subsídio ao sistema de transporte público de Campina Grande, no valor de R$ 1 milhão e 800 mil, pelo período de três meses, com possibilidade de prorrogação por igual período e igual valor.

Crise

Sobre a emenda do vereador Olímpio Oliveira (PSL) que determina o restabelecimento do horário de circulação dos ônibus até às 23h, Bruno argumenta no veto que “em todo o país os transportes públicos vivenciam um momento de enormes dificuldades, necessitando do poder estatal para cumprir com as suas obrigações”.

Inviável

“Logo – segue BCL – não existem condições, neste momento, de as empresas voltarem a operar com a totalidade de seus veículos, visto que o número de passageiros foi reduzido pela metade”.

Inversão

Outra emenda, do mesmo vereador, que anula um artigo do projeto que proíbe a STTP de aplicar multas administrativas às empresas do setor durante a vigência do subsídio, teve o veto justificado pelo prefeito como uma emenda que “tira da STTP o poder de polícia a ela instituído e inerente à atividade administrativa”.

Sem efeito prático

“Tais prerrogativas – prossegue o prefeito – não trazem nenhum prejuízo aos usuários e administradores do sistema de transporte público”.

Pausa

A emenda inserida no Legislativo visa justamente assegurar o que o veto do prefeito estanca momentaneamente: o poder fiscalizador da STTP.

Evitar demissões

Por último, a terceira emenda vetada é de iniciativa do líder do governo na Câmara, Alexandre Pereira (PSD): condiciona a concessão do subsídio a não demissão, por parte das empresas beneficiadas, de trabalhadores, usando como referência, para efeito de fiscalização, o quadro de funcionários das mesmas em janeiro último.

Ilegal

O prefeito sublinhou a emenda como “inconstitucional, pois a estabilidade só pode ser concedida aos trabalhadores que preencherem requisitos fixados pela Constituição Federal”.

Exorbita

“Não cabe à Edilidade Municipal tratar de legislação federal (trabalhista). Isso seria um conflito de competência, além de intervenção na livre iniciativa”, enfatiza o chefe do Executivo campinense.

Retrovisor

A Câmara campinense aprovou no ano passado essa garantia de estabilidade para os operadores do sistema de transporte público, e não houve o veto por parte do Executivo.

À revelia

Mas, por outro lado, algumas empresas não cumpriram essa ´quarentena´, não deixaram de receber o subsídio e não foram punidas.

O detalhe

Essas emendas vetadas foram aprovadas pela quase unanimidade dos vereadores campinenses.

Dinheiro…

O Senado abriu licitação para comprar 20.880 unidades de testes da Covid-19, a um custo de R$ 2,35 milhões.

A empresa contratada é a Testes Moleculares Serviços Laboratoriais LTDA.

… Sobrando

Mas, de acordo com o jornal O Globo, o Conselho Nacional de Saúde (CNS) divulgou que o Ministério da Saúde acumula 4,8 milhões dos mesmos testes, armazenados no almoxarifado, com data perto do vencimento, entre abril e junho deste ano.

Cuidar…

O deputado estadual Manoel Ludgério e sua esposa, a vereadora Ivonete Ludgério, ambos filiados ao PSD/CG, comunicaram no dia de ontem o afastamento temporário da política.

… Da saúde

Em nota, o casal justificou a ausência das atividades parlamentares afirmando que tanto Manoel quanto Ivonete “estão em tratamento médico da Covid-19”.

Repercussão

O vereador-presidente da Câmara Municipal de Alhandra (PB), Jeremias Santos (Progressistas), externou a sua indignação com o fechamento das igrejas no município, por imposição de decreto estadual.

Explode…

Durante sessão da Câmara, esta semana, Jerônimo bradou: “Os cabarés estão funcionando a todo vapor. É de descer o suor”.

… Coração

“Não estou dizendo que é para fechar os bares e também não estou dizendo para fechar os cabarés. Eu acredito que o cabaré deve ter alguma finalidade social, alguma atividade essencial, imagino eu, não sei”, avançou o edil.

Inaceitável

“Agora, se os cabarés, os cassinos e os bares estão abertos e as igrejas fechadas, isso é uma desmoralização”, asseverou o vereador da região metropolitana de João Pessoa.

Reapareceu

O ex-superministro do governo Lula, José Dirceu, voltou à tona após a reconquista da elegibilidade por parte do ex-presidente.

“Viva o SUS (Sistema Único de Saúde) e fora Bolsonaro”, exclamou.

´Me dê motivos´

Ainda sobre Lula. O governador João Azevedo (Cidadania) declarou que “estou feliz porque a Justiça pode tardar, mas não falhou neste caso para Lula. Todos os argumentos usados para suspender as ações de Curitiba já haviam sido postos pela defesa. Por que só agora eles foram vistos?”

´Água e óleo´

“Fico feliz porque o ex-presidente recuperou sua capacidade de ser votado. Ele foi alvo de um grupo que misturou projeto político com Justiça”, acrescentou.

Mais à frente

Sobre um eventual apoio a Lula para presidente, ano que vem, João derivou: “Não discutimos isso, evidentemente. Estamos em meio a uma pandemia. Por incrível que pareça, nem sentamos com o PT, um partido aliado nosso, para discutir o próprio governo. Imagine Presidência da República! Nós temos um foco que é cuidar da pandemia (…) No momento adequado vamos debater isso”.

´Camarada´

“Salve a liberdade e a recuperação dos direitos plenos do presidente Lula. Essa nunca foi uma questão pessoal nem individual. Desconstruíram o Brasil e jogaram o nosso país na mais grave crise de toda sua história.

´Subsolo´

“Semearam ritos ilegais, calçados em absurdas midiatizações, por muitos recantos do Brasil. Chegamos ao fundo do poço e precisamos nos reerguer”, comentou sobre a reviravolta no ´caso Lula´ o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB).

Data certa

Será hoje o processo licitatório para escolha da agência que vai gerir a verba de divulgação da Câmara Municipal de Campina Grande.

Três agências do segmento deverão concorrer.

Bem educativo

“Eu acho uma pena, essa imprensa mequetrefe que a gente tem aqui no Brasil fique dando conta de cobrir apenas a máscara. ‘Ah a máscara, está sem máscara, está com máscara’. Enfia no rabo gente, porra!”

Deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente da República.

O ´pau´ quase cantou...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube