Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 26/12/2020

Apelo do papa: vacina para todos

“Personalismo desmedido”

A direção do PSB em Campina Grande divulgou uma Nota reagindo de forma contundente à recente desfiliação do senador Veneziano Vital do Rêgo.

“Ao anunciar a decisão de se desfiliar, embora seja paroxístico ao senador, e apesar dos motivos enunciados, entendemos que as razões reais da saída se devem à ambição eleitoral e a um personalismo desmedido (…) resolve buscar espaços em outro partido que acalente sua sanha, refletida claramente em seu pedido de desfiliação”, enfatiza a cúpula socialista.

Passaporte

Mais adiante, pontificam que Veneziano foi eleito senador, “fruto de um projeto exitoso, que o povo paraibano reconhecendo a força do PSB, lhe concedeu 844.786 votos, momento em que o hoje Senador estava em decadência política, pois havia sido derrotado nas eleições municipais de 2016 em Campina Grande, ainda em primeiro turno, tendo obtido pouco mais de 53 mil votos, ou seja, 24% de votos válidos”.

Ingrato

A Nota grifa que “não fosse a guarida, inclusive do fundo partidário, que o PSB lhe concedeu, dificilmente Veneziano teria sido eleito deputado federal, muito menos senador, portanto, a ingratidão, parece ser presente na trajetória política do senador”.

Legenda auxiliar

Os socialistas assinalam que Veneziano “construiu partidos para auxiliar e viabilizar uma candidatura do Podemos para a disputa eleitoral em Campina Grande, inclusive fomentando a desfiliação de integrantes do PSB para disputarem as eleições proporcionais por outros partidos; se aliou por toda a Paraíba com adversários do PSB, se comportou como um representante do Podemos”.

“Fisiologismo”

“Ademais o seu posicionamento sempre foi egocêntrico, e, isto ficou constatado quando tirou sua licença do Senado sem justificativa plausível e tendo apenas sua decisão unilateral, prejudicando os membros do PSB que estavam na bancada, renunciou ao cargo na Comissão Estadual do PSB por puro fisiologismo governamental, alinhado com todos que fizeram trincheira contra o nosso partido”, concluiu o documento do PSB/CG.

Até o fim

Na última sessão ordinária da atual legislatura, esta semana, permaneceu em plenário a troca de farpas entre os vereadores campinenses João Dantas (PSD) e Galego do Leite (Podemos).

Sumária transição

Uma reunião, prevista para o dia 29 próximo, vai se constituir no único ato formal de transição na mesa diretora do Poder Legislativo de Campina Grande.

Da boca de…

“… Que este santo mistério, celebrado nessa feliz e silenciosa noite de Natal, onde o mundo se questiona diante dessa pandemia, invada nosso coração para que vislumbrando nos mais puros sentimentos, possamos fazer com que o Salvador nasça e renasça constantemente em nosso coração…” (bispo de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos, na homília da Missa do Natal).

Partir

“É chegado o momento de começar a planejar as ações rumo a 2022”.

Foi essa explicação que o ex-ministro Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, ofereceu para justificar o seu desligamento do secretariado do governador João Doria (PSDB-SP).

Positivismo

A Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro já sorteou a ordem de apresentação no desfile no sambódromo, em julho do ano que vem.

Garimpo

O Papa Francisco celebrou (dia 24) a missa de Natal na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Leia trechos de sua pregação.

Espontâneo

“Deus vem ao mundo como filho para nos tornar filhos de Deus: somos filhos amados, não obstante nossos erros e fracassos. E o amor de Deus por nós não depende nem jamais dependerá de nós: é amor gratuito, pura graça. O coração indestrutível da nossa esperança é reconhecer-se filhos de Deus.

Amor incessante

“O Senhor não consegue deixar de nos amar, tão diferente de nós. Nos ama de um amor concreto a ponto de tocar a nossa pior miséria, colocando toda a nossa salvação na manjedoura de um estábulo, sem temer as nossas pobrezas (…) Deixemos que a sua misericórdia transforme as nossas misérias!

Vazio

“Mas quantas vezes, famintos de divertimento, sucesso e mundanidade, nutrimos a vida com alimentos que não saciam e deixam o vazio dentro. Nesta saciedade interminável por ter, nos lançamos em manjedouras de vaidade, esquecendo a manjedoura de Belém.

“Rica de amor”

“Aquela manjedoura, pobre de tudo e rica de amor, ensina que o nutrimento da vida é deixar-se amar por Deus e pelos outros. Jesus nos dá o exemplo: Ele, o Verbo de Deus, é infante; não fala, mas oferece a vida. Nós, ao invés, falamos muito, mas somos com frequência analfabetos de bondade.

Servir

“O seu amor desarmado e desarmante lembra-nos que o tempo de que dispomos não serve para nos lamentarmos, mas para consolar as lágrimas de quem sofre. Servindo os pobres, amamos a Deus.

“Ensina-me”

“Vós que me salvais, ensinai-me a servir. Vós que não me deixais sozinho, ajudai-me a consolar os vossos irmãos”.

Mensagem

No dia de Natal, Francisco pronunciou a tradicional bênção Urbi et Orbi (à cidade de Roma e ao mundo).

Leia alguns trechos.

Surgimento

“No Natal, celebramos a luz de Cristo que vem hoje ao mundo e Ele vem para todos: não só para alguns. Hoje, neste tempo de escuridão e incertezas pela pandemia, aparecem várias luzes de esperança, como a descoberta das vacinas.

Sem capitular

“Resignar-se à violência e à injustiça significaria recusar a alegria e a esperança do Natal.

Perseverança

“Neste dia de festa, dirijo uma saudação particular a todas as pessoas que não se deixam subjugar pelas circunstâncias adversas, mas esforçam-se por levar esperança, consolação e ajuda, socorrendo quem sofre e acompanhando quem está sozinho.

Redescoberta

“Para todos, seja o Natal a ocasião propícia para redescobrirem a família como berço de vida e de fé. Feliz Natal para todos!

Sem privilégios

“No Natal, celebramos a luz de Cristo que vem ao mundo e ele vem para todos: não apenas para alguns. Hoje, nesta época de escuridão e incertezas devido à pandemia, aparecem várias luzes de esperança, como a descoberta de vacinas. Mas para que essas luzes possam iluminar e levar esperança para o mundo inteiro, elas devem estar à disposição de todos.

Inaceitável

“Não podemos deixar que os nacionalismos fechados nos impeçam de viver como a verdadeira família humana que somos. Nem podemos permitir que o vírus do individualismo radical nos vença e nos torne indiferentes ao sofrimento de outros irmãos e irmãs.

Sem egoísmos

“Não posso me colocar antes dos outros, colocando as leis do mercado e das patentes de invenção acima das leis do amor e da saúde da humanidade”.

Clamor derradeiro

“Peço a todos: aos responsáveis pelos Estados, empresas, aos organismos internacionais, para promoverem a cooperação e não a concorrência, e de buscar uma solução para todos: vacinas para todos, especialmente para os mais vulneráveis ​​e necessitados de todas as regiões do planeta. Em primeiro lugar, os mais vulneráveis ​​e necessitados!”

Senador ´afivela as malas´ para o MDB...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube