Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

quarta-feira, 25/03/2020

Além do horizonte

Incontinência verbal

O presidente Jair Bolsonaro pode ter ´transbordado´, na noite de ontem, no pronunciamento que fez em cadeia de rádio e TV, a cota de tolerância da paciência nacional, crescentemente rarefeita diante da calamidade que o País está apenas começando a enfrentar.

Em alguns momentos, a sua desinformação em termos de saúde pública resvalou no deboche das famílias que já registram óbitos decorrentes do coronavírus ou têm no presente familiares em indesejável e inevitavelmente tenso confinamento, sem falar no ´confinamento social´ a que foi imposto esse país-continente.

Veja alguns trechos.

Recuar

“Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transportes, o fechamento de comércio e o confinamento em massa.

Só idosos

“O que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco é o das pessoas acima de 60 anos. Então, por que fechar escolas?

Normalidade

“O vírus chegou. Está sendo enfrentado por nós e brevemente passará. Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar à normalidade.

Poucos casos

“Raros são os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos de idade. 90% de nós não teremos qualquer manifestação caso se contamine. Devemos sim é ter extrema preocupação em não transmitir o vírus para os outros, em especial aos nossos queridos pais e avós.

“Histeria”

“Grande parte dos meios de comunicação foram na contramão. Espalharam exatamente a sensação de pavor, tendo como carro chefe o anúncio de um grande número de vítimas na Itália, um país com grande número de idosos e com um clima totalmente diferente do nosso. Um cenário perfeito, potencializado pela mídia, para que uma verdadeira histeria se espalhe-se pelo nosso país.

Soberba

“No meu caso particular, pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus, não precisaria me preocupar, nada sentiria ou seria, quando muito, acometido de uma gripezinha ou resfriadinho, como bem disse aquele conhecido médico daquela conhecida televisão”.

´Boqueirão´…

A Cagepa registrou um significativo crescimento no consumo d´água no sistema de abastecimento de Campina Grande.

… Demandado

De uma média habitual de 800 litros por segundo, o consumo pulou nos últimos dias, em alguns momentos, para 1.250 litros por segundo.

Fora de cena

No rastro do adiamento do Maior São João do Mundo deste ano, a prefeitura campinense arquivou a ideia de ´repaginar´ o tradicional Festival de Inverno, que ocuparia amplo espaço no Parque do Povo.

Da boca de…

“… Está na hora de o Congresso Nacional falar; ´adia´; faz um mandato tampão desses vereadores e prefeitos…” (Luiz Henrique Mandetta, da Saúde, sobre a inconveniência de se realizar eleições este ano).

Garimpo

Vale a pena resgatar uma declaração, através das redes sociais, da empresária Luiza Helena Trajano (executiva do Magazine Luíza) sobre essa calamidade pública que o País enfrenta na atualidade.

Seu enfoque foi sobre a situação das micro e pequenas empresas. Veja alguns trechos.

Olhar…

“Após superarmos a fase de isolamento, que é necessária, sem dúvida, o que me preocupa muito é o quadro que iremos enfrentar na economia.

… Adiante

“Dependendo do tempo de quarentena, muitas empresas, especialmente as micro, pequenas e médias, irão desaparecer, e muitas das grandes terão que demitir equipes, agravando ainda mais o enorme quadro de desemprego que tínhamos pré-crise.

Sem previsão

“Estávamos em um momento de expectativa de recuperação gradual da economia, mas um impacto deste tamanho irá trazer consequências graves que deverão levar muitos anos para serem recuperadas, e com grandes consequências sociais para o Brasil.

Sem…

“É hora da verdadeira união de forças contra um inimigo comum que está assolando o mundo e do próximo que virá, o risco da miséria.

… Individualismos

“Não é hora de vaidades ou discussões sobre competências, a população já estava cansada disso, e agora não admitirá divisões com objetivos eleitoreiros ou de aumento de poder.

Eixos

“É necessário focar todos os esforços na saúde pública e na recuperação da economia. Quem não participar ativamente, com todos os esforços possíveis da solução destes problemas, pagará um preço histórico.

Planejar

“É necessário caminhar rapidamente com planos que possibilitem a tranquilidade já durante a quarentena, em todos os níveis: Executivo, Legislativo e Judiciário, da União, Estados e municípios, para que haja condições para que os cidadãos não sejam assombrados com o fantasma do desemprego e da insegurança financeira para sustentar suas famílias.

Desafio

“Temos um longo trabalho pela frente, e nunca na história precisamos tanto dos governantes, que devem pensar e agir em conjunto com o único objetivo de vencermos a crise da saúde e a grave crise econômica que se anuncia.”

É preciso cantar

“Quem descumpre a quarentena

De burrice chega ao cúmulo

De gente evite o acúmulo

Melhor uns dias em casa

Do que pra sempre no túmulo”.

Poeta Iponax Vila Nova

Uma palavra sendo tirada do baú: impeachment...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube