Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

terça-feira, 03/09/2019

Água na ´moringa´

Um pé atrás

Por estratégia dos interlocutores ou por desconfiança congênita, o fato é que já no começo da última semana algumas lideranças governistas na Paraíba externaram dúvidas acerca do caráter essencialmente técnico do ato ´SOS Transposição´, que estava marcado para domingo último na cidade de Monteiro, no Cariri.

Outra dúvida latente dizia respeito à diferenciada participação de Ricardo Coutinho nesse evento.

´Coletivo´

Confrontado com as hesitações de aliados sobre os pontos acima mencionados, RC respondeu, em entrevista na antevéspera do evento, que “não é um ato convocado por Ricardo Coutinho, mas por inúmeras pessoas e movimentos sociais”.

Crença

“O ato é daqueles que acreditam na luta do povo pela transposição”, assinalou noutro momento o ´mago´, ao descartar que a mobilização seria o cenário para a realização de mais um movimento ´Lula Livre´.

Agendados

Pois bem, conforme o site oficial do Partido dos Trabalhadores, a ´Caravana Lula Livre´ cumpriu três compromissos no final de semana no Nordeste: Fortaleza (CE), Recife (PE) e Monteiro, na Paraíba.

Objetivo

“O ex-ministro da Educação (Fernando Haddad), junto com a presidenta nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann e outras lideranças políticas estiveram no Nordeste para reivindicar com o povo a liberdade do ex-presidente Lula”, assinala o texto no site acima mencionado.

Som e…

Aliado do ex-governador no plano estadual, o deputado Efraim Filho (DEM), coordenador da bancada paraibana no Congresso Nacional, divulgou ontem um vídeo ao lado do ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto.

… Imagem

O auxiliar de Bolsonaro negou a paralisação dos serviços, de maneira prolongada, no Eixo Leste, que atende ao Cariri e a Campina Grande, igualmente rechaçando qualquer ilação de natureza partidária.

Garimpo

Na sua edição de ontem, o jornal Folha de São Paulo publicou uma ampla reportagem sobre a obra da transposição.

Pela importância do assunto, é importante o destaque e reprodução de alguns trechos. É o que segue.

“Desolador” 

“A bilionária transposição definha na região mais pobre do Brasil. O cenário é desolador.

Improviso

“O eixo leste, que corta Pernambuco e Paraíba, não resistiu à gambiarra oficial.

´Torneira´ vazia

“A água sumiu há cinco meses e parte da região, que vislumbrou o fim da indústria da seca, continua sendo abastecida por carros-pipas.

Salto no custo 

“A transposição é a maior obra hídrica do Brasil. O eixo leste foi inaugurado às pressas e o norte segue sem previsão para conclusão. O orçamento inicial de toda a obra saltou de R$ 4,5 bilhões para R$ 12 bilhões.

 Decomposição

“A obra apresenta sinais visíveis de deterioração: paredes de concreto rachadas, estações de bombeamento paralisadas, barreiras de proteção rompidas, sistema de drenagem obstruído e assoreamento do canal em alguns trechos.

Suspensão 

“Por recomendação da ANA (Agência Nacional de Águas), o bombeamento da água ao longo do canal de 217 km de extensão foi interrompido em razão de risco de rompimento no reservatório Cacimba Nova, em Custódia, Pernambuco.

Expostas  

“Em vários pontos da obra, que entrou recentemente por decreto na lista de possíveis privatizações do presidente Jair Bolsonaro (PSL), as rachaduras são visíveis.

 

Sem proteção 

“Em alguns trechos, a parede de concreto do canal não existe mais. É terra mesmo. A manta de impermeabilização, que impede que a água infiltre para evitar um rompimento, fica desprotegida.

Abandono 

“Não há nem sequer funcionários nas estações de bombeamento e nos imóveis construídos nas barragens nas proximidades das comportas. Está tudo vazio. A impressão é a de que a obra foi largada no meio do caminho. Para evitar roubo, as empresas que trabalhavam no local retiraram os equipamentos.

Pela metade 

“Esse eixo (Leste) foi projetado para operar com 24 bombas. Temos a metade. A vazão prevista nunca foi alcançada. Neste momento, nenhuma bomba está em operação”, comentou o professor da UFPB Francisco Sarmento, que coordenou por 14 anos os estudos e planejamentos hidrográficos da transposição”.

Admissíveis

Em nota distribuída ontem, a representação do Ministério Público Federal em Monteiro assinalou que “por ora, não há razões para não acatar as justificativas técnicas do MDR (Ministério do Desenvolvimento Regional) acerca da suspensão de bombeamento de água no atual período de comissionamento da obra (fase de testes), assim como ocorreu em outras oportunidades, inclusive com a anuência dos órgãos envolvidos na transposição”.

Concepção

A procuradora do MPF, Janaina Andrade, acentuou que o projeto da transposição “não foi idealizado para realizar bombeamento contínuo de água para os açudes da Paraíba”.

Só emergencial

“O MPF em Monteiro desconhece a existência de qualquer documento ou ato normativo que obrigue o bombeamento de água no eixo Leste da transposição, sem o início da operação comercial”, grifou Janaina.

Desconexão

A representante do MPF registrou que “é importante destacar ainda que, de acordo com as informações técnicas do setor de engenharia do MPF/PB, não há relação entre a atual suspensão de bombeamento e rachaduras no canal”.

Inalterados

“É importante destacar ainda – segue a nota – que a suspensão do bombeamento não alterou os volumes dos açudes Cordeiro e São José, que abastecem a cidade de Monteiro e região”.

Outra causa

Ainda conforme o MPF, os açudes de Poções e Camalaú “possuem volume reduzido de acúmulo de água, não em razão da suspensão do bombeamento, mas sim porque passam por obras de recuperação, que deveriam ter sido concluídas desde 2016, afetando, inclusive, o acúmulo de águas das chuvas que ocorreram na região este ano”.

Hesitação

Em sua participação ontem na TV Itararé, o jornalista Napoleão de Castro (correspondente em Brasília) informou que a direção nacional do PSB hesita em entregar o comando do partido na Paraíba a um filiado (o nome propagado é do professor Fábio Maia) sem a representatividade que tem Ricardo Coutinho.

´Tudo junto´

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, deu o aval ontem ao processo de unificação dos Cartórios da Fazenda Pública em Campina Grande.

Caixa gordo

Se tudo der certo com o ´mega´ leilão do petróleo que o governo federal está organizando, vão ser depositados nos cofres do Governo da Paraíba recursos adicionais de 443 milhões e 500 mil.

E as prefeituras paraibanas farão um rateio de R$ 343 milhões e 538 mil reais.

Muita gente admirada com a crescente desenvoltura política de João Azevedo...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube