Fechar

logo
logo

Fechar

Arimatéa Souza

terça-feira, 02/08/2022

A última tentativa

´Pitaco´, sim

 “É claro que o candidato a governador tem o direito de opinar”.

A expressão foi verbalizada ontem pelo senador Veneziano Vital (MDB), ao se reportar à definição da professora Maísa Cartaxo, esposa do ex-prefeito Luciano Cartaxo (PT-JP), para ser candidata a vice-governadora em sua chapa.

Colaboradora

Ele realçou “a participação efetiva” que Maísa teve na gestão de Cartaxo à frente da prefeitura pessoense.

Acolhida

O senador enfatizou que “não observei nenhuma resistência no MDB ou no PT” à escolha para o cargo de vice.

“Não recebi sequer uma palavra de contestação”, reforçou.

Compromisso

À Rádio Caturité FM (104.1) de Campina Grande, o ´V´ revelou que – se eleito – pretende ocupar “pelo menos” 50% dos cargos de sua equipe de governo com mulheres.

Chegada

O ex-presidente Lula deverá desembarcar entre as 10h e as 11h de hoje no aeroporto João Suassuna, em Campina Grande, seguindo imediatamente para um encontro com lideranças religiosas no Garden Hotel.

Ao cair da tarde

Após um descanso no começo da tarde, o ex-presidente rumará para o Parque do Povo (PP) por volta das 16h30.

Oradores

Estão previstos apenas quatro pronunciamentos no PP: Maísa Cartaxo, ex-governador Ricardo Coutinho, senador Veneziano e Lula.

´Concentrações´

Antes de se deslocarem para o ginásio da AABB, sábado último, para o encontro com partidos que apoiam a sua reeleição, o governador João Azevedo e sua comitiva mais próxima permaneceram durante boa parte da tarde na residência da vereadora (licenciada) Eva Gouveia (PSD), no bairro do Mirante.

Simbologia

Na manhã do domingo, antes do deslocamento para a convenção numa casa de eventos na Alça Sudoeste, as lideranças do PSDB e partidos coligados foram recepcionadas pelo prefeito Bruno Cunha Lima na residência do ex-senador Ivandro Cunha Lima, localizada às margens do Açude Velho.

Da boca de…
“… Quem vocifera não aceitar resultado diverso da vitória não está defendendo a auditoria das urnas eletrônicas e do processo eleitoral de votação. Está defendendo apenas o interesse próprio de não ser responsabilizado pelas inerentes condutas ou pela inaptidão de ser votado pela maioria da população…” (ministro Edson Fachin, presidente do TSE, ontem, na retomada das atividades na Corte eleitoral).

Lição de vida

É imperdível o programa Ideia Livre desta terça-feira na Rede ITA (antiga TV Itararé – canal 18.1 e no YouTube).

O entrevistado é o juiz Onaldo Queiroga, que passou 36 dias inconsciente (a maior parte numa UTI), por conta da Covid 19.

Condicionalidade

Se avançar a possibilidade de o partido União Brasil vir a apoiar o ex-presidente Lula (PT) já no primeiro turno da eleição presidencial, o impacto será grande na política paraibana.

O ex-presidente ainda não desistiu.

Coligação

Por enquanto, com a desistência da candidatura a presidente do deputado Luciano Bivar (PE), o União Brasil passou a sinalizar para uma aliança com o Podemos visando lançar a candidatura do senador Álvaro Dias (PR) à Presidência.

O detalhe

Álvaro Dias pediu um prazo até quinta-feira para decidir.

Disputa

O governador João Azevedo (PSB) e o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB) adotaram o amarelo como cor principal da campanha.

Resistência

O PCdoB e o PV seguem unidos em torno do apoio ao governador João Azevêdo.

“Caso a Federação nacional (PT/PV/PCdoB) não aprove esta tese, a nossa defesa é que sejam liberados os dois partidos”, antecipou o professor Rangel Júnior, pré-candidato ao Senado pelo PCdoB.

Impasse

Em âmbito estadual foram enviadas as propostas das candidaturas de Rangel e do ex-governador Ricardo Coutinho (PT).

Sem jeito

“Sendo aprovado o nome de Ricardo, nós não participaremos da chapa, em hipótese alguma, porque não faria sentido para nós estarmos numa chapa que apoia Veneziano”, grifou o ex-reitor da UEPB.

Sem meio-termo

Segundo o pré-candidato do PCdoB, “para nós, ou sai a aprovação do nosso nome para a composição da chapa ou não participaremos em hipótese alguma”.

Longe da festa

O deputado Damião Feliciano (União Brasil) chegou cedo e saiu rápido da convenção que no domingo homologou as candidaturas de Pedro Cunha Lima e Efraim Filho para governador e senador, respectivamente.

Presente

Incólume, a ex-primeira do Estado. Glória Cunha Lima, acompanhou toda a convenção que homologou a candidatura do seu neto Pedro ao governo estadual.

Fila

Esta semana, os institutos Quaest, Paraná Pesquisas e PoderData divulgarão pesquisas eleitorais.

Resgate

Recorde-se um trecho do discurso do ex-senador Cássio Cunha Lima, domingo último, na convenção do PSDB: “Pedro poderia não estar aqui como candidato. Poderíamos ter Romero como candidato. Foi a opção de Romero não sê-lo”.

Undécima hora

Os ponteiros já se encaminhavam para o encontro (meia noite), no último sábado, quando foram definitivamente esgotadas e encerradas as conversações para que o ex-prefeito Romero Rodrigues (PSC) aceitasse concorrer ao governo estadual, dentro de uma estratégia oposicionista de buscar criar um fato novo visando alavancar a campanha para outro patamar.

´Disparar´ a campanha

Na expressão de um oposicionista, seria ´embarcar um míssil´ no ´foguete´ Efraim Filho.

As – lá vai o eufemismo – deferências facultadas ao ex-prefeito foram i-ni-ma-gi-ná-veis. Mas não rolou.

Figurativamente, numa inversão dos textos bíblicos, foi Romero quem ´renegou´ Pedro pelo menos três vezes.

A visita de Lula poderá ser o ´apocalipse´ da disputa de João para se vincular ao petista?...
Valorize o jornalismo profissional e compartilhe informação de qualidade!

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube