Fechar

logo
logo

Fechar

Arimatéa Souza

quinta-feira, 29/10/2020

A tensão da ´segunda onda´

Rastro de melindres

Ensina um ditado popular que ´se não for possível ajudar, pelo menos não atrapalhe´.

O professor Carlos Lupi, ´veterano´ presidente nacional do PDT, transitou pela Paraíba e deixou os filiados em situação incômoda com recentes aliados – leia-se o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV) -, e também aliados mais longevos, como o governador João Azevedo (Cidadania).

Namoro…

Em entrevista na sede estadual do partido, ontem, Lupi resolveu fazer juízo de valor e revelações acerca da política estadual.

… Antigo

Ao justificar a aliança com o PV de Cartaxo, Lupi disse que a escolha ocorreu “principalmente pelo fato de a gente examinar a gestão e observar a aprovação muito forte da gestão de Cartaxo. Temos conversado sobre isso, e não é de hoje”.

Situação de…

Ele prosseguiu: “Sentimos que havia um trabalho de tentar isolá-lo (Cartaxo) no processo político-partidário”.

… Confinamento

“Em nossa história, nós temos sempre a vocação de estar perto de alguém que se sinta discriminado, perseguido, alijado; com os poderosos querendo afastar”, realçou o dirigente do PDT.

Escolha

Lupi avançou: “E por que? Se ele (prefeito) é bem aprovado e tem uma professora (Edilma Freire) como candidata? Nós somos até chamados de o partido da educação, porque é a nossa principal bandeira”.

Cutucada no…

“Se monta um esquema dos tradicionais, tudo ex, para tentar afunilar, isolar ele (Cartaxo) e impedir a vitória. Muitos querem voltar à política antiga e lotear poder.

… Governador

“O Cartaxo não fez isso, mas fez uma política direcionada para o povo da cidade. E isso conquistou a gente, e não é de hoje. É claro que temos que respeitar as instâncias partidárias”, relatou Lupi.

Não é…

Apesar de considerar como “muito importante o reconhecimento da direção do PDT”, por reconhecer “a importância de João Pessoa seguir em frente e continuar avançando na qualidade de vida do nosso povo”, Luciano Cartaxo fez ressalvas às palavras de Lupi.

… Bem assim

Depois de sublinhar que “os dois partidos (PV e PDT) fazem política perto do povo, melhorando a vida do povo”, o prefeito realçou que “não me sinto, de forma alguma alijado ou isolado”.

“Quem tem o povo ao seu lado, tem tudo”, emendou.

Imposição

O prefeito observou que “muitas vezes se faz uma mega aliança, com os partidos políticos, mas se esquece de combinar com o povo. É aquela velha política de achar que uma grande coligação, sem o aval da população, resolve uma eleição. Eu sempre política perto das pessoas”.

“Retrocesso”

“Os acordos de bastidores, que não resolvem o processo eleitoral, são a política antiga, que acha que pode fazer uma aliança, vir de Brasília, combinar as coisas sem se comunicar a população. E achar que vai ganhar a eleição. Isso é um retrocesso que João Pessoa não quer mais. É daqui para melhor”, acrescentou Luciano Cartaxo.

Sem tensão

Na mesma ocasião, a vice-governadora Lígia Feliciano disse que “estou confortável no governo, porque é minha missão governar junto com João Azevedo”.

Não é com ela

Segundo ela, “a decisão de fazer a coligação com o prefeito (Cartaxo) é uma questão partidária”.

Não foi caso isolado

“Assim como o PDT, outros partidos que fazem a base do governo estadual têm os seus candidatos”, ponderou.

“Isso é uma questão política e partidária”, insistiu Lígia.

Viabilidade

A candidata a vice-prefeita na coligação encabeçada pelo empresário Artur Bolinha, médica Annelise Meneguesso, disse ontem na ´Caturité FM´ que o compromisso de deixar Campina com todas as ruas calçadas e com 100% com saneamento é possível, se a cidade tiver “uma gestão eficiente e competente”.

“Se parar de roubar, já vai melhorar muito”, grifou.

Questão…

Annelise comentou novamente a impugnação de seu registro de candidatura: “Quero acreditar que foi desorganização, e não perseguição”, da parte da PMCG, na parte que diz respeito ao recebimento de pagamento salarial em setembro último.

… Remuneratória

“Recebi o salário com três meses de atraso. Denunciei ao prefeito, mas esses atrasos persistem”, assinalou.

Incompreensível

A médica declarou que “não entendi porque o Ministério Público caiu nesse equívoco (de concordar com a sua impugnação)”.

Perfil

“Sou conservadora nos costumes e liberal na economia (…) Estudei num colégio militar a vida inteira. Tenho um altruísmo que não sei de onde vem”, verbalizou aos ouvintes a candidata.

Flexibilidade

Como médica, Annelise afirmou que “não sou simpatizante da vacinação obrigatória” contra a Covid-19.

O detalhe

A entrevistada de hoje na Caturité FM (8h15 da manhã) é a candidata Maria Sheylla Campos de Lima (PSB/PSOL).

Mais fogo

A confusão no Patriota em Campina Grande não para de crescer.

Após a desistência da disputa pelo vice (Wanderley Bezerra), o capítulo mais recente é a impugnação da candidatura do prefeitável Edmar Oliveira, mesmo com o deferimento tendo sido publicado na semana passada.

“Trama”

Em nota divulgada ontem, Edmar afirma estar sendo vítima de uma “trama sórdida”, provocada pela direção estadual do partido, devido “a interesses individuais e pouco republicanos”.

Não sabia

Ele disse que em nenhum momento foi notificado de qualquer pendência com relação à sua candidatura.

“Conluio”

O que houve – prosseguiu – foi “uma intervenção premeditada e criminosa” de seu ex-companheiro de chapa (Wanderley), que é presidente do partido em Campina, “em conluio” com a Executiva Estadual.

O atraso na formalização da desistência faria parte dessa “trama”.

Revelações

O prefeitável solicitou “proteção à Polícia Federal, pois dado o fervor político teremos que noticiar verdades sobre pessoas com relativo poder no estado. Temo por nossa integridade física, já que (os fatos) são claros e devem ser de conhecimento de toda a sociedade paraibana”.

Sinal amarelo

Alerta do Comitê Científico do Consórcio Nordeste: a segunda onda da pandemia de Covid-19, que já apavora a Europa, pode atingir o Nordeste nos próximos meses.

Convergências

Reportagem do jornal Folha de Pernambuco frisa que o Consórcio acentua que a potencialização do risco é causada pelo relaxamento nos cuidados, campanhas eleitorais e a vinda de turistas europeus para o verão nas praias nordestinas.

Chance de fazer diferente

“Há um risco real de que nos próximos meses tenhamos um fluxo de portadores do Sars-CoV-2, até de cepas diferentes das que aqui prevalecem”, alerta Miguel Nicolelis, neurocientista e um dos coordenadores do comitê.

– Já passamos por essa situação de ver os acontecimentos primeiro na Europa e depois se reproduzindo aqui. Temos uma oportunidade, desta vez, de não deixar isso se repetir – reforçou Nicolelis.

Começa o ´chute na canela´ na campanha...

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube