Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

terça-feira, 22/10/2019

A falta que faz um estadista

Duplo parabéns

No dia de seu aniversário, ontem, o deputado-presidente Adriano Galdino (PSB) recebeu em sessão solene (e conjunta) do Legislativo pessoense o título de cidadania da cidade, proposto pelo vereador Dinho (PMN), assim como a ´Medalha Epitácio Pessoa´ (a mais importante da Assembleia Legislativa), proposta pelo deputado Ricardo Barbosa (PSB).

Retrovisor

Adriano recordou as dificuldades que enfrentou para chegar pela primeira vez à presidência da ALPB, em 2015.

Peleja

Ele realçou que a eleição foi muito tumultuada e que o então governador, Ricardo Coutinho (PSB), quase o fez desistir porque, segundo RC, a luta seria inglória contra o deputado (e ex-presidente da ALPB) Ricardo Marcelo (filiado à época ao extinto PEN, atualmente Patriota).

Resistência

“Mas eu não desisti e venci. Agradeço muito a Ricardo Coutinho. Eu muito mais a ele do que ele a mim. Ele não foi grato”, sublinhou.

Outro opositor

Quanto à eleição mais recente (fevereiro deste ano), Galdino frisou que também não foi fácil, e que dessa vez teve que enfrentar Ricardo Coutinho.

Tranco

Ele registrou em seguida que não nutre mágoas do ex-governador: “Hoje eu não tenho mágoa nenhuma dele, porque eu soube dar um freio de arrumação nele”.

Autorretrato

“É assim que é Adriano: respeitoso, amigo, solidário, irmão, mas que não aceita mais levar paulada. Já sofri bastante. Já aceitei muitas histórias nesta vida e daqui para frente eu quero respeitar a todos, mas quero também ser respeitado”, acentuou.

Gesto

Uma das primeiras ações da nova direção do PT/PB foi a aprovação de uma ´moção de apoio´ a Ricardo Coutinho.

Replicada

“Há vazamentos seletivos; processos que correm em segredo de Justiça vazados para a imprensa; ações que no lugar de serem instrumentos de levantamento de provas já servem como provas. Enfim, todas essas ações nacionais começam a ter reflexos na Paraíba. É como se a Operação Lava Jato estivesse fazendo escola no Estado”, justificou o reeleito presidente petista, Jackson Macedo.

Foguetório

Muitas comemorações, entre aliados do governo estadual, por conta da substituição da direção do Hospital de Queimadas.

Um dos mais satisfeitos é o prefeito de Boqueirão, João Paulo Segundo Barbosa.

Sem fronteira

Acontece hoje, em São Paulo, o ´batismo´ de ´Gal´, que é um robô da empresa aérea Gol que vai transitar na parte interna dos aeroportos e auxiliar os clientes da empresa em termos de troca de passagens e local de embarque, entre outros serviços.

Na tela

O prefeito Romero Rodrigues (PSD) é o entrevistado de hoje no programa Ideia Livre da TV Itararé (canal 18.1), que começa logo após o Jornal da Cultura (22h).

O detalhe

Ele fala longamente sobre a sua sucessão campinense no próximo ano.

Condenação

O Superior Tribunal de Justiça, em recente decisão, condenou uma empresa fabricante de cerveja a pagar uma indenização de R$ 10 mil “de danos morais” a um consumidor que encontrou uma carteira de cigarros dentro de uma garrafa de cerveja.

Alcance

Destaque para a posição do STJ: a compra de produto alimentício contendo corpo estranho na embalagem, mesmo sem haver a ingestão do conteúdo, gera indenização por danos morais.

´Ex-amigo´

“Inicialmente, o nosso presidente, tentando enfraquecer, estava para tomar o controle (do partido). No próximo ano tem eleições e Bolsonaro queria o controle total de todos os diretórios do país, inclusive tinha pedido a minha cabeça em Goiás (…) Ele queria a chave do cofre, que é a chave do fundo partidário.”

Deputado Delegado Waldir (GO), que estava na briga pela liderança do PSL na Câmara Federal.

Recuo

No dia de ontem, o deputado Waldir formalizou a desistência da liderança, como um ´gesto de conciliação´ para tentar tirar o partido da crise.

Mas ao longo do dia a briga recrudesceu.

´Degola´

Eduardo Bolsonaro, anunciado como novo líder do PSL, adotou como uma das primeiras medidas o afastamento de todos os vice-líderes, entre os quais o paraibano Julian Lemos.

Regra três

Se a bancada resistir ao nome do filho do presidente, Julian Lemos poderá ser o nome do ´mínimo de consenso´ para a liderança.

Insustentável

De acordo com dados do Tesouro Nacional, o Rio Grande do Sul está comprometendo atualmente 104% de suas receitas com o pagamento da folha dos servidores.

No caso de Minas Gerais, o percentual é de 90%.

Vivendo em…

O Brasil enfrenta, inegavelmente, um retrocesso no seu debate político, e recua para um período que pensávamos ultrapassado do ponto de vista histórico – que é simplificado na teoria desgastada, mas ainda muito viva, da polarização entre o bem e o mal.

… Círculos

Como agravante existe o fato de o próprio presidente da República liderar essa polarização. Como sabemos, no regime presidencialista, como é o caso do nosso, a Presidência da República é uma espécie de instituição nacional, que naturalmente induz o debate e pauta o País inteiro.

Não desceu do palanque

No caso de Bolsonaro, a campanha sectária que fez no processo eleitoral do ano passado se estende ao exercício do mandato, o que deixa o País permanentemente polarizado e confrontado. E caberia a ele, pela força do cargo, patrocinar e estimular a coesão nacional em torno de um projeto comum de nação.

O que se observa, até onde a vista alcança, é que esse grau de radicalização só tende a piorar.

João Azevedo vai botar a sua ´colher´ na sucessão campinense?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube