Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

quarta-feira, 01/08/2018

A confrontação se amplia

´Foro íntimo´

André Agra, que deixou ontem o cargo de secretário de Planejamento da Prefeitura de Campina Grande, disse ao colunista em entrevista que a opção de se afastar da PMCG ocorreu “por questão bastante pessoal e de família. Uma série de circunstâncias”.

Agra, que regressa ao Tribunal de Contas do Estado, no qual é auditor concursado, revelou que “era um sonho de criança que eu tinha ser secretário” da PMCG.

Quem são

Eis os Juízes Auxiliares do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba responsáveis pela Propaganda Eleitoral: desembargador Oswaldo Trigueiro do Valle Filho, Juiz Federal Emiliano Zapata de Miranda Leitão e o Juiz de Direito Kéops de Vasconcelos Amaral Vieira Pires.

Aceite

Ao cabo de muita (aparente) hesitação, o deputado Luiz Couto (PT) disse ´sim´ aos apelos do partido e (principalmente) do governador Ricardo Coutinho (PSB) e aceitou abdicar da tentativa de conquistar o 5º mandato na Câmara Federal para buscar um mandato de senador.

A conversa definitiva ocorreu na última segunda-feira.

Padrinho

“A Paraíba não pode retroceder”, verbalizou Couto, ontem, em entrevista, ocasião na qual mencionou que várias pesquisas indicaram uma tendência do eleitorado de votar em candidatos apoiados pelo ex-presidente Lula.

À deriva

O petista disse à ´Arapuan FM´ que “não relutei. Lançaram o meu nome, mas não fizeram nenhum movimento”, numa menção aos desdobramentos desse processo ao longo dos últimos meses.

Dose dupla

“A posição do governador é a de eleger os dois senadores”, informou o deputado, que terá o seu nome lançado formalmente hoje, às 10h, no Esporte Clube Cabo Branco, em João Pessoa.

Assimilação

Acerca do fato de ter que dividir o palanque com o Democratas e com o deputado Veneziano (ex-MDB), Luiz Couto respondeu que “se a aliança é com o PSB, não podemos ter nenhum tipo de restrição”.

O alvo

Animado com a postulação de Couto ao Senado, o deputado Anísio Maia (PT) mirou o PSDB: “Nós vamos para cima dele – o ´general do golpe´, o senador Cássio Cunha Lima”.

Um dos três

Provavelmente ainda hoje, o PT definirá quem vai concorrer à ´vaga´ de Luiz Couto na Câmara Federal: deputados Frei Anastácio e Anísio Maia (o provável) e o vereador pessoense Marcos Henrique.

Concorrida

Ricardo Coutinho projetou ontem que “vai ser uma boa disputa” a corrida pelas duas vagas de senador pela Paraíba nas eleições deste ano.

Sem ´largada´

Ele pontuou que (sem citar o nome) o senador Cássio, que obtinha 70% ou até 80% dos votos em Campina em pleitos anteriores, “vai lutar muito para sair com 30%” este ano”.

Julgamento

Para o governador, a eleição majoritária no Estado “será uma disputa plebiscitária”.

“Ninguém vai ignorar a caminhada feita na Paraíba. A política é também a arte da comparação”, frisou.

 

 

Sem hesitar

RC recordou que denunciou desde o começo “a farsa do Governo Temer”, enquanto outros políticos locais surfavam na ´novidade´.

Esgotamento

“Esse tipo de comportamento já foi abominado. As pessoas já se cansaram disso”, emendou, com um grifo adicional: “Os que nos enfrentam representam o Governo Temer”.

Coligações

Ao ser questionado quanto à diversidade ideológica da coligação que o PSB irá liderar no Estado, o socialista argumentou que “as alianças são para serem feitas com os diferentes. Mas não pode ser um conluio de interesses particulares”.

Linha direta

Em entrevista na ´Campina FM´ a este colunista, o governador revelou que “tenho recebido muitos telefonemas de Carlos Lupi (presidente nacional do PDT)”.

Afago

Após sublinhar que “tenho admiração por Ciro Gomes (presidenciável do PDT), Ricardo enfatizou que “eu sempre defendi a unidade no campo democrático, que vai além dos partidos de esquerda”.

Encurtamento

Parece que está ´encolhendo´ o fosso entre o governador e o PDT.

Sem temor

Ao ser indagado se a sua confrontação com a comunidade acadêmica e a Reitoria da UEPB poderia provocar prejuízos eleitorais à sua coligação, o governador respondeu que “não provocou prejuízos na eleição de 2014, e este ano muito menos”.

Intromissão

“A cúpula da UEPB tem uma pauta eleitoral. De quatro em quatro anos ela (pauta) se apresenta”, acentuou o governador, para afirmar que “o problema da UEPB é de gestão”.

“Chega dessa história de achar que existe uma entidade superior, que não pode ser tocada”, exclamou o socialista.

Sem ´remendar´

“Todo o dinheiro lá (na UEPB) vai para os gastos com o pessoal”, pontificou RC, para justificar que não propôs a atualização da ´lei da autonomia´ da instituição de ensino porque “essa questão está envolta num clima de passionalidade que nunca vi na vida”.

“E isso obstrui o raciocínio e a clareza das ideias”, acrescentou.

Contrapartida

Para RC, “governar não é você ter uma ´cachoeira de dinheiro caindo num jardim, e você fazer o que bem entender”.

“A UEPB tem que dar mais aos seus estudantes e ao povo que a sustenta”, exclamou.

Novos embates jurídicos

O governador informou que ingressou no Judiciário com duas ações contra a Universidade, visando assegurar o ingresso dos aproximadamente 3 mil alunos que conquistaram esse direito e foram barrados por uma Resolução da Reitoria, e também para que a UEPB faça o recolhimento do que deve à previdência estadual.

– Com qual direito a UEPB não paga a previdência? – questionou.

 

O DEM/PB está ´inquieto´ na base governista...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube