Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

segunda-feira, 15/10/2018

A arte (e o lucro) de cooperar

Aprendizado

O hiato de alguns dias na publicação de APARTE se deve à soma de minha participação num encontro nacional de jornalistas sobre cooperativismo ao feriadão tradicional de outubro.

O interior da região Sul do País, onde ocorreu o evento acima referido, respira cooperativismo e tem muito a nos ensinar em termos de educação financeira e (principalmente) sobre as formas de organização de uma comunidade em prol de seu próprio desenvolvimento.

Exemplar

O Sistema Sicredi, que floresceu a partir da (atualmente denominada) ´Pioneira´, encravada na aprazível cidade de Nova Petrópolis (RS), é um exemplo vivo e pulsante da força propiciada pela união em torno de um mesmo objetivo.

Serviço

Nas palavras de João Tavares, atual presidente do Sistema Sicredi, está o itinerário do sucesso ininterrupto: “Trabalhamos para a sociedade dispor de um cooperativismo arejado”.

Visionário

As sementes desse sistema foram lançadas em meados do século passado, quando um padre jesuíta de origem suíça veio para o Brasil atuar como missionário e identificou as dificuldades dos imigrantes (notadamente alemães e italianos) para a obtenção de crédito visando desbravar as suas aptidões agrícolas, devido à inexistência de dinheiro para a aquisição de ferramentas e sementes.

Singular

O padre – chamado Theodor Amstad – era um homem muito à frente de seu tempo. E por essa razão a sua memória é exaltada e decantada em prosa e verso no universo do cooperativismo, até porque as suas ações desbravadoras igualmente ocorreram em outras áreas de interesse público, como assistência social, saúde e educação.

´Dogma´

O Sistema Sicredi já congrega dezenas de cooperativas Brasil afora, mas mantem-se aferrado a um mandamento: “O que desejamos é valorizar o relacionamento. A Sicredi não vai mudar a sua missão por conta de embalagens ou por seu tamanho. O que nos move é melhorar a qualidade de vida do cooperado e da sociedade”, proclamou João Tavares.

De mãos…

Essa ênfase é particularmente importante diante dos milionários investimentos que estão sendo feitos para a modernização tecnológica do sistema Sicredi, muita coisa em parceria com a PUC (Pontifícia Universidade Católica) do Rio Grande do Sul.

… Dadas

“Inovação tecnológica não tem sentido sem ser para prosseguir com a missão”, grifou o presidente nacional da Sicredi.

Rota

Ele disse que a direção não perde de vista a filosofia que inspirou o surgimento do cooperativismo na Alemanha, no longínquo século 19, através de Friedrich Wilhelm Raiffeisen.

Dimensão

A ideia ´paroquial´ do padre Amstad deu frutos que certamente o espantaria, se vivo estivesse: 1.600 agências (algumas delas em Campina Grande e João Pessoa); 116 cooperativas de crédito; mais de 300 produtos financeiros oferecidos; R$ 13,8 bilhões em patrimônio líquido; R$ 57,2 bilhões em depósitos totais; 24 mil colaboradores; R$ 46 bilhões investidos em crédito.

Evolução…

No interior do Paraná está em curso uma experiência piloto, na qual inexiste a circulação de dinheiro na cidade.

… Em gestação

Tudo ocorre através de cartões ou aplicativos da Sicredi. Até mesmo a doação semanal às igrejas ocorre sem o uso de dinheiro em espécie.

Iniciativa

“Se a gente for esperar a transformação do Brasil pelos governos, vai demorar muito tempo”, acentua João Tavares.

Muita estrada…

Convidado especial do encontro de jornalistas, Harold Espínola, do Departamento de Supervisão de Cooperativas Não-Bancárias do Banco Central, observou que, apesar da longa trajetória histórica, o cooperativismo ainda está nos primeiros passos no País.

… Pela frente

“A maioria da sociedade ainda não entende nada do que é cooperativismo”, observou o diretor do Bacen, ao apontar o vasto campo a ser desbravado pelas cooperativas.

Sincronizar

“A tecnologia não é o diferencial, é piso. E quem não avançar, está fora”, alertou Harold, ao grifar a imperiosa necessidade de harmonizar o avanço tecnológico com o aprimoramento do relacionamento com a sociedade e os cooperados.

Propagação

Em síntese, a direção do Sistema Sicredi e o Banco Central comungam da percepção de que enfrentar o desconhecimento da população é o grande desafio a ser encarado ao longo dos próximos anos, na perspectiva de exportar para o Brasil inteiro situações existentes no interior sulista, no qual dezenas de cidades têm mais de 50% de suas populações associadas a alguma cooperativa.

Essência

O raciocínio parece simples, mas culturalmente é de absorção lenta: numa cooperativa, as operações e aplicações são feitas na própria comunidade, como também a repartição dos lucros obtidos.

A união…

A simbologia do cooperativismo está na placa existente na praça que celebra a vanguarda da Sicredi Pioneira, no centro da cidade de Nova Petrópolis (RS), que é de autoria do padre Amstad.

… Faz a força

“Pois se uma grande pedra se atravessa no caminho e 20 pessoas querem passar, não conseguirão se um por um a procura remover individualmente. Mas, se as 20 pessoas se unem e fazem força ao mesmo tempo, sob a orientação de uma delas, conseguirão solidariamente afastar a pedra e abrir caminho para todos”.

O detalhe

Se o Sistema Sicredi fosse um conglomerado financeiro, já seria o 6º maior do Brasil.

Um olhar…

Outro convidado para o evento foi Peter Kronstrom, que integra a direção do Copenhagen Institute for Futures Studies, uma organização governamental com sede na Dinamarca e que se dedica a estudar e projetar o futuro.

… À frente

“A moeda do futuro é a confiança”, prognosticou, para em seguida sublinhar que já existem tecnologias disponíveis para executar “75% do trabalho atualmente feito por seres humanos”.

Perspectiva

A sua observação acima serviu de gancho para delinear o que se descortina já a olhos vistos pelo mundo: “Um dos maiores negócios no futuro será o que se destinar às atividades para a terceira idade. Isso vai explodir, assim como o entretenimento”.

Que vai ´reinar´

Peter enfatizou que “a ideia que temos hoje de aposentadoria não faz mais sentido. A nova era é a da aposentadoria sequencial (alternância entre folgas mais prolongadas e atividade laboral continua)”.

Mas a sua conclusão retomou o mote inicial: “O superpoder do futuro serão as terceiras e (nascente) quarta idades. O futuro será dominado pelos velhos”.

O detalhe: o colunista prestigiou o evento a convite do Sistema Sicredi. Aqui vai o agradecimento à sua direção local.

Que largura terá o ´muro´ do 2º turno para presidente?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube