Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 03/11/2018

1 filme num minuto

Virou a chave

Por designação da direção, coube a mim, ao meio dia desta sexta-feira, ler o comunicado que colocou um ponto final nas transmissões em AM (amplitude modulada) da Rádio Caturité de Campina Grande.

Um ciclo histórico foi concluído. Horizontes serão abertos neste sábado, com a fase em FM (frequência modulada).

Túnel…

Num curto intervalo de tempo, a já história longa com a Caturité rodopiou por minha mente, revolvendo páginas da convivência diária e também destampando lembranças e pessoas que marcaram essa trajetória.

… Do tempo

Aportei na emissora há muitos anos (1986), pelas mãos do padre José Assis Pereira Soares e na companhia do então seminarista (e hoje padre) José Vanildo de Medeiros, como também da estudante Aparecida Albuquerque, na apresentação do informativo semanal da Pascom (Pastoral da Comunicação) diocesana, aos domingos.

Etapas

Algum tempo depois, fui incorporado à equipe de jornalismo e, meses depois, ao setor esportivo.

Sim, o jornalista político do presente veio algum tempo depois e essa história fica para outra oportunidade.

Referenciais

No Jornal de Verdade, assimilei conhecimento e experiência com a convivência diária ao lado de Juarez Amaral (e sua vocação nata de repórter), a organicidade de Paulo Roberto Florêncio, e posteriormente com o encantamento sonoro do inesquecível Geraldo Batista.

Parceiros

Não há como esquecer da espirituosidade desmedida do também inesquecível Joacir Oliveira (Cabeção), com quem cheguei a apresentar o programa ´No Balanço da Cidade´.

O caruaruense Luiz Alberto também marcou essa caminhada.

Futebol

No departamento esportivo, a missão era plantonista esportivo, algum ensurdecedor em tempos pré-internet.

Mas trabalhar com Joselito Lucena compensava qualquer sacrifício de ordem pessoal.

Outra missão

Anos depois da chegada, a direção da Rádio encarregou-me de apresentar outro programa aos sábados – ´Os Reclamos do Povo´, predominantemente de debates.

Aprendizado

A parte mais marcante desse programa foram os anos nos quais houve a participação do indelével amigo Dom Luís Fernandes, que debatia comigo os temas de maior relevância na semana que findava.

Concepção

Dom Luís aprofundou na Caturité um princípio que já inspirava a atuação do superintendente da emissora, advogado José Cursino de Siqueira: a rádio tem que ser PLURAL, dar vez e voz a todos, indistintamente.

Legado

Ambos concebiam a Caturité muito mais do que uma rádio ligada à Diocese: é um patrimônio de Campina, independentemente de quem esteja transitoriamente em seu comando.

Proximidade

Na rotina da emissora, aproximei-me crescentemente de ´Dr. Siqueira´ – era assim que, invariavelmente, todos chamavam, menos como rotulação acadêmica, mas como manifestação de respeito.

Aulas no fim…

A convergência dessa convivência era o mútuo (nele muito mais) apreço à leitura, notadamente de filosofia.

… Do expediente

Ele, professor nato, adorava desdobrar nas horas vagas a obra de filósofos e escritores marcantes. Assim, por ele fui aprofundado na genialidade de Sêneca, Platão, Terêncio, entre outros.

Influências

Nesse mundo da leitura, diga-se de passagem, Dom Luís e o padre Assis tiveram papeis relevantes em minha vida.

Ambos leitores compulsivos, intelectuais que se admiravam, apesar das eventuais visões distintas de mundo.

Meia dúzia

Por um desses vacilos, não anotei os seis livros que Dom Luís selecionou para acompanhá-lo pelo restante da vida, no instante em que doou todo o seu acervo de centenas de livros ao Seminário Diocesano de Campina Grande.

Segundo ele, os seis sintetizavam tudo o que aprendeu pela vida.

Fora do ar

Mas voltando ao ato de ontem, igualmente veio à mente os desafios ultrapassados em etapas pretéritas da Caturité, a exemplo do verdadeiro desespero que se abatia sobre todos quando havia a interrupção das transmissões devido ao rompimento de cabos entre os estúdios (rua João Pessoa, centro de Campina Grande) e a localidade do Jenipapo (aproximadamente 7 quilômetros).

Em vários casos, essa avaria ocorreu de forma proposital, até criminosa.

Trabalho braçal

Para o leitor ter uma ideia, quando isso acontecia era preciso ir testando todo o trecho até ser encontrado o fio rompido. Em tempos chuvosos, era algo até doloroso.

Entenda-se por ´ir testando´, subir nos postes desse percurso com fones de ouvido.

Linha de frente

A equipe de Hugo Alves, `Manoel do Transmissor´ e Paulo Cabral assumia o desafio de estancar o desesperador silêncio nas transmissões.

Vida que segue

Os bispos se sucederam, alguns diretores também, e a Caturité conserva essa marca diferenciada de independência, a qual já me referi.

Continuidade

Lúcia Duarte, atual diretora comercial, assimilou bem o carinho e a dedicação professadas por Dr. Siqueira, que nos deixou há alguns meses, ao cabo de uma dolorosa enfermidade.

Florescer

Mas, certamente, onde ele estiver, sentirá uma enorme emoção ao saber que a ´sua Caturité´ fez da sua semente o brotar de um novo tempo em sua trajetória, nessa última fase sob o comando do padre Adeildo.

Contribuições

É importante ressaltar a determinação de Dom Manoel Delson para fazer avançar essa migração que hoje se consuma, como também a resiliência de Dom Matias Patrício de Macedo, que formalmente ainda integra a direção da Caturité e respalda todas essas mudanças.

Vinculação

O novo bispo campinense, Dom Dulcênio, que passou a orientar a caminhada da Caturité, nos revelou esta semana a sua surpresa com o vínculo que a rádio tem com as pessoas.

Incalculável

Em todas as suas andanças pelo interior da diocese, a menção à Caturité é algo constante.

“É algo que não tem preço!” – exclamou.

Mão dupla

Nós que fazemos a Caturité, notadamente o Jornal da Manhã (Anchieta Araújo, Mônica Victor, Juarez Araújo e Rayanne Araújo) somos testemunhas cotidianas do apreço que o ouvinte nos confere.

E buscamos sempre retribuir em atenção e intensidade.

Cumplicidade

É algo muito singular e especial, que não tem similar conhecido para ser comparado.

O carinho que boa parte dos ouvintes nos devota é algo até comovente. Nos faz sentir muito mais do que ouvidos: somos, na verdade, acolhidos, em suas casas ou locais de trabalho.

A Caturité é uma grande família. E como ensina o papa Francisco, “as famílias devem ensinar amor, acolhimento e perdão, que são os melhores antídotos contra o ódio, o preconceito e a vingança, que envenenam a vida de pessoas e comunidades”.

“A vida é a infância da imortalidade” (Goethe, escritor alemão)...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube