Fechar

logo

Fechar

Violência contra a mulher denunciada por ex-esposa de DJ Ivis ganha repercussão na Paraíba

Da Redação. Publicado em 12 de julho de 2021 às 21:22.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A noite de domingo (11) foi marcada por mais um caso de violência contra a mulher no Brasil, escancara nas redes sociais, após a ex-esposa do DJ paraibano Ivis divulgar vídeos onde aparece sendo agredida pelo artista.

Socos, pontapés e cenas de horror são protagonizadas na frente da filha do casal, uma bebê de meses. Também presenciam as agressões um amigo de Ivis e a babá da criança.

Os vídeos que circulam nas redes chamam atenção e escancaram um problema social que parece não ter fim. A violência contra a mulher.

Dados obtidos pelos canais de denúncias Disque 180 e Disque 100 do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos apontam que em 2020 o Brasil registrou mais de 105 mil denúncias de violência contra a mulher. A pandemia aumentou os casos.

A crueldade das imagens de agressões do DJ Ivis ganhou repercussão nacional. Na Paraíba, seu estado natal, autoridades e políticas lamentam o caso.

Em entrevista a uma emissora de rádio nesta segunda-feira (12), a secretária estadual da mulher, Lídia Moura, lembrou que as pessoas costumam naturalizar a violência e ressaltou a importância do apoio as vítimas.

– Esse nível de violência que estamos vendo nesse momento é uma rotina na vida de muitas mulheres. Nós lamentamos, nos solidarizamos com Pâmela Holanda e alertamos para a sociedade que essas cenas de tortura, inclusive diante da filha e com pessoas assistindo sem tomar providências, são comuns porque as pessoas naturalizam a violência. Elas precisam de apoio e amparo para sair desse ciclo. O alerta que fazemos é que aquela cena pode levar ao ápice que é o feminicídio – bradou.

A vice- governadora do estado, Lígia Feliciano (PDT), usou as redes sociais para repudiar as cenas violentas.
Ela compartilhou o número de denúncias e pediu para que as pessoas não se calem.

– Nenhuma mulher deve ser silenciada, agredida, desrespeitada, violentada, humilhada, ameaçada. Pâmela nem você e nenhuma mulher estão sozinhas. Eu sinto a sua dor e luto para que nenhuma outra mulher passe mais por isso. Não podemos nos calar contra esse crime. Não deixe de denunciar. Ligue 180 – alertou.

Quem também repudiou o ato covarde foi a vencedora do Big Brother e advogada, a paraibana Juliette Freire que em seu perfil no Instagram lamentou o ato criminoso e desumano do conterrâneo.

– Por nenhuma mulher a mais silenciada. A violência não deve e em pode nos calar. Não existe justificativa. Todos o meu apoio a Pâmela. E repúdio as cenas e atos de horror do DJ Ivis. Violência contra a mulher é crime – lamentou.

A senadora Daniella Ribeiro ( Progressistas) foi além. Ela repudiou e cobrou ações do estado para coibir a violência lembrando que já há políticas públicas de amparo, mas que precisam de reforço para serem colocadas em prática.

– Mais um caso de violência contra a mulher. Imagens repugnantes e mais uma tentativa de culpar a vítima. Estamos avançando com as leis. É urgente a ação do estado para efetivá-las e encorajar as milhões de vítimas do nosso pais. Nada justifica agressão – pontuou.

Da mesma cidade que o DJ, a deputada Jane Panta cobrou posicionamento das pessoas para que não sejam coniventes com atos violentos contra as mulheres.

Todo dia assistimos cenas de violência. A sociedade precisa de posicionar. Homens e mulheres precisam se unir ela paz e o respeito mútuo – assinalou.

DJ Ivis é natural de Santa Rita, região metropolitana de João Pessoa na Paraíba. Ele ganhou fama e foi contratado pela produtora Vybbe do cantor Xand Avião que após a polêmica gravou um vídeo lamentando a situação e demitindo o artista.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube