Dilemas de João Azevedo rumo ao projeto de reeleição

Da Redação. Publicado em 14 de julho de 2021 às 21:30.

Foto: Leonardo Silva

Foto: Leonardo Silva

O governador João Azevedo (Cidadania) protagoniza dois estágios distintos de sua caminhada rumo à busca da reeleição.

De um lado, a oposição ao seu governo permanece limitada e retraída, o que tem permitido a JA, periodicamente, abocanhar mais apoios, notadamente no segmento importante dos prefeitos sedentos por convênios com a administração estadual.

Noutra angulação, a compatibilização dos aliados, em termos de chapa majoritária, parece um ´angu´ que encaroça gradualmente, diante da inexistência de espaços para contemplar todos os interessados.

O MDB do senador Veneziano Vital invoca o ´abraço´ inicial à campanha do então desconhecido João, no pleito de 2018, bem como o fato de contar com duas cadeiras no Senado, para qualificar-se para um lugar ´cativo´.

Os cinco deputados estaduais do Avante e a apregoada fidelidade dessa bancada ao governador são os trunfos do deputado-presidente Adriano Galdino para igualmente reivindicar presença indispensável na mesma chapa.

Existe a postura singular do Democratas, que integra a base governista.

A legenda já antecipou que disputará, em qualquer circunstância, uma cadeira no Senado com o deputado federal Efraim Filho. 

Por fim, o ´namoro´ regionalmente ainda não assumido com o Progressistas. 

Uma legenda que aproximou-se do governador no ano passado para disputar – e ganhar – a Prefeitura de João Pessoa com o ex-senador Cícero Lucena.

A hipótese de eventualmente ter na oposição, na disputa da reeleição, as prefeituras da Capital e de Campina Grande é algo que não agrada João Azevedo, que terá contra si, adicionalmente, o peso diferenciado do governo federal. 

Enquanto o governador ganha tempo para tomar decisões e fazer (ou revelar) escolhas, bem mais explícita e determinada é a estratégia ´colaborativa´ de dois aliados: Veneziano e Efraim Filho, que somam forças para combater um adversário comum – o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP), que deseja ser o candidato ao Senado na chapa governista.

Ribeiro é adversário ocasional do demista, mas renhido e até já longevo adversário do senador do MDB.

Veneziano, arguto por formação e por descendência, tem utilizado a pré-candidatura de Efraim como uma espécie de anteparo visando neutralizar a intenção de Aguinaldo, nem precisando, no momento atual, travar uma disputa pública e direta com o PP para a consecução do seu intento.

O ´V´ limita-se a abrir trilhas de apoio para o deputado do DEM – em alguns locais apalavrando o ´espólio´ de votos proporcionais de Efraim para a sua esposa Ana Cláudia, pré-candidata a deputada federal, caso não vingue a vice-governadoria -, o que implica em silenciosas ´barricadas´ contra Aguinaldo, por ele considerado um ´estranho no ninho´ governista, quando não ´intruso´ de última hora.

Assumido admirador e estudioso das ciências políticas e sociais, Veneziano encarna uma velha e proverbial máxima do ambiente eleitoral: “O inimigo do meu inimigo é meu amigo”.

*com informações da coluna Aparte, assinada pelo jornalista Arimatéa Souza

Para ler a coluna completa desta quarta-feira, acesse aqui:

Aparte: o ´nó´ na base governista no Estado; mais energia sendo gerada na PB • Paraíba Online (paraibaonline.com.br) 

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube