Secretário de Saúde da PB: máscaras só podem ser abandonadas quando alcançarmos imunidade coletiva

Da Redação. Publicado em 11 de junho de 2021 às 15:12.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, pediu ao ministro da Saúde, o paraibano Marcelo Queiroga, um estudo para avaliar a possibilidade do não uso de máscaras em pessoas já vacinadas contra a Covid-19, e as que já tiveram a doença.

A fala causou polêmica, principalmente na comunidade médica, e vem sendo pauta nos veículos de comunicação.

O secretário de Saúde do estado da Paraíba, Geraldo Medeiros, se posicionou contra o presidente explicando que as pessoas precisam da máscara, pois, mesmo recebendo as duas doses da vacina, as pessoas ainda podem contrair e disseminar a doença.

Foto: Paraibaonline

– A manifestação do presidente em relação à possibilidade do não uso de máscaras nas pessoas vacinadas ou que já foram vítimas da Covid-19, não condiz com os estudos científicos que foram evidenciados ao longo dessa pandemia. A pessoas que se vacinam com a primeira e segunda dose podem apresentar nas vias aéreas o vírus e contaminar outras pessoas, além do mais, existe um percentual de pessoas que podem adoecer mesmo sendo vacinados. As pessoas que já apresentaram a doença também podem ter o vírus e disseminar. E há ainda os casos de reinfecção. Por isso, a utilização de máscaras deve permanecer junto com o distanciamento – explicou.

O médico alertou ainda que é preciso alcançar a imunidade de rebanho e que o país ainda não conseguiu o percentual necessário.

– A máscara só pode ser abandonada quando a pandemia se tornar endêmica e quando alcançarmos a imunidade coletiva, com pelo menos 75% da população vacinada – pontuou.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube