Primeira-dama prestigia Fórum de Artesanato paraibano

Secom/PB. Publicado em 21 de junho de 2021 às 23:33.

Fotos: André Lúcio

Fotos: André Lúcio

A primeira-dama do Estado, Ana Maria Lins, e a gestora do Programa do Artesanato Paraibano (PAP), Marielza Rodriguez, prestigiaram, nesta segunda-feira (21), a exposição dos produtos de artesãos que integram o Fórum de Artesanato do Estado da Paraíba (Feart-PB) e reeducandas do Projeto Castelo de Bonecas, num espaço da loja do Grupo Ferreira Costa, localizada na estrada de Cabedelo, Grande João Pessoa.

A feira de artesanato junina vai funcionar das 9h às 19h, no hall de entrada da loja.

A iniciativa, que tem o apoio do Programa do Artesanato Paraibano (PAP), vinculado à Secretaria do Turismo e Desenvolvimento Econômico (Setde), vai beneficiar diretamente dez artesãos, que vão ter a oportunidade de mostrar o melhor da produção artesanal do Estado para um público diário estimado em três mil pessoas.

A primeira-dama Ana Maria Lins destacou a importância da realização dessa exposição em uma loja que tem uma grande movimentação de pessoas diariamente.

“Quero agradecer ao Grupo Ferreira Costa pela parceria com o Governo do Estado, em ceder gratuitamente este espaço para os artesãos. Neste período de pandemia, essa ação é de grande importância para os artesãos poderem comercializar seus produtos e gerarem renda para suas famílias. As pessoas que vêm ao Ferreira Costa podem, a partir de hoje, comprar também artesanato de qualidade e genuinamente paraibano”, frisou.

A gestora do PAP, Marielza Rodriguez, afirmou que parcerias como esta firmada com o Grupo Ferreira Costa representam uma grande estratégia para atravessar este momento difícil trazido pela pandemia.

“Essa iniciativa mostra a sensibilidade desse grupo empresarial com os nossos artesãos e artesãs, mas também o respeito pelo trabalho do Governo do Estado em prol de um segmento tão importante para a nossa economia, para a nossa cultura”, acrescentou.

Por ser um período junino, quem visitar a loja Ferreira Costa terá a oportunidade de apreciar o melhor das técnicas de artesanato ligadas à época, a exemplo do patchwork, fuxico, crochê, bonecas de pano e brinquedos populares.

O gerente adjunto do Grupo Ferreira Costa, Ceciliano Venceslau, ao destacar a importância da iniciativa, ressaltou a ligação da empresa com a cultura nordestina.

“A loja Ferreira Costa – como muitos sabem – é nordestina também, e não há por que nós não darmos esse valor ao nosso artesanato, aos nossos artesãos e artesãs locais com suas habilidades”, disse, lembrando a parceira entre o Grupo e o Governo do Estado na cessão de espaço para artesãos do PAP.

O presidente do Feart-PB, Francisco Ribeiro, o mestre Chico Ribeiro, comemorou a iniciativa.

“Os nossos artesãos e artesãs estão sofrendo com a pandemia, e essas ações simbolizam a nossa resistência, a nossa vontade de continuar lutando”, disse, lembrando outra importante conquista pelos artesãos em Campina Grande, no Shopping Partage.

Reencontro e expectativas – Para as artesãs que participam da Feira de Artesanato Junina, a exposição no hall de entrada da Ferreira Costa é, além de garantia de boas vendas, a oportunidade de reencontrar o público de forma presencial após um longo período de afastamento por conta da pandemia.

Rosângela Rocha, que trabalha com patchwork, não esconde a expectativa para a retomada.

“Primeiro, a grande expectativa é que a gente possa cumprir os protocolos de combate ao coronavírus, retomando esse momento com muita segurança. É um momento de incentivo para todos nós que estamos há muito tempo sem esse contato com o público”, disse.

Sentimento compartilhado pela colega Ana Regina, que também é presidente da Associação da Casa do Artesão, localizada no bairro do Varadouro, na Capital.

“Estou muito grata por toda essa articulação envolvendo o Fórum Estadual de Artesanato, o Programa do Artesanato Paraibano, a Federação, a Casa do Artesão e o Grupo Ferreira Costa. Vamos mostrar a força do nosso artesanato”, ressaltou.

Quem passou pelo hall de entrada da Ferreira Costa não deixou de se surpreender com a habilidade da artesã Mariana Oliveira. Há exatos 23 anos vive de uma técnica artesanal de origem francesa, a frivolité.

“Na minha família essa arte passa de geração em geração. Minha avó, que Deus já levou, era mestre em frivolité. Minha mãe aprendeu e ensinou para mim. Hoje ensino a quem quer aprender, ministro cursos”, disse, ressaltando a alegria com a retomada.

Assim que a feira abriu, registrou-se a chegada dos primeiros clientes, a exemplo da administradora Josy Franger, que comprou bonecos para os sobrinhos.

“Eu acho essa iniciativa o máximo, maravilhoso. É uma maneira de descontração para o cliente e motiva a gente a reconhecer o valor de um trabalho tão bem feito, caprichado”, comentou.

Castelo de Bonecas – Além do melhor das técnicas do fuxico e do patchwork, por exemplo, outra grande atração na Feira de Artesanato Junina são as bonecas produzidas pelas reeducandas do Presídio Feminino Júlia Maranhão.

O Projeto Castelo de Bonecas, considerado modelo de reinserção social, tem como um dos atrativos a boneca com a miniatura da paraibana Juliette Freire, ganhadora do Big Brother Brasil 2021.

O gerente de Ressocialização da Secretaria de Administração Penitenciária, João Rosas, destacou que projetos como o Castelo de Bonecas contribuem para a reinserção social, capacitando as pessoas e promovendo geração de renda.

“A ressocialização, além de capacitar, diminui também a reincidência criminal, então é um projeto do Estado que trabalha diversas frentes. Poder expor este trabalho aqui no Ferreira Costa, um local de grande fluxo de pessoas, é muito importante, só temos a agradecer. Toda a sociedade ganha com isso, podendo conhecer esses projetos e contribuir com a ressocialização social adquirindo os produtos”, pontuou.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube