Médico explica como diferenciar crises alérgicas de Covid-19

Da Redação*. Publicado em 16 de junho de 2021 às 9:08.

Paraíba Online • Médico explica como diferenciar crises alérgicas de Covid-19

Foto ilustrativa: Reprodução

“Existe um ditado que diz: tem dois seres que adivinham chuvas: as formigas e os alérgicos”, disse o médico otorrinolaringologista Expedito Medeiros, enquanto tecia algumas comparações e diferenciações entre os sintomas de viroses, alergias e, é claro, da Covid-19, durante participação em um programa de rádio campinense.

De acordo com ele, o período de inverno é mais propício para o aparecimento de alergias por uma junção de fatores que favorecem a proliferação dos fungos e ácaros, que, aliados à poeira doméstica, são os principais desencadeadores de crises alérgicas respiratórias.

Além disso, o inverno propicia também o aumento da umidade relativa do ar e a queda de temperatura por ser uma estação mais chuvosa. Logo, o período juntamente com a pandemia deixam dúvidas sobre os sintomas relativos a cada enfermidade.

Para melhor diferenciação, o especialista listou as seguintes características:

Nas viroses é comum sintomas como a dor de cabeça, dor no corpo, mal-estar e febre; diferentemente das alergias, nas quais predomina o prurido, descrito por ele como coceira nos órgãos;

a asma também pode ser diferenciada, uma vez que apresenta tosse, cansaço e chiado no peito, mas sem febre. Na Covid, inicialmente, quando é feita a ausculta do paciente tende a estar normal;

a rinite alérgica, segundo ele, apresenta comumente espirros em série, coriza clara, coceira no nariz e obstrução nasal, mas não perda de olfato e paladar, característica presente na Covid-19;

outra diferenciação feita pelo otorrinolaringologista foi também em relação a quadros de conjuntivite, em que coceira nos olhos e lacrimejamento são comuns em conjuntivite alérgica, diferente das manifestações de conjuntivite bacteriana da Covid, quando o olho fica “remelando”, por exemplo.

Crises alérgicas são comuns para a maioria

Durante a entrevista, Expedito enfatizou que cerca de 40% da população mundial apresenta algum tipo de reação alérgica.

No entanto, o médico fez questão de pontuar que, acompanhados de medicação, os sintomas não costumam durar mais de três dias.

“Os sintomas de Covid podem ser leves, intensos, ou até não ter, o que dificulta muito o diagnóstico. Agora, se estiver apresentando sintomas de virose que não melhoram, como febre, dor de cabeça, mal-estar, deve procurar atendimento médico para pedir o exame”, comparou.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube