Médica de Campina Grande aparece em vídeo de suposta reunião do “gabinete paralelo” de Bolsonaro

Da Redação. Publicado em 8 de junho de 2021 às 12:14.

Foto: Paraibaonline

Foto: Paraibaonline/Arquivo

Um vídeo publicado em setembro de 2020 nas redes sociais do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi alvo de uma reportagem do portal UOL nesta terça-feira (8), que revela a participação da médica Annelise Meneguesso (PSL), de Campina Grande, em uma suposta reunião do “gabinete paralelo” do presidente. Esse “gabinete paralelo” é como tem sido chamado um suposto grupo que estaria assessorando o presidente, de maneira informal e sem vínculo oficial com o governo federal, sobre a gestão da crise da Covid-19 no Brasil.

Na possível reunião do “gabinete paralelo”, que é alvo de investigação na CPI da Covid, instalada no Senado Federal, teria sido discutida a utilização de medicamentos sem eficácia comprovada para o tratamento da Covid-19.

No vídeo, Annelise Meneguesso, que nas eleições do ano passado foi candidata a vice-prefeita na chapa do então prefeitável Artur Bolinha (PSL), aparece falando ao microfone, acompanhada do médico Luís Guilherme Teixeira. Ambos são conselheiros do Conselho Federal de Medicina (CFM), sendo Annelise pelo estado da Paraíba e o médico pelo estado do Rio de Janeiro.

Conforme a reportagem do UOL, Annelise, que é endocrinologista, falou ao microfone durante a reunião, apresentando a si e a Guilherme, que é urologista, como conselheiros do CFM, que é o principal órgão médico do país.

“A gente falou aqui o nome de muitas drogas, mas a gente tem que sempre frisar que o atendimento é sempre mais importante do que droga A ou droga B. A gente não quer fazer apologia a nenhuma droga, mas a gente quer que o paciente tenha o direito de ser diagnosticado precocemente e ter seu tratamento instituído precocemente”, afirmou Annelise, conforme destaca a reportagem do UOL.

No vídeo, intitulado por Jair Bolsonaro como “Audiência com movimento ‘Médicos pela Vida’”, a maioria dos participantes aparece sem máscara, em ambiente fechado. Ainda conforme a reportagem do UOL, além da defesa de medicamentos sem comprovação de eficácia contra a Covid-19, durante a reunião também houve apontamentos sobre dúvidas em relação às vacinas.

O CFM – Em nota enviada ao UOL, o Conselho Federal de Medicina afirmou desconhecer a existência da reunião, ressaltando ainda que a participação dos dois médicos é de “inteira responsabilidade dos envolvidos”.

Outro lado – Por sua vez, a médica campinense Annelise Meneguesso informou ao UOL que participou da reunião a convite do movimento Médicos pela Vida, sem representar o CFM.

“Não fomos pelo Conselho Federal de Medicina. Mas, na hora, em virtude do que estava sendo falado, uma vez que a transmissão foi pública, sentimos a obrigação de defender o parecer 04/2020, que defende a autonomia do médico de prescrever (ou não) o que achar necessário ao seu paciente”, pontuou a médica.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube