Deputado esclarece voto em lei que dá direito ao gestor com contas julgadas irregulares se candidatar

Da Redação de João Pessoa (Hacéldama Borba). Publicado em 25 de junho de 2021 às 22:38.

Foto: Paraibaonline

Foto: Paraibaonline

O deputado federal, Leonardo Gadelha (PSC) esclareceu o seu voto favorável à proposta que garante o direito de se candidatar ao gestor público que tenha tido suas contas julgadas irregulares e tenha sido punido apenas com multa.

O Projeto de Lei Complementar 9/21 de autoria do deputado Lúcio Mosquini (MDB-RO), foi aprovado por maioria na sessão dessa quinta-feira (24), e agora segue para o Senado Federal.

Conforme Gadelha, a proposta aprovado visa dar uma oportunidade aos gestores que tem as contas reprovadas, mas sem a intenção de lesar os cofres públicos.

Ele disse que é preciso se fazer uma análise dos fatos com muita calma, pois há que se dissociar o dolo e a culpa, uma vez que há inúmeros gestores que se equivocam em determinadas situações por não compreender exatamente todos os trâmites que envolvem uma decisão.

“Há outros gestores que são mal intencionados, que procuram se locupletar, que querem tirar vantagem do erário, que querem surrupiar o que não lhes pertence. Não achamos justo que as sanções sejam as mesmas. É claro que o gestor que age por incúria, por desídia, merece ter um uma pena. Só não é justo que ele tenha exatamente a mesma pena de quem foi mal intencionado”, justificou.

Votaram favorável à PLC da bancada federal paraibana, além de Leo Gadelha, Aguinaldo Ribeiro (PP), Damião Feliciano (PDT), Frei Anastácio (PT), Gervásio Maia (PSB) e Hugo Motta (Republicanos). Votaram contra: a deputada Edna Henriques (PSDB), Julian Lemos (PSL), Rafafa (PSDB) e Wilson Santiago. O deputado Wellington Roberto (PR) esteve ausente.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube