Covid-19: cerca de 10 mil pessoas foram vacinadas no fim de semana em Campina

Da Redação. Publicado em 28 de junho de 2021 às 9:49.

Foto: Paraibaonline

Foto: Paraibaonline

A Secretaria de Saúde de Campina Grande realiza nesta segunda-feira, 28, três ações de vacinação contra a Covid-19 no município. Serão imunizadas com a primeira dose as pessoas de 49 anos acima, sem comorbidade, em segunda quem está com a dose de reforço dos imunizantes Astrazeneca e Coronavac marcadas para hoje, além de um ponto fixo para vacinação de gestantes e puérperas, no Isea.

A aplicação de segundas doses das vacinas Astrazeneca e Coronavac acontece na Pirâmide do Parque do Povo (pedestres) e no Clube Campestre (drive-thru), das 9h às 12h. Para este público, basta ir ao local com o cartão de vacinação com o registro da primeira dose.

Já a aplicação de primeiras doses vai ser realizada à tarde, das 14h às 18h, na Unifacisa (Itararé) e na agência do INSS do Dinamérica, no modelo drive-thru. No mesmo horário acontece a vacinação de grupos retardatários na Igreja Presbiteriana, no São José.

Em entrevista à Rádio Caturité FM, nesta segunda-feira, o secretário de Saúde de Campina Grande, Filipe Reul, fez um balanço das ações de vacinação ocorridas neste final de semana, na Rainha da Borborema.

– Até a manhã deste domingo, 27, nós havíamos vacinado cerca de 10 mil pessoas, desse público de 49 anos acima e as que estavam recebendo segundas doses. Temos a previsão de chegada de mais vacinas de todos os tipos usados em Campina para esta semana, que, uma vez concretizada, permitirá a ampliação das faixas etárias a serem vacinadas – comentou.

A nossa reportagem esteve na manhã de hoje acompanhando a espera do início da aplicação das segundas doses, no Clube Campestre. O repórter Jonathan Samuel conversou com algumas pessoas que estão aptas a receber a dose de reforço da vacina contra a Covid.

Muitos relataram que não viam a hora de receber a segunda dose e que também chegaram muito cedo no local, como no caso da dona Iracema Tavares, de 65 anos.

– As expectativas são as melhores. Eu cheguei às 6h da manhã. Cheguei cedo para não sair tão tarde (risos). Apesar de já estar para receber a dose de reforço, é preciso que a gente continue com os cuidados. Toda proteção é necessária para vencermos essa pandemia – alertou.

Maria de Lourdes de Araújo, de 66 anos, relatou que também estava ansiosa e que não viu a hora de “ficar imunizada”.

– Cheguei bem cedo, tanto que serei a segunda pessoa a receber. Mas, mesmo assim, pelo medo, há mais de um ano, eu estou isolada. Cuidados máximos, sempre – comentou.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube