O coração gosta de coisas boas e precisa de cuidado constante, diz cardiologista

Da Redação com Ascom. Publicado em 15 de maio de 2021 às 10:17.

Rizemberg Felipe

Foto: Rizemberg Felipe

Entre janeiro e maio de 2021, o Brasil registrou mais de 148 mil mortes ocasionadas por doenças cardiovasculares. Os dados são do “cardiômetro”, indicador criado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), e apontam exatas 148.583 mortes até o momento em que este texto está sendo produzido.

Para o cardiologista Valério Vasconcelos, a maior parte dos óbitos pode ser prevenida, pois está diretamente relacionada à má qualidade do estilo de vida das pessoas.

O especialista lembra que as doenças relacionadas ao coração são a principal causa de morte no Brasil. “Muitas doenças cardiovasculares são graves e incapacitantes. A maioria delas pode ser prevenida. A prevenção implica sempre menor gasto, menos sofrimento e vidas mais longas e saudáveis”, afirma Valério Vasconcelos.

Conforme o cardiologista, o maior fator que leva a doença cardíaca a ser a causadora número um de mortes no País, provavelmente, é a deterioração do estilo de vida nos últimos 25 anos.

“Hoje, todos trabalham sentados, andam de carro ou de ônibus e comem gordura saturada e açúcar. Com isso, subiu o índice de obesidade e as taxas de gordura no sangue, que são fatores de risco para doenças cardíacas”, ressalta Valério Vasconcelos. “O homem não foi criado para ser sedentário. A falta de exercícios físicos é muito prejudicial à saúde”, reforça o médico.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, ¾ da mortalidade cardiovascular podem ser reduzidas com as mudanças no estilo de vida. “A aterosclerose, que são placas de gordura nas artérias, começa na infância. Portanto, as crianças precisam crescer sem os fatores de risco. A obesidade deve ser prevenida com dieta adequada e exercícios físicos desde bem cedo”, orienta.

O cardiologista faz questão de reforçar que fumo, alimentação inadequada e sedentarismo são prejudiciais ao coração.

“Cinquenta por cento dos fumantes morrem de doenças cardiovasculares e muitos de forma fulminante. O fumo acelera a aterosclerose e leva a infartos. A gordura do sangue deriva principalmente dos alimentos. Há uma forte correlação entre colesterol elevado e entupimento das artérias do coração. A ingestão excessiva de gorduras e massas eleva o colesterol no sangue, levando a entupimento nas artérias que causam infartos e derrames cerebrais”, explica.

Autor do livro “O coração gosta de coisas boas”, Valério Vasconcelos explica que o cuidado com a saúde do coração deve ser constante, pois nem todas as doenças apresentam sintomas. “Por isso, além dos hábitos de vida saudáveis, é essencial manter os exames regulares em dia”.

Na obra, o cardiologista cita hábitos que fazem bem ao coração, como: espiritualidade, otimismo (redução de 50% no risco cardiovascular), música, uso correto de remédios para pressão alta, consumo moderado de vinho tinto e ingestão adequada de água durante o dia.

“A falta de água no corpo pode elevar quatro fatores de risco para doença cardíaca: viscosidade do sangue, viscosidade plasmática, hematócrito e fibrinogênio, ou seja, o sangue fica mais grosso, dificultando a circulação do sangue. Os ataques cardíacos ocorrem mais frequentemente de manhã, quando seu sangue é mais grosso, por causa da perda de água enquanto você está dormindo”, afirma Valério Vasconcelos.

“A melhor forma de evitar as doenças cardiovasculares é controlar os fatores de risco. Prevenir é preciso”, lembra o médico, acrescentando que no livro “O coração gosta de coisas boas” há muitas informações importantes e que podem orientar a população sobre como cuidar da saúde.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube