Mães e conselheiras: mulheres falam de experiências na Participação Popular

Da Redação com Secom/JP. Publicado em 9 de maio de 2021 às 8:33.

Foto: Secom/JP

Foto: Secom/JP

Cuidar. Este é verbo que rege a vida das mulheres que além de mães também têm a função de serem conselheiras da Secretaria Executiva da Participação Popular (SEPP) e lideranças de seus bairros e municípios.

Entre desafios e conquistas, o cuidado e zelo que têm em casa são os mesmos que dão às demandas que chegam dos moradores. Às vezes numa tripla jornada, elas reconhecem que o trabalho não é fácil, mas afirmam que todos os esforços compensam.

É o que conta Aline Gouveia, conselheira da 2ª Região, moradora do bairro da Penha. No início, quando se envolveu nas lutas da comunidade, sentiu a cobrança dos filhos – cinco mulheres e um homem.

“Eles me questionavam porque ao invés de cuidar da minha casa, eu ficava procurando coisas para a comunidade”, lembra. Com um tempo, Aline foi mostrando a importância de sua atuação. “Eu não estava trazendo benefícios só para a minha casa. Os benefícios são também para toda a comunidade, é um bem comum, coletivo”, explicou.

A conselheira da 2ª Região afirmou que esse despertar para o lado social aconteceu quando viu a necessidade de várias crianças do bairro terem aulas de reforço. Assim, num espaço que tem em seu empreendimento na Penha, montou uma escola para aulas de reforço. Em seguida, vieram outros projetos.

“Senti que podia ir mais além e expandir esse cuidado para a comunidade. Ser conselheira é muito importante. Esta máquina administrativa nos dá uma ferramenta maravilhosa onde a gente pode tratar sobre as deficiências que notamos nas nossas comunidades”, afirmou. “Mesmo quando eu deixar de ser conselheira eu não vou deixar de cuidar do meu bairro”, afirmo de forma convicta.

Do bairro Grotão, que integra a 5ª Região de João Pessoa, vem outro exemplo de super mãe que se entrega à função afetiva da maternidade e ao bairro. Mãe, avó e conselheira, Ivonete dos Santos Costa, conhecida como Neta, explicou que nenhum começo é fácil.

“Hoje, minhas filhas têm orgulho do que eu faço. Quero poder passar isso para elas e para meus netos. Às vezes, elas falam que o trabalho é pouco reconhecido e explico que a recompensa é muito maior”, afirmou.

Ela lembra de vários momentos que entre reuniões e plenárias – eventos que integram o ciclo da Participação Popular – já teve que chegar em casa à meia-noite, o que dava muita preocupação a seus filhos. Mas ressalta que dá, sim, para conciliar os dos papeis.

“Ser mãe é algo surpreendente. Você cuida, ama, dá carinho. Se for preciso, a gente repreende. Tudo isso é um pouco do que a gente transfere para a vida na comunidade. Vai ser sempre o cuidar tanto no papel de mãe como no papel de conselheira”, disse Ivonete.

Foto: Secom/JP

Foto: Secom/JP

As mulheres do Aratu – Muitas lideranças de bairros são referências para Secretaria Executiva da Participação Popular (SEPP) por toda a atuação e trabalho que realizam. Cada uma dessas lideranças têm suas histórias.

Em geral, histórias muito fortes. Da comunidade de Aratu, localizada em Mangabeira, Renata Martins é uma delas. Mãe de uma filha e um filho, nos últimos tempos também é “mãe” de sua mãe acometida de Alzheimer. Enquanto está sendo entrevistada, ela se encontra em um hospital acompanhando a mãe.

E é nesse contexto que, mesmo com todas as adversidades da vida, Bella, como é conhecida Renata, se disponibiliza a atender e ouvir a comunidade do Aratu.

“Essa tarefa de cuidar vai além da função de ser mãe, é sobre ser humana, ter amor pelos excluídos. Meu trabalho na comunidade é uma missão de amor, de cuidado com o povo, de resistência a uma vida difícil”, enfatizou.

Ao lado de 50 outras mulheres, que qualifica como guerreiras, Bella desenvolve o projeto “Todos pelo Aratu” desde 2018. O projeto tem a missão de fazer sua parte pela humanidade, para construir um ambiente melhor e digno para todos.

“Sabemos que o que fazemos é apenas uma gota no oceano, mas temos convicção de que esse pouco faz muita diferença na vida de muitas pessoas da comunidade”, ressaltou.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube