“Se todos judicializarem não têm doses pra todo mundo”, afirma ministro da Saúde

Da Redação. Publicado em 27 de abril de 2021 às 18:02.

Em entrevista veiculada numa rádio local, nesta terça-feira, 27, o ministro da Saúde, o médico paraibano Marcelo Queiroga, abordou sobre as dificuldades da liberação da segunda dose da vacina contra a covid-19.

Queiroga ressaltou que devido ao atraso na entrega dos insumos necessários à aplicação da Coronavac, a segunda dose sofrerá um retardo na aplicação.

A exemplo de João Pessoa, o ministro da Saúde ainda pediu que os prefeitos e governadores não judicializem o pedido da segunda dose da vacina, pois, segundo ele, não haverá doses pra todo mundo.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

“Outra questão que nos causa certa preocupação é que a segunda dose Coronavac tem sido um pedido de governadores e prefeitos. Há um mês atrás se liberou as segundas doses pra que se aplicassem e agora, devido ao retardo dos insumos, há um dificuldade dessa segunda dose. Essa semana não temos previsão de chegada de vacinas do Butantã, só daqui há 10 dias. Nós vamos emitir uma nota técnica em relação ao tema. João Pessoa judicializou a entrega dessas doses, mas se todos judicializarem não têm doses pra todo mundo” declarou.

Além disso, segundo o Ministro da Saúde, que foi nomeado ao cargo no último mês de março, devido ao grande número de óbitos em decorrência da doença, serão necessárias a implementação de mais medidas.

“O número de óbitos no ano de 2021, supera o de 2020, mostrando a gravidade da doença e a necessidade de medidas que sejam eficazes”, afirmou.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube