Prefeito de Cabedelo é denunciado na última fase da Operação Xeque Mate

Da Redação de João Pessoa (Hacéldama Borba). Publicado em 30 de abril de 2021 às 14:08.

Iniciada em 3 de abril de 2018, a Operação Xeque Mate chega ao final das investigações que envolveram diversos funcionários da Prefeitura Municipal de Cabedelo, vereadores, o ex-prefeito Leto Viana e agora o atual prefeito Vitor Hugo (DEM) [foto], por suposto esquema de corrupção, desvio de recursos públicos através da contratação de servidores fantasmas pela Câmara Municipal.

Estariam ligados ao então vereador Vitor Hugo oito servidores fantasmas: Ubiraci Santos Carvalho, Adriana Paula Rolim de Oliveira, Ana Luiza Brito, Arimatéia Leandro, Carlos Antônio, Severino dos Ramos, Gisleide e José Ricardo, que teriam recebido do gabinete o valor de R$437 mil para repasse e cinco destes foram nomeados para a atual gestão do prefeito como forma de agradecimento.

A denúncia foi oferecida nessa quinta-feira (29) ao Ministério Público da Paraíba através do GAECO com o nome de 20 pessoas investigadas no âmbito da Operação Xeque Mate.

Foto: Ascom

Foto: Ascom

Foram constatados na prática do crime de peculato o emprego de 99 servidores fantasmas ligados a 13 vereadores identificados pela Polícia Federal e pelo Gaeco.

Conforme informações do promotor Reinaldo Serpa, o dano provocado pela organização criminosa ao erário de Cabedelo foi de R$ 5 milhões, cujos desvios foram feitos nos anos de 2017 a 2018.

“O próximo passo da operação é denunciar ou oferecer acordos na persecução para as 99 pessoas identificadas como servidores fantasmas e ainda oferecer denúncias em face dos servidores fantasmas verificados no âmbito do Poder Executivo”, disse.

Conforme denúncia, a Câmara Municipal emitia o cheque e o servidor era obrigado a sacar e repassar o dinheiro para o parlamentar que era ligado ao esquema.

Os denunciados são: Leto Viana (ex-prefeito), Jaqueline Monteiro França (ex-primeira dama e ex-vice-presidente da Câmara, Lúcio José do Nascimento Araújo (ex-presidente da CMC), Antônio Bezerra do Vale Filho, Vitor Hugo Castelhano (atual prefeito), Francisco Rogério Santiago Mendonça, Belmiro Mamede da Silva Neto, Rosivaldo Alves Barbosa, Tércio Figueiredo Dornelas Filho, Rosildo Pereira de Araújo, Antônio Moacir Dantas Cavalcanti Júnior (Júnior Datele, que havia denunciado o esquema), Josué Pessoa de Goés, Reinado Barbosa Lima, Fabiana Monteiro Régis, Leila Maria Viana do Amaral, André Franco Lima Albuquerque, Gleiston Bezerra, Lidiane Mirella Alves de Medeiro e Marlene Alves.

A denúncia diz ainda que o atual prefeito, Vitor Hugo integrou a organização criminosa e que teria sido escolhido por Leto Viana para conduzir o esquema de corrupção.

Também consta na delação de Viana, que confirma que Vitor Hugo ganhou a eleição à época para vereador e teria recebido das mãos dele a quantia de R$20 mil para aderir a base de apoio do então prefeito como também houve um esquema para que Vitor Hugo assumisse à presidência da Câmara Municipal.

O Ministério Público deu entrada na ação criminal na 1ª Vara Mista de Cabedelo e pede que os denunciados sejam citados pela Justiça para apresentar defesa.

O MP pede ainda a aplicação da perda do cargo, emprego, função pública ou mandato eletivo e fixa a quantia de R$ 5.120. 965,00, montante referente à operação de contingência relativa aos denunciados.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube