Líder do governo rebate denúncia contra secretário adjunto da PMCG

Da Redação. Publicado em 14 de abril de 2021 às 23:14.

Foto: Ascom

Foto: Ascom

Em resposta às denúncias realizadas pelo vereador oposicionista Anderson Almeida (Podemos), o líder governista no Legislativo campinense, Alexandre do Sindicato (PSD), afirmou que os ataques vieram depois da denúncia do prefeito Bruno Cunha Lima sobre a distribuição equivocada das vacinas contra a Covid-19, por parte do governo do estado.

“Eu vejo isso com preocupação, pois nós estamos enfrentando um momento tão importante, que é o combate à pandemia, e o governo do estado usa a sua tropa de choque aqui em Campina para tirar a visão da população no que diz respeito ao que é feito na nossa cidade. Há 10 anos o governo do estado não fecha um convênio com Campina, e agora tira a vacina de Campina Grande. E quando o prefeito Bruno faz a denúncia, eles querem criar inverdades, porque é comum a esquerda trabalhar com mentiras”, afirmou o líder governista.

Sobre o secretário-adjunto Gilney Porto ser sócio da empresa que presta serviços para o Hospital Pedro I, de acordo com denúncias do vereador Anderson Almeida (Podemos), Alexandre disse que “não há absurdo nisso”, pois Gilney deixou a sociedade da empresa no início deste ano.

“Não existe isso de empresas administrando [o Pedro I]. Quem entende de empresas administrando é o governador João Azevedo. Não há absurdo nisso. E é proibida a contratação de cooperativas. A partir disso se criaram as empresas para prestar serviços. Em janeiro deste ano, Gilney pediu afastamento da sociedade da empresa”, finalizou.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube