Presidenciável no Senado ataca a distribuição de recursos em troca de votos

Da redação com Folhapress. Publicado em 1 de fevereiro de 2021 às 17:42.

Foto: Agência Senado

Foto: Agência Senado

RENATO MACHADO E THIAGO RESENDE
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O candidato à presidência do Senado Jorge Kajuru (Cidadania-GO) usou seu tempo de discurso para criticar a gestão de Davi Alcolumbre (DEM-AP) na presidência do Senado e a forma como se formaram blocos de apoio ao candidato Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

“Tudo o que ele [Alcolumbre] prometeu ele não cumpriu. Termina seu mandato de forma tão melancólica, que muitos brasileiros afirmam sentir falta de Renan Calheiros”, disse o senador.

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) foi o primeiro dos candidatos a discursar. O candidato já havia informado que votaria em Simone Tebet (MDB-MS), mas que manteria sua candidatura para poder usar o tempo de discurso destinados aos candidatos.

Repetindo o que havia dito para o jornal Folha de S.Paulo, Kajuru disse que Alcolumbre foi um “office boy de luxo” do presidente Bolsonaro.

E também acusou o atual presidente da Casa de usar cargos e recursos de emendas para comprar apoio para o candidato Rodrigo Pacheco.

“Eu não culpo o MDB. Eu culpo o senhor, que ofereceu a vice-presidência dessa Casa. E aí aconteceu algo que me fez chorar várias noites, com uma mulher honrada”, disse, em referência ao fato do MDB ter abandonado sua candidata, Simone Tebet, para negociar com Alcolumbre.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube