População tem papel importante no trabalho de fiscalização da Gevisa, diz gerente

Da Redação*. Publicado em 18 de fevereiro de 2021 às 10:34.

Foto: Codecom/CG

Foto: Codecom/CG

A Gerência de Vigilância Sanitária (Gevisa) de Campina Grande também é responsável pela fiscalização dos revendedores e distribuidores que comercializam águas minerais e de sais no município.

A gerente do órgão, Betânia Araújo, em entrevista à rádio Caturité FM, nesta quarta-feira, 17, revelou que um colaborador muito importante para o êxito desses trabalhos é o próprio consumidor.

– Nós sempre estamos em constantes fiscalizações pela cidade. Nós pedimos também a colaboração das pessoas. A fiscalização por parte do consumidor nos ajuda muito. É importante que eles observem muito bem antes de comprar esses produtos. Os recipientes com essas águas, por exemplo, não podem estar expostos ao sol. Inclusive, boa parte das denúncias que recebemos é justamente nesse sentido. Comerciantes que compram em grande quantidade e acabam armazenando as águas indevidamente – declarou.

A gerente relembrou aos comerciantes que os alvarás de segurança sanitária devem ser renovados anualmente. Ainda de acordo com Betânia, as denúncias que chegam à Gevisa são atendidas em no máximo 48 horas.

– Vale lembrar que as fiscalizações periódicas, semanais, não são só de estabelecimentos que vendem ou revendem água mineral, mas sim de todos que trabalham com produtos de gênero alimentício e similares – destacou.

Ainda sobre o ponto ‘fiscalização’, Betânia explicou que para o segmento de vendas de galeto, frango assado, existe também um trabalho preventivo.

– Para esse segmento nós concentramos algumas inspeções noturnas. Mas, nós também disponibilizamos um curso de manuseio desses alimentos. Infelizmente, tivemos que dar uma parada por conta da pandemia. Como estamos impossibilitados de ministrar esses cursos, fazemos os trabalhos fiscalizatórios por bairros – garantiu.

Para esse segmento, a gerente explicou que há alguns encaminhamentos diferentes nas fiscalizações.

– Como é um comércio de rua, ambulante, eles não precisam de alvará. Mas, se a Gevisa constata um estado inadequado dessa carne, impróprio, aí nós podemos apreender. Fora isso, apenas o trabalho educativo – finalizou.

Para os interessados, o canal de contato da Gevisa é o 3310-6178.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube