Baixo salário, demissões e pandemia são gargalos enfrentados por motoristas de ônibus em CG

Da Redação. Publicado em 26 de fevereiro de 2021 às 14:34.

Foto: Codecom/CG

Foto: Codecom/CG

O presidente do Sindicato dos Motoristas de Ônibus de Campina Grande, Antonino Macêdo, pediu “que Deus mostre uma luz no fim do túnel” para a resolução da situação dos motoristas, diante da pandemia e da redução de pessoal nas empresas de transporte públicos da cidade.

Ele destacou, durante entrevista à Rádio Caturité FM, que devido à pandemia as empresas tiveram que reduzir em torno de 50% os trabalhadores, o que tem dificultado a busca de outros direitos, como o aumento salarial da categoria.

– Essa pandemia veio para acabar com muita coisa e dificultar muito a vida dos mais pobres e trabalhadores. Foram demitidos muitos motoristas e também pessoal de apoio. Essa categoria está sofrida demais e não é só em Campina Grande. Esperamos uma solução e o bom senso das autoridades e pedimos que Deus nos ajude e mostre uma luz no fim do túnel, para ver se sobrevivemos a tudo isso – lamentou.

O sindicalista ainda falou que, apesar da questão financeira, ainda há a questão da saúde e que, por mais que só seja permitida a entrada de passageiros com máscara no coletivo, muitos deles, após entrar no local, retiram o protetor e também não utilizam álcool em gel. Agindo dessa forma, podem se contaminar ou contaminar outras pessoas.

Ele apelou para que os passageiros utilizem de bom senso e obedeçam as recomendações dos órgãos de saúde.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube