Fechar

logo

Fechar

Senai investe mais de R$ 60 milhões em ações para o combate à Covid-19

Da Redação com Ascom. Publicado em 13 de maio de 2020 às 8:37.

Foto: Reprodução

Foto ilustrativa: Reprodução

Desde que desembarcou em solo brasileiro, o coronavírus deixou marcas profundas na saúde da população e na economia do país. Embora duramente afetadas, muitas empresas industriais se prontificaram a empregar capacidades técnica e produtiva e puseram-se na linha de frente do combate à Covid-19.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) não ficou de fora e se uniu ao esforço nacional protagonizando iniciativas solidárias para preservar vidas.

Sob a coordenação da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Senai já investiu R$ 67,4 milhões em ações voltadas ao combate ao novo coronavírus.

Do conserto de centenas de respiradores mecânicos à produção e à doação de insumos essenciais ao sistema de saúde e seus profissionais, as instituições têm buscado fazer a diferença, mitigando os impactos da pandemia sobre a saúde pública e contribuindo para que o Brasil tenha condições de voltar, o quanto antes, à normalidade.

“O Senai possui hoje a maior rede de apoio à inovação e ao aumento de produtividade na indústria, que está sendo colocada à disposição de toda sociedade brasileira neste momento em que o Brasil e o mundo enfrentam um grave problema”, explica Robson Braga de Andrade, presidente da CNI. “Cumprindo com a missão que possui desde 1942, o Senai reafirma seu compromisso  de ajudar o país em seus momentos mais decisivos”, completa.

1. Senai aposta na inovação para encontrar soluções no combate à covid-19 

Dentre o conjunto da ações realizados pelo Senai, a iniciativa de maior valor é o aporte, via Edital de Inovação para a Indústria, de R$ 15 milhões em cerca de 25 projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) para se colocar no mercado, no curto prazo, produtos e soluções – como testes rápidos de detecção da doença – para se prevenir e diagnosticar a covid-19.

Ao todo, 34 projetos já foram selecionados, em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) – que, juntas, também destinaram R$ 15 milhões próprios aos projetos.

=> Investimento Senai: R$ 15 milhões

2. Senai coordena rede de conserto de respiradores  

As medidas adotadas também mostram que, com baixo investimento, os benefícios à sociedade podem ser expressivos. Coordenada pelo Senai, a iniciativa de manutenção de respiradores mecânicos, em parceria com 20 empresas e institutos de pesquisa: ArcelorMittal, Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Fio Cruz, Ford, General Motors, Honda, Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e POLI-USP, Jaguar Land Rover, Mercedes-Benz do Brasil, Moto Honda, Renault, Scania, Toyota, Troller, Usiminas, Vale e Volkswagen do Brasil, com o apoio do Ministério da Saúde, do Ministério da Economia, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e da ABEClin. A rede já recebeu 2.647 equipamentos, que estão sendo consertados sem custo para os hospitais.

Destes, 666 já foram entregues (dado de 11/04). Em manutenção, 1.173 respiradores. Em calibração, 263.

A meta da iniciativa é consertar 3.600 respiradores que estão fora de funcionamento Brasil afora, com custo estimado de R$ 5 mil para cada equipamento. Assim, para o sistema de saúde, deve haver uma economia de R$ 18 milhões para recolocar os ventiladores novamente em operação.

=> Investimento Senai: previsão de chegar a R$ 10 milhões

=> Impacto qualitativo: potencial de salvar 36 mil vidas (2 vidas por mês por respirador, durante 5 meses)

3. Senai também atua no apoio à produção nacional de respiradores 

Além de fazer o reparo, o Senai também está apoiando a produção nacional dos aparelhos com, pelo menos, 5 mil novos equipamentos fabricados no Brasil sendo destinados ao sistema de saúde.

=> Investimento Senai: já contabilizado pelo Edital de Inovação para a Indústria

=> Impacto quantitativo: estima-se uma economia de até R$ 125 milhões para o sistema de saúde, pela substituição da importação de 5 mil respiradores a um custo unitário médio de US$ 15 mil por respiradores nacionais, com custo unitário médio de R$ 50 mil.

Exemplo: O Senai – SC apoiou a empresa Leistung a formar uma parceria com a WEG, de tal forma a aumentar a produção de 5 para 50 respiradores ao dia, totalizando assim uma produção de até 500 respiradores que serão fabricados por este consórcio.

4. Investimento para ampliação do número de testes rápidos

A ampla testagem da população para detecção de focos da covid-19 é medida essencial para a rápida detecção e o controle mais efetivo da disseminação do coronavírus na população. Com o objetivo de contribuir para o aumento do número de diagnósticos realizados, o Senai está apoiando iniciativas que levem ao aumento da oferta de testes rápidos a custos menores.

=> Investimento Senai: valor já contabilizado pelo Edital de Inovação para a Indústria

=> Impacto quantitativo: responsável por um dos projetos financiados pelo Edital, a empresa Hi Technologies ampliará a oferta de 10 mil para 500 mil testes rápidos por mês, com o custo unitário sendo reduzido de R$ 130 para R$ 60. Com isso, estima-se uma economia de R$ 35 milhões por mês para os consumidores e para o sistema de saúde.

Ainda dentro da iniciativa de ampliar o número de testes rápidos (examos clínicos PCR), o Senai tem capacidade de processar, em seus laboratórios, mais de 1,2 mil testes padrão ouro da Organização Mundial da Saúde (OMS) por dia, sendo 1 mil no Instituto Senai de Inovação de Química Verde, no Rio de Janeiro, e 200 no Instituto Senai de Inovação em Saúde, em Salvador.

à Investimento Senai: valor já contabilizado pelo Edital de Inovação para a Indústria

5. Produção de EPIs contribui para o esforço de prevenção

O Senai atua, também, no apoio às empresas para que ampliem a produção de equipamentos de proteção individual (EPIs), tanto hospitalares quanto de uso comum. Além de fabricar os materiais em suas instalações, o Senai oferece consultoria e suporte a empresas na especificação e fabricação dos produtos, pela fornecimento de fichas técnicas e treinamentos gratuitos, e no desenvolvimento de novas tecnologias. Outra linha de atuação é a oferta de material antisséptico para ampliação da produção nacional e substituição de insumos importados.

=> Investimento Senai: R$ 28,814 milhões

=> Impactos quantitativos: no apoio às empresas para a produção de EPIs, o Senai já ofereceu treinamentos e fichas técnicas para a produção de máscaras hospitalares, protetores faciais (faceshield), luvas e álcool antisséptico. Também apoiou na produção, doação e distribuição dos seguintes itens em 23 estados brasileiros, com apoio de 270 empresas parceiras. Os dados de produção são de 04/05:

– 1 milhão de máscaras cirúrgicas: R$ 10 milhões
– 133 mil vestimentas hospitalares (aventais, capotes, toucas e propés): R$ 2,66 milhões
– 262,5 mil protetores faciais faceshield: R$ 2,625 milhões
– 140,5 mil de litros de álcool antisséptico (gel, líquido e glicerinado): R$ 2,529 milhões
– 2,2 milhões de máscaras de uso comum: R$ 11 milhões

6. Senai segue apoiando a formação e a qualificação profissional

O período de afastamento social pode ser oportunidade para aprimorar o conhecimento e adquirir novas competências. Com o objetivo de apoiar a requalificação do trabalhador da indústria, o Senai ofereceu acesso gratuito a cursos em temas como Indústria 4.0 e digitalização de processos produtivos, entre outros.

=> Investimento Senai: R$ 13,6 milhões

=> Impacto qualitativo: 534.182 matrículas realizadas e acesso a recursos didáticos por 140 mil usuários

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube