Fechar

logo

Fechar

UEPB intensifica produção de álcool em gel e glicerinado para doação

Da Redação com Ascom. Publicado em 24 de março de 2020 às 23:00.

Foto: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

Diante da pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19), a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), através do Laboratório de Química e da Farmácia Escola, iniciou uma força tarefa para a produção do álcool em gel 70% e álcool glicerinado 80% para serem destinados a profissionais de saúde, bem como garantir a proteção da comunidade universitária.

O esforço envolve técnicos e professores do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) e do Centro de Ciências e Tecnologias (CCT) e atende os protocolos de segurança e as orientações dos médicos e autoridades sanitárias que trabalham para evitar a proliferação do vírus.

Os grupos de trabalho são pequenos, formados no máximo por três pessoas, que atuam em dias diferentes, no sistema de revezamento nos laboratórios.

O coordenador da Farmácia Escola adiantou que o álcool produzido já está sendo destinado para atender o Hospital da FAP, que é parceiro da UEPB, e as Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs) que funcionam próximas à Instituição e que, nesse momento, mais do que nunca, precisam da higienização reforçada como uma das mais efetivas medidas no controle de infecções e diminuição dos riscos de transmissão do novo coronavírus.

Professor Ricardo explicou que a logística de distribuição do produto nas UBSFs ainda está sendo montada.

Um grupo de professores, coordenado pelas professoras Alessandra Teixeira, diretora do CCBS, e Eliana Maia, pró-reitora de Gestão Administrativa da UEPB, junto com o reitor Rangel Junior, ficou responsável para indicar os setores que precisam receber o material emergencialmente, fundamental para a higienização em tempos de pandemia. Ainda esta semana será definida a estratégia de distribuição.

Ele explicou que a produção de álcool em gel não poderá atender a grandes demandas, visto que, como se trata de uma Farmácia Escola e não uma indústria, a UEPB não tem espaço e maquinário suficientes para a produção em larga escala.

A quantidade a ser produzida deve girar entre 40 e 50 quilos por semana de álcool em gel, não podendo ser maior especialmente devido às dificuldades que a Universidade está encontrando na aquisição da matéria prima entre os distribuidores em tempos de pandemia.

Em outra linha de frente, no Laboratório de Química Industrial (LETEQ), uma equipe coordenada pelo professor Francisco Dantas e pela professora Fátima Nascimento, em consonância com o Conselho Regional de Química (CRQ), começou a produzir, por dia, em média, 200 litros de álcool glicerinado 80%.

O laboratório está produzindo esse tipo de álcool porque ainda não dispõe dos insumos para produzir álcool em gel, o que deve acontecer futuramente. Porém, o álcool glicerinado 80% tem o mesmo efeito de prevenção contra o novo coronavírus.

Professor Dantas explicou que a produção está sendo realizada graças a parceria do Departamento de Química com o Conselho Regional de Química (CRQ), que conseguiu álcool neutro e outros insumos nas indústrias para disponibilizar à UEPB.

O docente observou que o álcool glicerinado 80% tem o mesmo efeito sanitizante que o álcool em gel, podendo ser instalado em qualquer borrifador. Segundo ele, o álcool glicerinado é mais rápido de produzir e demanda logística mais simples.

De acordo com professor Dantas, a UEPB está preparada para todas as ações de prevenção e combate ao Covid-19, para garantir os itens de higienização a todos que compõem a comunidade universitária, (discentes, terceirizados, colaboradores, técnicos administrativos e docentes).

Além do professor Dantas e da professora Fátima, estão envolvidos na produção do álcool glicerinado 80%, no Laboratório de Química, os professores Gilberlan Nunes e Antônio Nóbrega, todos do CCT.

O reitor Rangel Junior destacou a importância da medida e ressaltou que a produção do álcool em gel ainda é pequena e direcionada para atender a demanda de pedidos da rede municipal de Saúde de Campina Grande e da rede estadual de Saúde, seguindo as orientações da Secretaria de Saúde do Estado, bem como para atender a demanda dos Centros de Ensino, Departamentos e demais setores da Instituição.

Mesmo com a UEPB tendo suspendido as atividades até o dia 12 de abril, mantendo apenas os serviços essenciais, o álcool em gel também está sendo disponibilizado próximo dos locais onde estão instalados os relógios de registro do ponto eletrônico, para utilização dos servidores que estão em atividade.

“Nunca é demais lembrar que muita gente está se expondo, extrapolando jornadas regulares para garantir o atendimento”, frisou Rangel.

Ele citou como exemplo a equipe do Núcleo de Tecnologias Estratégicas em Saúde (Nutes}, onde um grupo tem trabalhado ininterruptamente para produzir equipamentos de proteção individual (EPIs) em impressora 3D.

O Nutes desenvolveu um protetor facial que está sendo produzido para a distribuição gratuita aos profissionais da área de saúde que trabalham em hospitais diretamente com pacientes que apresentam sintomas da Covid-19.

A iniciativa do Laboratório de Tecnologia 3D (LT3D) tem o objetivo de colaborar com os órgãos de saúde neste momento em que todo o mundo está na luta contra o novo coronavírus.

Em Patos, conforme destacou o reitor Rangel Junior, dois técnicos estão no Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas (CCEA), atuando para produzir peças de manufaturas aditivas no Protolab (Laboratório 3D) para ajudar no combate ao novo coronavírus, somando-se aos esforços do Nutes.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube