Fechar

logo

Fechar

Festa de Nossa Senhora da Conceição atrai uma multidão pelas ruas de Campina Grande

Da Redação com Pascom. Publicado em 9 de dezembro de 2019 às 16:45.

 Fotos: João Saraiva/ Joaquim Urtiga/. Wescley Gustavo/ Pascom-CG

Fotos: João Saraiva/ Joaquim Urtiga/ Wescley Gustavo/ Pascom-CG

A Festa de Nossa Senhora da Conceição na Diocese de Campina Grande foi celebrada com grande alegria neste domingo.

Desde as primeiras horas da manhã centenas de fieis se concentravam na Igreja Catedral. Às 7h da manhã aconteceu a primeira Missa, dedicada aos devotos da Imaculada.

Às 10h, mais uma solene celebração que foi presidida pelo Bispo Emérito de Palmares, Dom Genival Saraiva, concelebrada por Dom Dulcênio, demais padres e assistida por diáconos permanentes.

Nessa celebração das 10h, Dom Genival lembrou os grandes feitos da Diocese ao longo dos seus 70 anos, e também recordou a passagem do jubileu da Igreja Matriz, os 250 anos:

“Deus se vale do sustentáculo da fé, e por meio de uma fé histórica realiza seus grandes feitos. E assim aconteceu com a Diocese de Campina Grande”, frisou Dom Genival Saraiva.

 Fotos: João Saraiva/ Joaquim Urtiga/. Wescley Gustavo/ Pascom-CG

Fotos: João Saraiva/ Joaquim Urtiga/ Wescley Gustavo/ Pascom-CG

Por volta das 15h, uma multidão já se concentrava na Catedral. A oração do Ofício foi um prenúncio de uma caminhada orante. Nas partes externas da Igreja, mais pessoas chegavam e, de repente, uma multidão tomava a frente da Catedral e esperava o começo da procissão.

Às 16h a Imagem da Imaculada Conceição estava posicionada em um digno andor. Tinha início mais uma procissão da Imaculada Conceição.

 Fotos: João Saraiva/ Joaquim Urtiga/. Wescley Gustavo/ Pascom-CG

Fotos: João Saraiva/ Joaquim Urtiga/ Wescley Gustavo/ Pascom-CG

Nos passos de cada pessoa, a esperança, a fé, a confiança na Virgem Maria, o agradecimento a Deus pela história da Catedral e da Diocese.

Conduzindo o povo de Deus, o bispo de Campina Grande, Dom Dulcênio Fontes de Matos, tendo ao seu lado Dom Genival Saraiva, juntamente com clérigos e seminaristas, que peregrinaram até o Parque do Povo, onde aconteceu a Missa de encerramento da Festa de Nossa Senhora da Conceição.

O Parque do povo, local de tantos eventos da cidade, registrou mais um capítulo na história de Campina Grande com a inesquecível festa da Imaculada.

A multidão que veio na procissão se encontrou com outra grande porção do povo de Deus que já aguardava no Parque do Povo.

 Fotos: João Saraiva/ Joaquim Urtiga/. Wescley Gustavo/ Pascom-CG

Fotos: João Saraiva/ Joaquim Urtiga/ Wescley Gustavo/ Pascom-CG

Dom Dulcênio, para referenciar a grandeza de Nossa Senhora, falou sobre a predileção de Deus para com a simples mulher de Nazaré.

 

O projeto divino da salvação se compraz na pessoa de Maria, a partir da sua obediência, do seu “Fiat”. Um sim, conforme Dom Dulcênio, capaz de torná-la Templo do Senhor e refúgio da humanidade.

“Maria traz-nos o céu em Cristo. Mistério rico! A agraciada é, por isso, Templo do Senhor e por sê-lo é uma figura do próprio céu, daí, chamamo-la “Porta do Céu”, refletiu o Bispo.

Ao fazer menção aos 250 anos de história da Igreja Matriz, hoje a Catedral, o Bispo disse que aquele templo é um sinal da espera pelo céu.

“É naquela casa de oração que somos congregados, acolhidos, elevados. Que tenhamos a exata sensação de que, naquele querido templo, saboreamos o que nos espera no céu”.

 Fotos: João Saraiva/ Joaquim Urtiga/ Wescley Gustavo/ Pascom-CG

Fotos: João Saraiva/ Joaquim Urtiga/ Wescley Gustavo/ Pascom-CG

E, por fim, falando sobre a festa de Nossa Senhora da Conceição, desejou que a experiência vivida fosse um sinal da proximidade com a fé católica.

“Atraídos pela ternura da bondosa Mãe, permitamo-nos adentrar nos mistérios do próprio Deus, celebrados em nossos templos católicos. Que a festa da Padroeira ensine-nos acerca das verdades de nossa fé”, finalizou dom Dulcênio.

 Fotos: João Saraiva/ Joaquim Urtiga/ Wescley Gustavo/ Pascom-CG

Fotos: João Saraiva/ Joaquim Urtiga/ Wescley Gustavo/ Pascom-CG

Dom Dulcênio ainda, por meio de um Anúncio, proclamou a abertura do Ano da Fé que será vivenciado no decorrer de 2020.

E, partindo das Diretrizes da Ação Evangelizadora da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), o primeiro eixo a ser refletido será o Pilar do Pão.

Serão trabalhados o Pão e Caridade, trazendo na proposta a dimensão litúrgica, espiritual e a formação sacramental.

O padre Luciano Guedes, pároco da Catedral e Vigário Geral da Diocese, agradeceu a todos que se engajaram direta ou indiretamente na festa da Padroeira.

 

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube