Quantcast

Fechar

logo

Fechar

Diretor de Vigilância e Saúde comenta sobre estratégias contra o sarampo na CMCG

Da Redação. Publicado em 19 de setembro de 2019 às 17:49.

Foto: Paraibaonline

Foto: Paraibaonline

Foi discutida em uma audiência pública na Câmara Municipal de Campina Grande a situação emergencial das doses das vacinas contra o sarampo.

O diretor da vigilância e saúde da Secretaria Municipal de Saúde da Rainha da Borborema, Miguel Dantas, explicou, em entrevista concedida à Rádio Caturité, como está ocorrendo a administração das doses, desde que foram reduzidas pelo Ministério da Saúde.

Durante o mês de setembro o público priorizado será o de crianças de 6 até 11 meses de vida, que é chamado de dose zero.

“Hoje vivemos uma situação de emergência sanitária, mas estamos com uma estratégia em curso. Essa estratégia precisa ser cumprida, que é exatamente a priorização das crianças de 6 meses até 11 meses e 29 dias”, explicou.

Casos detectados e confirmados de sarampo, bem como aqueles que convivem com o enfermo, também serão priorizados na vacinação.

O diretor ainda reforçou que enquanto não for recebido o reforço do Ministério, as doses da vacina não poderão ser ampliadas para as demais faixas etárias.

Caso haja o reforço, pessoas com 29 anos a 49 anos poderão receber a dose. “Precisamos vacinar quem precisa mais. Justamente essas crianças de 6 meses a 11 meses e 29 dias contraem sarampo e mesmo não indo a óbito, elas ficam com sequelas. O adulto não, por isso a priorização nesse instante”, reforçou.

Até o momento, três casos de sarampo foram confirmados no Estado, sendo todos em João Pessoa.

A audiência foi solicitada pela presidente da Câmara Ivonete Ludgério e proposta pelo vereador pastor Luciano Breno.

“O nosso objetivo é saber da Prefeitura e do Governo do Estado o que está sendo feito como providência e trazer esclarecimento à população”, finalizou o vereador.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube