Quantcast

Fechar

logo

Fechar

Guedes critica vazamentos de mensagens da Lava Jato: ‘vai trabalhar, vagabundo’

Da Redação. Publicado em 29 de julho de 2019 às 23:32.

José Cruz/Agência Brasil

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – Reportagens com base em vazamentos de mensagens dos procuradores da Lava Jato e do ministro Sergio Moro (Justiça) foram alvo do ministro da Economia Paulo Guedes.

Em discurso na última sexta-feira, na Associação Comercial do Rio de Janeiro, ele criticou a oposição e sugeriu que a gravação de mensagens pessoais de terceiros foi para fins políticos, terminando sua frase com um “vai trabalhar, vagabundo”. A fala viralizou nas redes sociais nesta segunda-feira (29).

“Vão gravar todo mundo até derrubar alguém? ‘Peguei: você falou que vai dormir com sua mulher hoje à noite e vai fazer fazer sexo selvagem.’ Qual o ganho que você tem para a democracia em invadir a privacidade das pessoas? Qual ganho que você tem em ‘ah, peguei o cara conversando com o outro, aqui'”, afirmou o ministro.

Guedes criticou a divulgação das mensagens com a justificativa de que elas não seriam de interesse público.

“Se é uma conversa não republicana, tudo bem. Mas não é isso que estamos assistindo. Nós estamos assistindo a uma tentativa de desestabilizar o governo. Esse negócio é ridículo, patético. Patético. Você está em uma democracia, tudo funcionando, o cara perde a eleição e fica o dia inteiro tentando derrubar o outro? Vai trabalhar, vagabundo”, disse Guedes.

O ministro citou a aprovação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados como exemplo de funcionamento das instituições. “Não tem caos político (…). Por que essa psicologia da destruição? Eu quero acreditar que estou em uma democracia, e que não é saci-pererê. Caminho com as duas pernas, às vezes ganho uma, às vezes ganho outra. Será que, quando o outro ganha, não pode?”, questionou Guedes.

Desde o final de junho, a Folha e outros veículos têm produzido uma série de reportagens com base nas mensagens trocadas pelos procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato nos últimos anos e obtidas pelo site The Intercept Brasil, que diz ter recebido o material de uma fonte anônima.

Para a Polícia Federal, Walter Delgatti Neto, preso na última terça-feira (23) sob suspeita de atuar como hacker, foi a fonte do material que tem sido publicado pelo Intercept. Em depoimento, Delgatti, um dos quatro presos pela PF, disse que encaminhou as mensagens ao jornalista Glenn Greenwald, fundador do site, de forma anônima, voluntária e sem cobrança financeira.

Moro, um dos hackeados, disse a autoridades que as mensagens seriam destruídas, como revelou a Folha. A comunicação foi confirmada à reportagem pela assessoria de Moro.

A atitude do ministro reacendeu a pressão de alas do STF (Supremo Tribunal Federal) e do Congresso, sob a justificativa de que Moro extrapolou os limites de sua competência.

Alguns políticos favoráveis ao governo compartilharam o vídeo com o desabafo de Guedes. Caso da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), que ataca os opositores.

“A insistência da esquerda em criar um falso clima de crise permanente não vai impedir o crescimento do Brasil, nem o sucesso do Governo Bolsonaro. Temos um bom exemplo ao norte. Trump levou segurança e crescimento recorde de emprego para o seu povo. O Brasil seguirá o mesmo rumo! “, disse a deputada em seu Twitter.
O policial militar e deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) foi outro que utilizou o vídeo em suas redes sociais.

“Ministro Guedes dá recados diretos não só em relação aos projetos pelo país, ele é muito mais direto ainda com os agentes do caos que trabalham com a única missão de desestabilizar o governo, pois não aceitam a derrota e são inimigos da democracia, vão trabalhar, vagabundos”, escreveu o deputado.

Filhos de Bolsonaro também se manifestaram. O senador Flavio Bolsonaro (PSL-RJ) compartilhou o vídeo acompanhado da mensagem: “Enquanto alguns tentam desestabilizar o País, o governo não para de trabalhar. Invasão de privacidade e táticas sujas não vão funcionar!”

Já o vereador Carlos Bolsonaro (PSC/RJ) repercutiu uma publicação da deputada Bia Kicis (PSL-DF), em que ela escreveu: “Paulo Guedes com sua lucidez costumeira expõe a falta de apreço à democracia dos derrotados na urnas em 2018 e conclui: ‘vai trabalhar, vagabundo!'”.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube