Fechar

logo

Fechar

Pontos de coleta em João Pessoa recolhem mais de 7 toneladas de lixo eletrônico

Da Redação com Secom/JP. Publicado em 2 de abril de 2019 às 13:02.

No primeiro trimestre de 2019, 7,34 toneladas de lixo eletrônico foram coletadas nos pontos instalados pela Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur). No ano de 2018, a coleta chegou a 56 toneladas, quantitativo que representou um crescimento de 19% em relação ao ano de 2017, quando foram registradas 47 toneladas, conforme levantamento realizado pelo Setor de Coleta Seletiva da Autarquia.

Porém, os moradores de João Pessoa ainda descartam esse tipo de resíduo de forma irregular, reproduzindo uma prática comum em todo o Brasil, o que representa um dos problemas mais desafiadores na área ambiental. Tanto que, há oito anos, o governo brasileiro sancionou a Lei Nº 12.305/2010 referente à Política Nacional de Resíduos Sólidos e, seu inciso XII, estabelece a logística reversa.

Foto: Secom/JP

Foto: Secom/JP

Por meio desse instrumento, está organizado um conjunto de ações que permitem a coleta organizada desse tipo de resíduos, bem como a restituição ao setor empresarial responsável para reaproveitá-lo de forma a proteger o meio ambiente, bem como a saúde da população.

Diante desse contexto, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) criou ferramentas para dar sua contribuição à legislação federal com a criação da Lei Ordinária Municipal Nº. 15, de setembro de 2011, além da elaboração do Plano Municipal de Gestão de Resíduos Sólidos (PMGIRS), por meio da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), transformada em Lei Municipal em 2014.

Esse processo está em conformidade com o Artigo 1º da Lei Ordinária Municipal que estabelece: “Os produtos descartados e resíduos tecnológicos deverão ser coletados, reutilizados, reciclados e receber tratamento final específico e ambientalmente adequado pelas empresas que fabricam, produzem, importam, distribuem e comercializam esses equipamentos ou seus componentes”.

Para minimizar os impactos ambientais, assim como evitar o surgimento de doenças provocadas pelo contato com materiais contaminados, a Emlur firmou parceria com Empresa Ecobras – Reciclagem de Resíduos LTDA., localizada no município do Conde, na Região Metropolitana de João Pessoa.

A empresa recebe os Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos (REEE) da Grande João Pessoa, interior da Paraíba, Rio Grande do Norte e Pernambuco. Depois de reciclado, os materiais também são exportados para as Regiões Sul e Sudeste e até para a Europa e Ásia.

“Com exceção de geladeira, ligou na tomada a gente recolhe”, frisou Saulo Marques, engenheiro eletricista e sócio da Ecobras. “A demanda poderia ser bem maior, porém, a população ainda descarta em locais inadequados como terrenos, canteiros, margem de rios, calçadas ou praças”, lamentou.

Segundo ele, ao chegar à Ecobras, o lixo eletrônico passa por uma triagem, cujo critério de separação se dá por tipo de resíduos. Depois, segue para a área de descaracterização, onde o conteúdo é desmembrado, desmontado e, cada componente, segue destino diferente e retorna à cadeia produtiva. De acordo com Saulo Marques, o aproveitamento é de 97%.

“Descartar o lixo eletrônico nos pontos de coleta disponibilizados pela Emlur traz inúmeros benefícios para a cidade de João Pessoa. Além de estarmos cuidando do meio ambiente e protegendo a saúde, também colaboramos com o desenvolvimento social, já que os valores arrecadados com o repasse dos resíduos à empresa responsável pelo tratamento ambientalmente adequado são destinados aos programas de Coleta Seletiva do Município”, ressaltou o gestor ambiental e chefe da Divisão de Reciclagem da Emlur, Joacir Júnior.

Também conhecido como e-lixo e REEE, Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos – recebem essa classificação os tablets, monitores, teclados, impressoras, câmeras fotográficas, aparelhos de som, lâmpadas eletrônicas, televisores, micro-ondas, rádios, telefones, celulares, carregadores, fios, pilhas e baterias.

A reciclagem desse material é importante porque, uma vez descartado inadequadamente, pode contaminar solo e os lençóis freáticos e causar graves prejuízos à saúde da população por conter em sua composição diversos componentes nocivos como mercúrio e chumbo.

Para a coleta de eletrônicos de grande porte a população pode acionar o Cata Treco, gratuitamente, por meio do 0800 083 24 25, 3214 7628/7644 e 3255 8444.

A Emlur coleta na residência do solicitante. Esse serviço se estende a objetos como sofás, armários, mesas, colchão ou guarda-roupa.

Pontos de coletas: segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

– Núcleo de Serviço Centro Dia (Av. Gouveia da Nóbrega, Bairro do Roger – próximo à entrada principal do Parque Zoobotânico Arruda Câmara – Bica);
– Sede da Emlur (Av. Minas Gerais, nº 177, Bairro dos Estados);
– Núcleo de Serviço de Mangabeira (Rua Alfredo Ferreira da Rocha – Praça do Coqueiral);
– Núcleo de Serviço de Jaguaribe (Rua Floriano Peixoto SN – ao lado do Espaço Mix);
– Núcleo de Serviço de Tambaú (Rua Aluízio Franca, 49 – nos fundos da Agência Bradesco);
– Escola de Línguas CNA (Av. Senador Rui Carneiro, nº 416, Miramar.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube