Fechar

logo

Fechar

Ministério habilita Hospital do Bem e assegura recursos para manutenção de serviços

Da Redação com Secom/PB. Publicado em 26 de março de 2019 às 11:24.

O Hospital do Bem, unidade de assistência de alta complexidade em oncologia, que funciona do Complexo Hospitalar Janduhy Carneiro, em Patos, a partir dessa segunda-feira (25) começa a ampliar sua história com uma boa perspectiva de se transformar num grande polo de prestação de serviços oncológicos de toda a região sertaneja da Paraíba. Isto porque, ao assinar a habilitação da unidade, durante solenidade na unidade de saúde, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, assegura o repasse mensal de recursos que garantirá não apenas a manutenção do Hospital, mas também a ampliação de seus serviços.

A habilitação garantirá que a unidade passe a receber do Governo Federal o valor de R$ 5 milhões e 740 mil, anualmente, para o custeio. O ato foi formalizado em solenidade que contou com a presença da secretária de Saúde, Cláudia Veras, do prefeito de Patos, Bonifácio Rocha, dos deputados federais Hugo Motta, Efraim Filho e Wilson Santiago, de deputados estaduais, das integrantes da ONG ‘Amigas Viva a Vida’, além de prefeitos de cidades da região e outras autoridades.

Desde a inauguração em setembro do ano passado até agora, a unidade vinha sendo mantida, exclusivamente, com recursos próprios do Governo do Estado.

“Com essa habilitação, nós damos um passo importante não apenas para o custeio desta unidade, mas com a possibilidade de ampliação de serviços”, disse a secretária de Saúde, Cláudia Veras, que ainda agradeceu a agilidade do Ministério da Saúde em formalizar a habilitação, e aos deputados federais, a união em prol da Paraíba.

“Essa habilitação assegurará que muitos paraibanos tenham um tratamento oncológico de qualidade, sem precisar se deslocar para a capital ou Campina Grande. Essa unidade tem um significado muito especial, principalmente com as necessidades de saúde”, enfatizou Cláudia.

Foto: Secom/PB

Foto: Secom/PB

Após assinar a habilitação, o ministro disse que esse passo dado nessa segunda-feira é apenas o início de uma caminhada rumo a muitos outros avanços. “Eu espero que essa unidade receba, com o mesmo carinho que me recebeu, todos os pacientes que a procurarem, que ela esteja sempre de portas abertas, pois o paciente com câncer chega de forma frágil, e tem que ter um acolhimento extremamente importante, de uma equipe multiprofissional,  tem que ter uma equipe médica com protocolo atualizado, ou seja, assegurar que o tratamento feito aqui seja igual ao do Napoleão Laureano, ou em São Paulo, ou no Rio de Janeiro, porque ele usa o mesmo remédio, a mesma dose”, disse Mandetta.

Mandetta lembrou que a habilitação do Hospital do Bem foi seu primeiro ato como ministro da Saúde no Nordeste do Brasil. “Esse primeiro ato reitera o que eu disse ao assumir a Pasta, há 90 dias, de que a gente tem que ter um olhar voltado para o Brasil profundo, para o Brasil do semiárido, do sertão e esse ato aqui em Patos reforça o que eu quis dizer e sobre a determinação política do governo Bolsonaro de combater as diferenças e atuar onde precisa mais”, destacou o ministro, lembrando que com a assinatura deste convênio o Governo Federal reconhece o hospital, garante o custeio fixo da unidade e assegura que todas as vezes que a unidade aumentar sua produção, gradativamente, ela crescerá em importância e complexidade”, reiterou o ministro.

O deputado federal Hugo Motta, autor de uma emenda que destinou R$ 8,3 milhões de recursos para manutenção do Hospital do Bem, lembrou que com a disponibilidade dos serviços da unidade, atenuou-se o sofrimento de muitas pessoas que antes precisavam se deslocar cerca de 300 km para fazer um tratamento.

“Quantas vidas não foram perdidas, quantas pessoas não morreram sem tratamento ou iniciaram o tratamento e não puderam continuar porque pediam o carro para o prefeito da cidade e não tinha carro para ir para a capital e aí abandonavam. Trazer o primeiro centro de oncologia para o interior é motivo de muita gratidão, por isso, o dia de hoje é um dia de muito agradecimento, porque agora teremos a garantia de que esse hospital nunca mais fechará as portas”, disse o deputado. Os parlamentares Efraim Filho e Wilson Santiago também enalteceram a importância do Hospital do Bem.

Foto: Secom/PB

O Hospital do Bem foi inaugurado em setembro de 2018 e atende casos de câncer de próstata, mama, colo de útero e pele, ofertando serviços ambulatoriais, quimioterapia e cirurgia, além de diversos exames de ultrassonografia com Doppler, tomografia, endoscopia, eletrocardiograma, exames laboratoriais e Raio X, além de ressonância magnética e cintilografia óssea, esses últimos terceirizados, mas custeados com recursos do SUS, via Hospital do Bem. Nos primeiros seis meses de funcionamento, a unidade já realizou 1.648 consultas ambulatoriais, 179 sessões de quimioterapia, 124 cirurgias e 304 internações.

A diretora geral do Complexo, Liliane Sena, lembra que a habilitação é um primeiro passo para o Hospital poder ampliar os serviços, incluindo, inclusive, a disponibilidade de Radioterapia, no futuro. “Agora nossos indicadores serão inseridos nos sistemas de informação oficiais do Ministério da Saúde e, a partir daí, com o aumento de produção, poderemos pleitear a ampliação de serviços, até a qualificação da unidade no CACON”, destaca a gestora do Complexo.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube