Fechar

Fechar

Presidente do PSL esclarece sobre participação de Bolsonaro em debates

Da Redação. Publicado em 18 de outubro de 2018 às 23:35.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

TALITA FERNANDES

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – Após declarações truncadas sobre a participação de Jair Bolsonaro (PSL) em debates, o presidente do partido afirmou nesta quinta-feira (18) que o presidenciável não vai a debates.

“Ele não tem obrigação de comparecer. É uma decisão não comparecer”, declarou Gustavo Bebianno em entrevista coletiva no Rio.

A declaração ocorre no mesmo dia em que Bolsonaro passou por nova avaliação médica. Ele se recupera de uma facada sofrida no dia 6 de setembro, durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG).

O candidato havia cancelado sua participação nos encontros programados até agora, como no SBT, na Bandeirantes e na RedeTV!, afirmando que aguardava liberação médica.

Para a próxima semana, estavam marcados outros dois debates, na Record, no próximo domingo (21), e na Globo.

Antes da declaração de Bebianno, também nesta quinta Bolsonaro havia recebido em sua casa no Rio uma equipe de médicos.

O médico cirurgião Antônio Luiz Macedo, do Hospital Albert Einstein, disse que a decisão de comparecer dependia do próprio presidenciável.

“Apesar da melhora que ele vem tendo, o seu estado ainda é de absoluto desconforto”, disse Bebianno.

Segundo ele, a participação no debate seria submeter o candidato “a uma situação de alto estresse sem nenhum motivo, porque discutir com um poste, como disse o candidato Jair Bolsonaro, quem discute com poste é bêbado”.

O presidente do PSL foi questionado se a ausência do capitão reformado do Exército não seria ruim para sua imagem. Ele tem sido criticado pelo PT por não comparecer.

“Não é ruim porque a campanha vem sendo feita. Houve no primeiro turno em que ele participou de debates. O contato que ele estabelece é com o eleitor. Ele tem muito apreço pelo trabalho da grande imprensa. Tem dado entrevistas continuamente, mas o seu contato é com o eleitor, como ele vem fazendo ao longo dos últimos anos”, afirmou.

Com Bolsonaro à frente das pesquisas, Bebianno disse que o eleitor já decidiu seu voto.

Macedo passou cerca de duas horas na casa do capitão reformado, na Barra da Tijuca, pela manhã, e deixou o local sem falar com jornalistas.

“Bolsonaro foi submetido hoje a avaliação médica multiprofissional, de exames de imagem e laboratoriais, que se mostraram estáveis. Apresenta boa evolução clínica e a avaliação nutricional evidenciou melhora da composição corpórea, mas ainda exigindo suporte nutricional e fisioterapia”, diz nota divulgada.

Depois de 40 minutos, os médicos atualizaram a nota com uma frase: “Ainda permanece como fator limitante relativo a presença da colostomia”.
Questionado sobre as atividades limitadas pela colostomia, Macedo não respondeu.

Ele é o responsável pelo acompanhamento médico de Bolsonaro desde o ataque no dia 6 de setembro.

Bolsonaro vem justificando sua ausência em debates devido a seu estado de saúde, mas tem sido alvo de críticas.

Ao visitar a Polícia Federal no Rio na quarta (17), ele chegou a dizer que a ida a debate era uma escolha estratégica e se comparou ao ex-presidente Lula, dizendo que o petista também faltou a um encontro em 2006.

O petista não compareceu a debates no primeiro turno, mas participou dos encontros no segundo. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também não foi a debates na eleição de 1998, mas venceu logo na primeira votação.
Nunca um candidato havia decidido se ausentar de todos os debates em uma disputa presidencial de segundo turno.

Matérias Relacionadas
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube