Fechar

Fechar

Greve dos servidores da Saúde de Campina Grande completa um mês

Da Redação com Ascom. Publicado em 1 de junho de 2018 às 15:20.

A greve dos servidores da saúde de Campina Grande completa um mês neste sábado, 02.

Até o momento, os grevistas já distribuíram pelo menos 25 mil panfletos nos bairros Acácio Figueiredo, Catingueira, Major Veneziano, Bairro das Cidades, José Pinheiro e Malvinas, além do distrito de Galante.

Também foram realizados atos públicos e assembleia de avaliação. A programação segue na próxima semana e deve ser divulgada na segunda-feira, 04, pelo Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (Sintab).

Conforme ratificou o diretor de Comunicação do sindicato, Napoleão Maracajá, além de toda a pauta reprimida dos trabalhadores, que é extensa e antiga, agora a categoria tem mais um motivo para manter a paralisação: o reajuste salarial concedido de apenas 2%.

“A Prefeitura Municipal concedeu o pior reajuste dos últimos 20 anos. Além disso, não houve diálogo com os servidores para aprovar tal aumento, numa época em que assistimos a gestão gastar absurdos com setores não fundamentais. Para piorar, o índice não foi aplicado ao vencimento no contracheque e assim não altera quinquênio e outros direitos”, lamentou.

Foto: Ascom

Foto: Ascom

Napoleão lembrou o alto número de prestadores de serviço atuando e reforçou que é urgente a realização de concurso público.

“São 2.261 prestadores de serviço enquanto efetivos são apenas 1.183, com 131 profissionais comissionados. Os dados são de fevereiro, últimos números divulgados na plataforma Sagres Online. É absurdo o alto número de trabalhadores não concursados. É mais do que urgente a realização de concurso público na saúde”, detalhou.

Ainda de acordo com o diretor de Comunicação, o Sintab também está preparando denúncia à Justiça para os próximos dias, sobre a situação precária nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município, que colocam em risco profissionais e usuários.

Relembre – Os servidores efetivos da saúde de Campina Grande decretaram greve por tempo indeterminado no dia 02 de maio, após mais de três meses de negociações infrutíferas com a Prefeitura de Campina e Secretaria de Saúde.

As principais reivindicações da categoria são: reajuste salarial de todas as categorias, respeitando-se a data base, reforçando que o aumento concedido não é aceito pelos trabalhadores; pagamento do benefício referente ao Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) e da Gratificação por Incentivo ao Trabalho (GIT); efetivação dos Planos de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) tanto para Agentes de Combates às Endemias (ACE) e Agentes Comunitários de Saúde (ACS), como para os demais profissionais da saúde em melhorias das condições de trabalho, que estão precárias em todos os setores da saúde.

Matérias Relacionadas
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube